Maçãs com preços em alta, menos vinho e cerveja a estragar-se (os efeitos da pandemia)

LexnGer / Flickr

A pandemia de covid-19 está a levar milhares de litros de cerveja a estragar-se, enquanto os produtores de vinho temem uma quebra na produção e, logo, nos lucros. Enquanto isso há menos maçãs e mais caras e as previsões apontam para uma quebra recorde na colheita de pêssegos e nectarinas.

As medidas de confinamento decretadas um pouco por todo o mundo devido à pandemia de covid-19 tiveram repercussões no consumo de diversos produtos e estão a ter forte impacto nas economias de todos os países afectados.

Em Portugal, “as restrições criadas pela covid-19 fizeram com que um número considerável de barris de cerveja tenha ultrapassado o prazo de validade, estando a ser devolvidos diariamente aos distribuidores”, como relata ao jornal i o secretário-geral da associação Cervejeiros de Portugal, Francisco Gírio.

Este responsável destaca que “o setor depende significativamente do canal horeca”, isto é, de hotéis, restaurantes e cafés, que constitui “cerca de 70% do consumo de cerveja, e em valor de negócio representa 75%”. Muitos milhares de litros de cerveja acabaram, assim, por estragar-se em armazém fruto do menor consumo nestes estabelecimentos.

“No que respeita às mais de cem micro-cervejeiras, localizadas de norte a sul do país, o impacto é ainda maior, pois mais de 95% do consumo de cerveja artesanal está centralizado nos hotéis, cafés e restaurantes, e também nas feiras e nos eventos que foram totalmente cancelados”, esclarece ainda Francisco Gírio.

Covid e mais doenças provocam ano difícil no Douro

O Douro poderá produzir entre as 198 mil a 224 mil pipas de vinho nesta vindima de 2020, o que reflecte um ano difícil na vinha com uma quebra na produção, fruto de menos cachos, mais doenças e mais tratamentos.

Esta previsão foi divulgada pela Associação de Desenvolvimento da Viticultura Duriense (ADVID), cuja directora-geral, Rosa Amador, fala de uma colheita “bastante abaixo do ano passado”, em que a produção declarada foi “acima da média” e atingiu as 278 mil pipas de vinho (550 litros cada).

A previsão é inferior à média dos últimos seis anos, que ronda as 235 mil pipas de vinho, segundo Rosa Amador.

“Vai haver menos produção e há maiores custos de produção devido à necessidade de intervir mais a nível fitossanitário”, destaca esta responsável, salientando que logo no início do ciclo, verificou-se que os “cachos que apareceram foram substancialmente menos”.

Também se verificaram ataques de míldio, um fungo que pode infectar todos os órgãos verdes da videira, designadamente folhas, cachos e pâmpanos.

A instabilidade meteorológica que se verificou no Douro, entre Abril e Maio, com dias de chuva e frio intercalados com calor, exigiu atenção redobrada e obrigou à realização de vários tratamentos fitossanitários para travar a propagação de doenças.

Em Junho e em Julho, também se detectaram algumas situações de escaldão (em que o bago fica queimado) devido às temperaturas altas que se fizeram sentir.

Os produtores do Douro demonstram, assim, grandes preocupações com a diminuição da quantidade de vinho do Porto a produzir devido à crise criada pela pandemia de covid-19.

Em 2019, as vendas de vinho da região do Douro “atingiram um novo recorde”, com “um volume de negócios de cerca de 571 milhões de euros“, segundo dados do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP).

Na semana passada, o IVDP anunciou que, “apesar dos constrangimentos causados pela covid-19”, já havia “sinais positivos nas exportações de vinhos da região do Douro”, com um crescimento em Junho, relativamente a Maio, de 14,7% no caso do vinho do Porto e de 19,4% quanto ao restante vinho do Douro.

Menos maçãs e mais caras

A nível da União Europeia (UE), espera-se uma redução do consumo de vinho da ordem dos 7%, bem como uma redução no consumo de carne da ordem dos 2,5%, de acordo com o último relatório com as previsões para os mercados agrícolas do espaço comunitário.

As perspectivas para o sector agro-alimentar da UE vaticinam uma queda de 2% na carne de aves, de 1,7% na produção de carne bovina e de 1,5% nas carnes ovina e caprina.

Por outro lado, a produção de carne de porco deve aumentar em 0,5%, com os preços a favorecerem o consumidor.

No sector dos cereais, espera-se uma queda de 2,7% na produção e uma descida 0,6% no seu consumo, como consequência do confinamento – a obrigatoriedade de permanência em casa levou as pessoas a procurarem menos as padarias.

As maçãs são também fortemente influenciadas pelo confinamento, com as colheitas a descerem e com um aumento de preços motivado pela elevada procura durante o confinamento.

No âmbito das frutas, destaque ainda para as previsões de um recorde em baixa na produção de pêssegos e nectarinas também fruto das condições climatéricas ao longo do ano. Isto implicará também um aumento nos preços.

Produção de azeite deve crescer 20% em 2021

Por outro lado, há boas perspectivas para a produção de azeite, considerando-se que o consumo na UE deverá crescer 6% neste ano, embora mantendo-se abaixo dos cinco anos anteriores. Para 2021, prevê-se um aumento no consumo de 20%.

Também o leite e os lacticínios vão sofrer um crescimento de 0,7% relativamente a 2019, sobretudo graças aos contributos de países como Alemanha, Itália, Espanha e Holanda.

Já as produções de açúcar e tomate deverão manter-se estáveis, enquanto se verificam ligeiras reduções no consumo ao nível da UE.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Liveblog ZAP. "Há muita gente que tem medo de votar em quem quer"

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Arqueólogos desenterram (acidentalmente) ossadas com 800 anos no Peru

Os restos mortais de oito pessoas, com aproximadamente 800 anos de idade e enterrados com alimentos e instrumentos musicais na mesma câmara funerária, foram encontrados ao sul de Lima, no Peru, durante a instalação de …

Marcelo apela ao voto "por memória deste ano e meio que não esqueceremos"

O Presidente da República considerou que votar nas eleições autárquicas é mais importante do que nunca para o país recomeçar a viver e a sair das crises sanitária, económica e social. Este apelo ao voto foi …

Onde e como? Um guia para votar nas eleições autárquicas

As mesas de voto das eleições autárquicas abriram hoje às 08:00 no continente e na Madeira para a escolha dos dirigentes dos municípios e das freguesias para os próximos quatro anos. Nos Açores, as urnas abrem …

Ensino Superior: 33% dos candidatos ficaram de fora. Veja se ficou entre os colocados

Mais de 49 mil novos estudantes entraram agora para o ensino superior, tendo ficado sem colocação 33% dos candidatos à primeira fase do concurso nacional de acesso, revelam dados divulgados hoje pelo Ministério do Ensino …

Pessoas mais pobres são vistas como menos suscetíveis à dor

Um novo estudo indica que os indivíduos de classe baixa são estereotipados como insensíveis à dor física, o que pode impactar os seus cuidados médicos. “As estatísticas de saúde indicam que as pessoas ricas recebem um …

As crianças têm dez vezes mais micro-plásticos nas fezes do que os adultos

Uma equipa de cientistas da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, usou espectrometria de massa para medir os níveis de micro-plásticos compostos de policarbonato (PC) e de polietileno tereftalato (PET) presentes nas fezes crianças …

MIT desenvolve mão robótica insuflável (que devolve o tato aos amputados)

Apesar de haver membros biónicos altamente articulados, concebidos para detetar os sinais musculares residuais e imitar roboticamente os seus movimentos pretendidos, a destreza de alta tecnologia tem um custo muito alto. Recentemente, engenheiros do Massachusetts Institute …

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …