Polícia chilena treina cães para farejar pessoas com covid-19

1

A polícia do Chile está a treinar cães para detetar pessoas que podem estar infetadas com o novo coronavírus, através do seu suor.

Segundo noticiou a agência AFP, citando as autoridades, os cães – três golden retriever e um labrador – têm entre quatro e cinco anos. Até agora, esses cães foram utilizados ​​para farejar drogas ilícitas, explosivos e pessoas perdidas.

Este programa de treinamento é um esforço conjunto da polícia nacional chilena, dos Carabineros e de especialistas da Universidade Católica do Chile, e segue os passos de esforços semelhantes que estão a ocorrer na França, disse Julio Santelices, diretor da escola de especialidades da polícia.

Os cães têm 330 milhões de recetores olfativos e uma capacidade 50 vezes melhor que os humanos para detetar cheiros, podendo rastrear 250 pessoas por hora.

“O vírus não tem cheiro, mas a infeção gera alterações metabólicas”, que por sua vez levam à libertação de um tipo específico de suor, “que os cães podem detetar”, disse Fernando Mardones, professor de epidemiologia veterinária da Universidade Católica.

De acordo com Santelices, testes realizados na Europa e no Dubai revelaram uma taxa de eficiência de 95% na deteção de casos de covid-19 por cães.

No final de março, a Medical Detection Dogs – uma instituição de caridade britânica criada em 2008 para aproveitar o forte olfato dos cães para detetar doenças humanas – começou a treinar esses animais para detetar covid-19. “A importância deste estudo é que permitirá que os cães detetem esse tipo de doença num estágio inicial”, continuou Santelices.

Mardones, por sua vez, afirmou que já existem evidências de que os cães podem detetar doenças como tuberculose, infeções por parasitas e até estágios iniciais de cancro. Os caninos podem detetar mudanças na temperatura da pele, tornando-os úteis para determinar a existência de febre.

Os testes com os quatro cães começaram há um mês, através de amostras de suor de pacientes com covid-19, em tratamento na clínica da Universidade Católica. Os especialistas esperam que os cães estejam treinados e a trabalhar até agosto, em estações de comboios, aeroportos e postos de controle sanitário.

Na terça-feira, o Chile registou 1.836 novos casos de covid-19 – o número mais baixo em dois meses -, elevando o total para 319.493. A infecção viral já vitimou mais de 11 mil pessoas, de acordo com o mais recente relatório oficial do Ministério da Saúde. Segundo a Organização Mundial de Saúde Animal, a possibilidade de contágio em cães é pequena.

  ZAP //

1 Comment

  1. Bem pensado. Até porque já são inúmeros os casos conhecidos de cães capazes de detetar outros problemas como baixo nivel de glicemia, cancros…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.