Covid-19 promove inovadora prestação de cuidados de HIV na Cidade do Cabo

Confrontada com as condicionantes da pandemia de covid-19, a Cidade do Cabo, capital da África do Sul, promoveu uma inovadora prestação de cuidados de HIV.

A África do Sul é casa da maior epidemia de HIV no mundo. O tratamento sustentado com terapia antirretroviral eficaz (TARV) pode permitir que pessoas que vivam com HIV atinjam uma esperança de vida quase normal. Mas, de acordo com números de 2019, apenas dois terços dos estimados 7,7 milhões de pessoas a viver com HIV na África do Sul estavam em TARV.

Há uma necessidade urgente de ampliar ainda mais o programa de TARV, iniciando novos pacientes e dando boas-vindas às pessoas que regressam após interrupções do tratamento, mantendo os pacientes já em atendimento.

Neste contexto, 2020 viu a propagação global de um novo coronavírus altamente infeccioso. Em resposta, muitos países impuseram severas restrições ao movimento, incluindo a África do Sul. Os serviços de saúde sofreram interrupções significativas, à medida que os recursos foram redirecionados para combater a pandemia.

Os serviços de saúde da África do Sul já estavam sobrecarregados antes da covid-19. O seu impacto disruptivo sobre o HIV e outros serviços de saúde foi motivo de preocupação óbvia. Os especialistas em saúde destacaram duas preocupações.

Em primeiro lugar, pessoas com problemas de saúde, incluindo diabetes, hipertensão, tuberculose e HIV, podem estar em maior risco de contrair e sucumbir à covid-19. Em segundo lugar, a gestão clínica destas condições pode ser interrompida. Os pacientes podem preocupar-se que uma visita ao médico aumente o risco de contrair covid-19, enquanto as clínicas podem ficar sobrecarregadas com procura relacionada à covid-19, deixando menos capacidade para atender às outras necessidades.

As crises geralmente apresentam oportunidades para inovação, como foi o caso da Cidade do Cabo.

As recomendações para adaptar os serviços de HIV no contexto da covid-19 foram prontamente produzidas pela Organização Mundial da Saúde e outras organizações.

Muitas dessas recomendações não eram novas. Elas já tinham recomendado a ampliação da prestação de serviços diferenciados. Esta é uma abordagem centrada no utente que simplifica e adapta os serviços de HIV para se adequar às preferências dos pacientes e ao mesmo tempo reduzir a carga sobre o sistema de saúde. Por sua vez, isto permite a realocação de recursos especializados em serviços de saúde para aqueles que precisam deles.

As receitas médicas pré-covid-19 na África do Sul eram válidas por um período máximo de seis meses. Os clientes com doenças crónicas eram obrigados a visitar a clínica para uma avaliação cada vez que uma nova receita era necessária, pelo menos duas vezes por ano.

No início deste ano, em resposta à covid-19, os regulamentos foram alterados para permitir que as receitas médicas fossem estendidas até 12 meses, potencialmente permitindo que utentes bem controlados visitassem o médico apenas uma vez por ano para avaliação clínica e nova receita.

Seria difícil exagerar a complexidade de garantir um fornecimento consistente de medicamentos em milhares de clínicas em todo o país. Os ensaios clínicos demonstraram a aceitabilidade e a viabilidade da administração de seis meses de TARV, para que os utentes precisem de recolher medicamentos apenas duas vezes por ano. Mas há preocupações de que a administração de quantidades crescentes de medicamentos aumenta a complexidade de gestão.

A covid-19 levou a um aumento das quantidades de TARV dispensadas para quatro meses na Cidade do Cabo. Resta saber se isso, e ainda mais aumentos, podem ser sustentáveis, permitindo que os utentes gastem menos tempo a recolher medicamentos.

Até recentemente, a maioria dos pacientes com HIV recolhia os seus medicamentos pessoalmente numa clínica. A covid-19 levou as clínicas a tentar várias estratégias alternativas de recolha e entrega. Transferir medicamentos para a casa de alguém é caro e requer conhecimento atualizado da área. No contexto sul-africano, também existem preocupações de segurança para os correios.

Foi introduzido um serviço de entrega nalgumas áreas da Cidade do Cabo, onde o Governo registou a entrega bem-sucedida de mais de 240.000 pacotes de medicamentos crónicos até meados de junho.

O Governo também lançou um bot de chat do WhatsApp chamado “Clínica de Bolso”, que permite que os pacientes atualizem os seus dados de contacto eletronicamente e solicitem medicamento crónicos.

PARTILHAR

RESPONDER

Sonda passa ao lado de Vénus, tira-lhe uma fotografia e surpreende cientistas da NASA

A imagem obtida pelo Wide-field Imager (WISPR) da Parker Solar Probe foi capturada a 12.380 quilómetros de Vénus. A Parker Solar Probe, da NASA, capturou vistas deslumbrantes de Vénus em julho de 2020. O alvo da …

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Hong Qin, do Laboratório de Física de Plasma de Princeton (PPPL) do Departamento de Energia dos EUA, criou um algoritmo de Inteligência Artificial que pode provar que a realidade é, na verdade, uma simulação. O algoritmo …

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Em Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …