Covid-19. Ex-ministro da Saúde elogia Governo e critica a “paralisia” da UE

Estela Silva / Lusa

Adalberto Campos Fernandes

Adalberto Campos Fernandes, ex-ministro da Saúde

O ex-ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, elogiou o Governo e criticou a atuação da União Europeia (UE) face à medidas que estão a ser tomadas na sequência da pandemia do novo coronavírus.

À Rádio Observador, referiu que, em Portugal, “ainda nada falhou de forma grave” e que as autoridades de saúde “têm feito um esforço hercúleo em condições terríveis para tentar responder a esta emergência”. “O Governo tem feito tudo o que está ao seu alcance”.

“O primeiro-ministro tomou uma decisão política forte e iniciou um processo de contenção ativa, de proteção das pessoas que culminou agora na decisão do Presidente da República”, que esteve “à altura daquilo que é a sua responsabilidade maior”, disse, referindo-se à declaração do estado de emergência.

“O governo na pessoa do primeiro-ministro tem tido uma liderança absolutamente exemplar sobre o processo que está a ser desenvolvido”, afirmou.

O ex-ministro da Saúde criticou a mensagem anterior de “algumas pessoas” de que o novo coronavírus era “uma gripe moderada ou ligeira com um padrão de comportamento e mortalidade semelhante à gripe sazonal”, além da “paralisia” com que a pandemia provocada está a ser tratada ao nível da UE.

“Portugal é um pequeno país pobre com um problema de dívida externa enorme. Mas não é só Portugal. Neste momento temos talvez a maior crise sanitária dos últimos 60/70 anos e o que vemos são reuniões aparentemente de enorme inconsequência, portanto, a proteção da saúde pública e a proteção da economia não é um problema nacional, é um problema naturalmente europeu”, sublinhou.

E acrescentou: “A saúde pública é vista como um elemento estratégico de soberania e de segurança dos países. A UE tem de perceber que tem de investir em saúde, não apenas sistemas organizados, mas também em investigação e desenvolvimento, condições de precedência para que a economia seja forte e a união também”.

Na sua opinião, “os países precisam de um sistema com cobertura geral e universal” e a UE tem de “preparar um mecanismo de resposta rápida para crises como esta”.

“Aquilo que tem acontecido do ponto de vista da saúde não tem sido exemplar. Os países tem aparecido desarticulados, as questões de acesso e restrição e fecho de fronteiras são perturbadoras. Cada país toma medidas em dissonância com o país do lado, à exceção de Portugal e Espanha”, frisou.

Adalberto Campos Fernandes defendeu ainda que a Europa tem de deixar estar “obcecada pela componente fiscal e pela componente ornamental, e tem de ter um modelo estratégico de vida que pense nas pessoas que habitam no espaço europeu”.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. «…O ex-ministro da Saúde criticou a mensagem anterior de “algumas pessoas” de que o novo coronavírus era “uma gripe moderada ou ligeira com um padrão de comportamento e mortalidade semelhante à gripe sazonal”…» – Adalberto Fernandes

    Curioso, em 2009 morreram cerca 124 pessoas vítimas de gripe provocada pela estirpe A (H1N1) 2009.

    E o sr. Fernandes não veio aos jornais demonstrar a sua preocupação, nem tão pouco declarado o estado de calamidade e decretado o estado de emergência.

    • Ministros, políticos e os respectivos meios de propagação fazem muita questão de fazer alarido!…
      Nada como provocar o pânico, assim o pessoal fica mais fácil de ser domesticado e enjaulado!!..

    • Em 2009 o sr. Fernandes não era ministro da saúde. Além disso, o número anual de mortes por gripe em Portugal anda à volta de 3.000. Portanto, 124 mortos por H1N1 parece-me um número bastante bem conseguido. Ou seja, o seu argumento não faz qualquer sentido.
      Sem estes cuidados que estamos a ter, e com quase toda a gente a ser infetada num curto espaço de tempo, o COVID-19 poderia matar cerca de 200.000 Portugueses (2% da população). É um pouco pior que a gripe, não concorda?

    • Afinal não passa de uma gripe de laboratório, apesar de contagioso, como qualquer gripe, 99% vão recuperar e 1% vão morrer, de velhice, de várias doenças, várias complicações como em qualquer gripe!…
      Políticos e medrosos pretendem é espalhar o pânico, para depois retirar liberdade e direitos, rumo à ditadura!!..

    • Em Portugal tem 1 milhão de alcoólicos e outros tipos de problemas semelhantes!…
      Existem 15 mil mortes em hospitais, por causa da má higiene hospitalar entre outros problemas!!..
      Mais de 100 mil suicídios e tentivas!…
      Segundo ainda especialistas, mais de metade dos portugueses, – até 70% – têm problemas de saúde mental!…
      Ou seja, uns 8 milhões em Portugal sofrem de algum problema grave de saúde!!..
      Onde esteve o estado de emergência?!

    • Sr. Eu!, você é um covarde, primeiro porque esse nick pertence a um utilizador bem mais informado que o Sr., segundo porque espalha desinformação sem ter a coragem de assumir o seu verdadeiro nome. Para sua informação, a taxa de mortalidade do vírus da gripe ronda os 0,1%, enquanto que este vírus tem uma taxa entre 1% (se a sua propagação for controlada ao longo do tempo), até 7%, se for descontrolada como em Itália. Em Portugal, se metade da população fosse infetada num curto espaço de tempo, assumindo uma taxa de mortalidade de 5% (conservadora portanto), morreriam 250.000 pessoas. Você simplesmente não tem noção da realidade nem do que se está a passar e devia ter vergonha de fazer esse tipo de comentários absolutamente ignorantes.

RESPONDER

Cientistas identificam pela primeira vez expressões faciais emocionais em ratos

Pela primeira vez, cientistas de Neurobiologia do Instituto Max Planck, na Alemanha, identificaram expressões faciais emocionais em ratos. À semelhança dos seres humanos, as expressões faciais dos ratos mudam quando estes animais provam algo doce …

Imprimiram corais artificiais em 3D que podem salvar recifes

Uma equipa de cientistas inspirou-se na natureza para desenvolver estruturas em forma de coral, impressas em 3D, capazes de produzir grandes quantidades de algas microscópicas. Investigadoras da Universidade de Cambridge e da Universidade da Califórnia desenvolveram …

Avalanches submarinas prendem microplásticos no fundo do oceano

As avalanches de sedimentos submarinos transportam os microplásticos para o fundo do oceano e um projeto de colaboração entre as Universidades de Manchester, Utrecht e Durham e o Centro Nacional de Oceanografia acaba de revelar …

Aos 107 anos, Cornelia Ras conseguiu vencer a covid-19

Cornelia Ras, que contraiu o novo coronavírus em meados de março, pode ser a mulher mais velha do mundo a vencer a covid-19. Nunca se é velho demais para vencer o novo coronavírus e a holandesa …

Coreia do Norte pode estar a usar fábricas de fertilizantes para extrair urânio

Um novo estudo norte-americano mostra que a Coreia do Norte pode estar a utilizar fábricas de fertilizantes para produzir mais material nuclear, extraindo urânio de ácidos fosfóricos. Segundo noticiou o Newsweek, na opinião da investigadora Margaret …

Distância social de 1,5 metros é insuficiente para travar contágio

O estudo realizado por investigadores e engenheiros especializados em dinâmica de fluidos concluiu que a distância deve ser de, pelo menos, quatro metros. Um estudo divulgado esta quinta-feira alerta que a distância social de 1,5 metros …

Estados Unidos registam 9 desempregados por segundo

O desemprego está a atingir números preocupantes nos Estados Unidos: só na última semana, 6,6 milhões de pessoas declararam estar sem emprego para poder receber apoios, um número semelhante ao da semana anterior. De acordo com …

Chineses desistem de comprar o BNI Europa. Está agora em mãos angolanas

O contexto de incerteza, provocado pela pandemia de covid-19, levou o Grupo chinês KWG a desistir de comprar 80,1% da participação do BNI Europa. O grupo chinês KWG desistiu de comprar 80,1% da participação do BNI …

Tesla usa peças do Model 3 para construir um ventilador

A Tesla também está a tentar contribuir para colmatar a escassez de ventiladores com um novo protótipo, feito com partes do Model 3. A Tesla construiu um ventilador com recurso a componentes automóveis. A fabricante elétrica …

Há acordo no Eurogrupo: 500 mil milhões de euros "disponíveis imediatamente"

Os ministros das Finanças da Zona Euro chegaram a acordo, esta quinta-feira, sobre os apoios económicos para fazer face à pandemia de covid-19. O Eurogrupo chegou a acordo sobre o pacote de ajuda económica para a …