Holanda é dos países que mais enriquece com o projeto europeu

A Holanda, que tem liderado a oposição a um orçamento da União Europeia (UE) mais ambicioso e à emissão de dívida comum para fazer face à crise decorrente da pandemia de coronavírus, é dos Estados-membros que mais lucra com o projeto europeu.

Segundo estimativas da Comissão Europeia, avançadas pela agência Lusa, apesar da sua modesta dimensão, a Holanda é o terceiro país entre os 27 que mais beneficia em termos brutos com o mercado único.

O país ganha anualmente, em média, 84 mil milhões de euros, valor cerca de 12 vezes superior à sua contribuição anual para o orçamento plurianual da UE segundo a proposta do executivo comunitário (6,85 mil milhões de euros), e que fica apenas atrás dos ganhos das duas maiores economias europeias, Alemanha (208 mil ME) e França (124,4 mil ME).

A Holanda lucra também bastante com o facto de ser um ‘paraíso fiscal’ dentro da UE, recolhendo milhares de milhões de euros por ano em impostos de empresas que deveriam ser pagos noutras jurisdições fiscais europeias, mas que aproveitam o regime fiscal holandês para aí instalarem as suas sedes sociais e pagarem menos contribuições.

Um recente estudo da Tax Justice Network (rede internacional independente focada na questão da justiça fiscal), a Holanda ganhará anualmente mais dez mil milhões de euros adicionais que deveriam ser pagos noutros países da UE, incluindo Portugal. Entre os países que mais receitas perdem para a Holanda encontram-se Itália e Espanha, que recentemente o ministro das Finanças holandês criticou por não terem uma ‘almofada’ financeira para fazer face à crise.

Ainda relativamente ao mercado único, um estudo sobre o que ganha cada Estado-membro divulgado no ano passado pela Bertelsmann Foundation, da autoria dos economistas Giordano Mion e Dominic Ponattu, sublinha que quem mais lucra são pequenos países no centro da Europa com economias competitivas e muito comércio, como Holanda e Áustria.

“Para países como a Holanda ou a Áustria, o Mercado Único é inestimável porque têm indústrias competitivas, mas dependem das exportações devido aos seus pequenos mercados internos”, apontou Ponattu. No caso da Holanda, o Mercado Único europeu fez também com que o porto de Roterdão se tornasse o principal porto da UE, com um volume de negócios de perto de 700 milhões de euros por ano.

Em entrevista à Lusa no dia seguinte à reunião do Eurogrupo de 09 de abril, na qual foi finalmente alcançado um acordo sobre a resposta económica europeia à crise – particularmente difícil de ‘fechar’ devido às posições da Holanda, verbalizadas pelo ministro Wopke Hoekstra -, o primeiro-ministro português questionou o papel da Holanda no projeto europeu.

(cv) YouTube

O ministro das Finanças holandês, Wopke Hoekstra

“Mais do que uma questão económica ou financeira, é uma questão política que está colocada. Temos de saber se podemos seguir a 27 na União Europeia, a 19 [na zona euro], ou se há alguém que queira ficar de fora. Naturalmente, estou a referir-me à Holanda”, disse António Costa.

Na cimeira de líderes da UE de 20 e 21 de fevereiro para tentar um acordo sobre o orçamental, que se saldou num enorme fracasso após muitas horas de tensas discussões, os primeiros-ministros de Portugal e Holanda deram voz às posições diametralmente opostas sobre o próximo Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027.

António Costa falou em nome dos chamados (17) ‘Amigos da Coesão’ e Mark Rutte foi o ‘porta-voz’ dos quatro países ‘frugais’, contribuintes líquidos que defendem que o orçamento da UE não deve ir além do 1% da Rendimento Nacional Bruto (Holanda, Áustria, Suécia e Dinamarca).

Nessa cimeira, Costa publicou no Twitter um gráfico da Comissão Europeia precisamente para sublinhar que os países que mais se opõem a um aumento das contribuições para os cofres europeus são dos que mais beneficiam com o mercado único europeu.

Numa cimeira posterior, em 26 de março passado, já realizada por videoconferência devido à pandemia, o primeiro-ministro português teceu então duras críticas ao ministro das Finanças holandês, declarações que ‘saltaram’ fronteiras, levando mesmo Hoekstra a reconhecer uns dias mais tarde que havia mostrado ‘pouca empatia’ com os países do sul.

Na ocasião, Costa lembrou que as posições de “mesquinhez” [holandesas] já são “recorrentes”, aludindo às intervenções também pouco empáticas do anterior ministro das Finanças e antecessor de Mário Centeno na presidência do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, que em 2017 suscitou a polémica ao advogar que os países não tinham legitimidade para pedir ajuda depois de gastarem o dinheiro em “copos e mulheres”.

“Era insuportável trabalhar com o senhor Dijsselbloem, mas, pelos vistos, há países que insistem em ir mudando de nomes, mas mantendo pessoas com o mesmo perfil”, disse o primeiro-ministro português.

Esta quinta-feira, os chefes de Estado e de Governo voltam a reunir-se, por videoconferência, sendo expectável novos ‘braços de ferro’ em torno dos planos para a recuperação da economia europeia no pós-pandemia, e uma vez mais com a Holanda a ser o rosto da oposição às medidas de solidariedade reclamadas pelos países do sul da Europa, designadamente a proposta de emissão de dívida conjunta.

Lusa //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Aí está: directamente da Comissão Europeia para os carneiros ignorantes que andam nas Internets a espalhar disparates como o de que Holanda paga para países do sul da Europa, etc, etc!…
    Há até alguns alienados que dizem que a Holanda não é um paraíso fiscal…
    Pode ser que agora comecem a ver a luz para a realidade da EU… ou não!…

RESPONDER

Cientistas estão a atirar rochas vulcânicas para telhados (para provar que são perigosas)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Canterbury está a lançar rochas vulcânicas para telhados na Nova Zelândia na esperança de ajudar os habitantes de Auckland a entender os perigos vulcânicos. "Auckland localiza-se num campo vulcânico …

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve nos mapas durante um século

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve durante 100 anos em muito dos principais mapas do continente africano. Acabaria por ser um militar francês, que explorou o rio Níger, a acabar com este "fantasma da …

"Continua a pairar perigosamente". Relógio do Juízo final mantém-se a 100 segundos do Apocalipse

A Humanidade nunca esteve tão perto do Apocalipse, alertam os cientistas responsáveis pelo "Relógio do Juízo Final", que decidiram mantê-lo na mesma posição do ano passado, a 100 segundos da meia-noite. O relógio, que é uma …

A primeira bateria doméstica de hidrogénio armazena três vezes mais energia do que uma da Tesla

Para usar energia solar doméstica, é preciso gerar energia quando o Sol brilha e armazená-la quando não aparece. Para isto, as pessoas usam normalmente sistemas de bateria de lítio. Porém, a empresa australiana Lavo construiu …

Um oásis LGBTQ, Budapeste é posto à prova pelo populismo e pela pandemia

Budapeste é um oásis para a comunidade LGBTQ, mas a cena drag da capital húngara vê-se ameaçada pela pandemia de covid-19 e pelas políticas conservadoras e populistas de Viktor Orbán. Durante muitos anos, Budapeste desfrutou a …

Coreia do Sul "ressuscitou" voz de uma superestrela. Chovem preocupações éticas

Pela primeira vez em 25 anos, a distinta voz da superestrela sul-coreana Kim Kwang-seok será ouvida na televisão nacional. O famoso cantor folk morreu em 1996. De acordo com a CNN, a emissora nacional da Coreia …

Maioria dos países africanos só terá vacinação em massa a partir de 2023

A maioria dos países africanos só terá imunização em massa a partir de 2023, segundo previsão da The Economist Intelligence Unit, que admite que, com o evoluir da pandemia, muitos dos países mais frágeis possam …

Mulher que "morreu" com covid-19 aparece viva 10 dias após funeral

Uma mulher de 85 anos ficou infetada com covid-19 num lar na Galiza, em Espanha. A 13 de janeiro a família de Rogelia Blanco recebeu a informação do lar de que a mulher tinha falecido. …

Familiares de vítimas na China pressionadas a não falar com OMS

As autoridades chinesas estão a pressionar as famílias das primeiras vítimas da covid-19 para que não entrem em contacto com os investigadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Wuhan, segundo familiares dos falecidos. Mais de …

Falsas vacinas à venda na Internet são grande risco para a saúde

Embora milhões de pessoas tenham sido já vacinadas contra a covid-19 nos países ricos, proliferam as fraudes na Internet com fármacos falsos que representam um grande risco para a saúde, alertaram peritos das Nações Unidas. As …