Normalidade chega devagar, devagarinho. Espanha e França anunciam plano para o regresso

Mariscal / EPA

Pedro Sánchez, líder do PSOE

Em Espanha, o plano terá quatro fases e privilegiará um aligeiramento de restrições gradual e assimétrico. Da mesma forma, a vizinha França anunciou desconfinamento “geográfico”, mais facilitado em regiões menos atingidas, e a reabertura de escolas sob condição.

O Governo espanhol aponta um prazo de oito semanas para articular o “plano de transição para uma nova normalidade” que, em quatro fases, visa recuperar a vida normal e retomar a maior parte possível da atividade económica no final de junho, avança esta quarta-feira o Expresso.

Pedro Sánchez deu a entender que o plano será guiado pela vigência do estado de alerta, que deverá ser prorrogado de quinze em quinze dias até ao final do processo. O governante explicou que o plano obedecerá a critérios de progressividade, assimetria e coordenação, o que significa que se estabelecer-se-á uma série de regras gerais, válidas para todo o território, que depois serão executadas a velocidades diferentes em função do cumprimento de parâmetros objetivos.

Desta forma, as fases do plano decorrerão de forma diferenciada em cada comunidade autónoma, província e município. A fase 0 começa já a 4 de maio e corresponde à preparação do aligeiramento das medidas, com o alargamento a pessoas idosas da autorização para sair de casa para passear ou fazer desporto. Os restaurantes vão poder abrir e fazer as alterações necessárias para aplicar as medidas de proteção e preparar comidas para levar para casa.

A partir de 18 de maio dá-se início à fase 1. Nesta fase, abrirá o pequeno comércio e serão instaladas esplanadas em sítios autorizados, limitando a lotação a 30% do habitual. Também recomeçarão a funcionar hotéis e alojamentos turísticos, e serão reabertos locais de culto, com o mesmo teto de um terço da lotação em igrejas e outros centros religiosos.

No início de junho chega a fase 2 e com ela a abertura das salas interiores dos restaurantes e das escolas, assim como a abertura de cinemas e teatros, com um terço dos lugares. Serão ainda permitidas atividades culturais em recintos fechados, com a assistência de um máximo de 50 pessoas, ou ao ar livre, com 400 pessoas.

A fase 3 está prevista para 15 de junho e inclui a flexibilização da mobilidade geral e a subida para 50% do limite de ocupação de bares, esplanadas, restaurantes, cinemas, teatros e salas de espetáculos.

O primeiro-ministro espanhol explicou que os detalhes serão estudados com os responsáveis das várias comunidades autónomas, autoridades provinciais, cabildos insulares e municípios. Além disso, todo o plano está sujeito à constante vigilância da evolução da pandemia.

Na vizinha França foi anunciado o desconfinamento limitado, mais facilitado em regiões menos atingidas, e a reabertura das escolas a 11 de maio. Os estabelecimentos de ensino terão de respeitar um máximo de 15 alunos por aula e todos terão de usar máscara, à exceção das crianças do pré-escolar.

Da mesma forma, o uso de máscaras em França passará a ser obrigatório nos transportes, em espaços públicos e nos táxis e veículos de aluguer sem distintivo. O comércio de “proximidade” abre também a 11 de maio, mas continua em vigor a obrigação de distanciamento social. Sobre a reabertura de cafés, restaurantes, cinemas, teatros e museus, a decisão será tomada no fim de maio.

Ainda segundo o Expresso, o primeiro-ministro Édouard Philippe anunciou ainda que os campeonatos de futebol e outros acontecimentos desportivos só voltarão a acontecer em setembro.

Até 2 de junho, continuará a não haver cerimónias religiosas com presença de fiéis; as manifestações estão igualmente proibidas e as praias fechadas. Os parques e jardins serão abertos partir de 11 de maio, mas apenas nas zonas geográficas menos atingidas pelo vírus.

O teletrabalho é para continuar, uma vez que as restrições à circulação de pessoas serão para manter mesmo depois de 11 de maio. Quanto às visitas a idosos, Édouard Philippe pediu “paciência” e anunciou que serão tomadas precauções para as “visitas privadas”.

Espanha e França começam a preparar o novo normal com o aligeiramento das restrições. Sem querer dar um passo maior do que a perna, a cautela é a palavra de ordem.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Nenhuma era apenas um número". NYT dedica toda a primeira página a mil vítimas da pandemia

Mil nomes de pessoas numa primeira página. O jornal norte-americano The New York Times dedicou a primeira página da edição deste domingo a mil vítimas mortais da pandemia de covid-19, para assinalar a iminente passagem …

A economia é a vítima colateral da estratégia singular da Suécia

A Suécia deixou nas mãos dos cidadãos a responsabilidade pela sua saúde e a abordagem relaxada do país em relação à pandemia de covid-19 trouxe resultados negativos. O Governo sueco não impôs um confinamento à população …

Polícia de Hong Kong detém 180 manifestantes. E elogia lei da segurança nacional

A polícia de Hong Kong elogiou a lei da segurança nacional chinesa, horas depois de ter detido pelo menos 180 manifestantes que protestaram, este domingo, contra a legislação anunciada por Pequim. O comissário da polícia, Tang Ping-keung, …

Pinto da Costa recandidata-se a "pensar nas dificuldades do presente"

Pinto da Costa admitiu, este domingo, no lançamento do site oficial da recandidatura à presidência do FC Porto, que vai a eleições "a pensar nas dificuldades tremendas do presente". No site oficial da sua candidatura, Pinto …

Abraços e apertos de mão. Bolsonaro junta-se a manifestação sem distanciamento social

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participou, este domingo, em mais uma manifestação sem respeitar as regras de distanciamento social. A manifestação decorrer na Praça dos Três Poderes, em Brasília. De acordo com o jornal Público, …

"Relativamente rápido". Centeno acredita que países europeus vão recuperar da crise até ao fim de 2022

O ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, acredita que a União Europeia vai conseguir ultrapassar a crise económica provocada pela pandemia de covid-19 de forma "relativamente rápida". Em entrevista ao jornal alemão …

Florentino congelado, Jota (e mais dois) na porta de saída. Mercado já mexe na Luz

Apesar da pandemia, que paralisou quase todas as competições europeias e que deverá atrasar a janela de transferência no futebol, o mercado já mexe na Luz. A imprensa desportiva dá conta nesta segunda-feira que Florentino …

Cova da Piedade abandona direção da Liga e convida Proença a demitir-se

O Cova da Piedade juntou-se ao Benfica na decisão de abandonar a direção da Liga de clubes e convidou Pedro Proença a demitir-se da presidência do organismo. Em comunicado, o Cova da Piedade justifica a decisão …

Milhares foram a banhos este domingo. Só nas praias da Caparica estiveram mais de 180 mil pessoas

As elevadas temperaturas que se fizeram sentir neste domingo levaram milhares de portugueses à praias. Só na Costa da Caparica, no concelho de Almada, mais de 180 mil pessoas foram a banhos. Entre as 9 e …

"Há outras prioridades". Ana Gomes está a refletir sem "pressa" sobre eventual candidatura a Belém

No espaço de comentário da SIC Notícias, a ex-eurodeputada Ana Gomes disse que ainda está a "refletir" sobre uma eventual candidatura à Presidência da República. Ana Gomes ainda não tomou uma decisão sobre uma possível candidatura …