Este foi o sábado mais movimentado de 2021. Quatro milhões saíram à rua

O sol e a subida de temperaturas que se fizeram sentir este fim de semana convidaram milhões de pessoas por todo o país a sair de casa. O último sábado, dia 27 de fevereiro, foi o mais movimentado desde o início de 2021.

De acordo com a consultora PSE, que tem vindo a medir a mobilidade dos portugueses, quatro milhões de portugueses saíram à rua este sábado.

Este foi o sábado mais movimentado desde que o ano de 2021 começou, e corresponde a uma tendência crescente de desconfinamento ad-hoc à medida que o tempo passa.

O desconfinamento antecipado foi praticado mais por homens do que por mulheres, e revela-se mais frequente nas classes baixas. A diferença de comportamentos consoante os estratos sociais tem algumas explicações: por um lado, há profissões onde o teletrabalho não é possível; por outro, condições de habitabilidade mais precárias tornam a vida fora de portas mais apelativa.

Segundo a consultora, além do bom tempo que convidou a população a fazer passeios ao ar livre, também a crescente sensação de que o perigo já foi maior, por via do decréscimo do número de mortes e de internamentos causados pela pandemia, faz com que as pessoas se sintam mais à vontade para sair casa.

Depois de um período inicial em que as saídas de casa sofreram um decréscimo significativo, os portugueses estão não só a voltar à rua como a fazê-lo mais vezes e por períodos de tempo mais prolongados, porque começaram a arriscar ir para mais longe.

O especialista em análise de dados da PSE Nuno Santos, observa que “o aumento da mobilidade é uma tendência crescente que se tem vindo a verificar desde o encerramento das escolas“.

Também na última sexta-feira foram à rua quase seis milhões, o que equivale a 75% das que circulavam habitualmente neste dia da semana antes de surgir a covid-19. Só se registou uma redução de 25% relativamente aos tempos de normalidade, quando os estudos internacionais apontam para uma necessidade de baixar pelo menos 40% das deslocações para causar algum impacto na pandemia, afirma o mesmo responsável.

Segundo o Público, o aumento de deslocações registado ao longo das últimas semanas, não discriminou regiões nem idades. Apesar de os idosos continuarem a ficar mais tempo em casa, tal como as mulheres, todos os escalões etários registaram um aumento das saídas de casa.

Mesmo assim, o analista de dados mostra-se otimista, pois “apesar desta erosão do confinamento, os portugueses têm mostrado um comportamento exemplar desde o início da pandemia, respeitando aquilo que lhes é pedido ou imposto”.

Em declarações ao Jornal i, o gabinete de crise covid-19 da Ordem dos Psicólogos pede ao Governo que se estudem fatores além da mobilidade e das taxas de incidência.

Tiago Pereira, responsável pelo gabinete, explica que é uma mistura de vários fatores que não estão a ser estudados pelo Governo da forma como deviam e “que seriam importantes para percebermos mais concretamente o comportamento das pessoas”.

Apesar de existirem “mais pessoas a movimentar-se agora do que no primeiro confinamento”, a verdade é que o “número de infeção e internamentos” também desceu muito mais rapidamente do que aquilo que podemos observar no ano passado, refere o especialista que justifica esta situação com o facto de “hoje haver mais condições para essa mobilidade”.

Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Embora a liberdade de expressão comece a ser uma miragem no ZAP e a censura invariavelmente se faça sentir no que tenho escrito a título de mera opinião nos últimos tempos, sempre se dirá que não foi só no sábado nem na sexta-feira que mais de metade do povo português desconfinou «ad hoc». Ontem, domingo, alguns santuários do norte de Portugal, que têm o condão de estar situados no topo de montanhas, bem arborizadas, com água e belas vistas, estavam à pinha de automóveis cujos passageiros, para evitar uma investida das forças policiais, derivavam em magotes por entre a floresta e penedios, fartos de estarem enfiados em gaiolas, vulgo andares, em altura ou geminados, porque Portugal pouco mais sabe fazer do que gaiolas de todos os tipos e feitios. E houve quem visse – eu também vi mas não tinha essa informação – pessoas que ainda há menos de um mês estiveram à morte em hospitais, outros que tiveram sintomas (falta de paladar, de cheiro, etc.) e que lá arrebitaram sozinhos. Aliás, era o próprio povo quem dizia: «olha aquela anda aqui e ainda há dias tinha febre e falta de “sabor”»; «olha aquele que ainda há quinze dias saiu do hospital» etc., etc. É caso para perguntar se a Senhora Dona Marta Temida, ministra da saúde com mérito, não viu nada, não deu conta de nada. Eu quando tal vi e ouvi fugi a sete pés, direitinho ao meu quinchoso, onde cheguei com ar desvairado de tal modo que a minha Maria se saiu com esta: «Ai home parece que viste sete lobos». Eu nunca mandei em nada nem ninguém, mas que é preciso explicar a esta malta que não podem sair aos magotes, que as vacinas não conferem imunidade para sempre e que podemos estar contaminados sem o saber e contaminar os outros, lá isso era. Ou então qualquer dia começa de novo a saga dos hospitais a abarrotar, de novos confinamentos e a falência de vez do Portugal milenar. Corda bem curta, porque muita gente não vai de outra maneira.

RESPONDER

Afinal, os misteriosos reflexos no polo sul de Marte não são lagos

A descoberta de lagos nas profundezas abaixo da calota de gelo no polo sul de Marte foi feita utilizando um instrumento de radar a bordo do orbital Mars Express da Agência Espacial Europeia (ESA). Mas, …

Sondas espaciais com "cunho" português vão passar perto de Vénus

As sondas espaciais europeias Solar Orbiter e BepiColombo, ambas com tecnologia e ciência portuguesas, vão passar perto de Vénus a 9 e 10 de agosto, respetivamente, anunciou esta segunda-feira a Agência Espacial Europeia (ESA). A passagem …

Elvis Presley terá morrido de doenças genéticas (e não por overdose de medicamentos)

Segundo um novo livro de Sally Hoedel, a morte de Elvis Presley estará, afinal, relacionada com o tratamento para doenças congénitas das quais sofria. O cantor norte-americano, que morreu há quase 44 anos, estava fortemente medicado …

A cidade mais populosa de África está a viver em contra-relógio

Os habitantes da Nigéria, o país mais populoso de África, já estão habituados a contornar as inundações anuais que invadem o país. No entanto, este ano a situação saiu fora do controlo, com o principal …

"Pensávamos que a Casa Branca mandava". Biden sob fogo devido ao fim da proibição dos despejos

A inacção de Joe Biden perante o fim das moratórias que proíbem os despejos durante a pandemia está a ser criticada até dentro do próprio Partido Democrata. A moratória federal aos despejos acabou este sábado, para …

Na ausência de Biles, Sunisa Lee coroou-se rainha da ginástica. É a primeira hmong a ganhar ouro

Sunisa Lee chegou a Tóquio com a missão de ajudar os Estados Unidos a garantir o ouro e de garantir a presença em finais individuais de aparelhos. Com o abandono de Biles, tornou-se a estrela …

Presidente afegão culpa retirada “abrupta” dos EUA pelo rápido avanço dos talibãs

O chefe de Estado afegão prometeu vencer o conflito com as milícias talibãs e os Estados Unidos dizem-se prontos a receber mais milhares de refugiados. O Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, prometeu esta segunda-feira vencer o …

42% das pessoas em enfermaria no Hospital de são João têm vacinação completa

No Centro Hospitalar de São João (CHSJ), 42% das pessoas internadas em enfermaria e 15% das internadas em unidades de cuidados intensivos tinham a vacinação completa. Segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), apenas …

António Oliveira e uma arbitragem "conveniente"

Athletico Paranaense perdeu novamente no Brasileirão e a equipa de arbitragem ajudou os vencedores, queixou-se o treinador português. O Athletico Paranaense, líder do Brasileirão nas primeiras jornadas, está numa fase negativa: apenas uma vitória nas últimas …

André Ventura - Chega

Autárquicas. Chega concorre sozinho a 220 municípios para avaliar o seu "impacto"

André Ventura anunciou esta segunda-feira que o Chega irá concorrer nas eleições autárquicas a “cerca de 220 municípios” do país, sublinhando que o partido vai a votos sozinho para avaliar o seu “impacto”, mas sem …