Sucesso da vacinação em Israel levanta debate sobre desigualdades com palestinianos

Israel tornou-se rapidamente o líder mundial em vacinação contra a covid-19, mas a maioria dos palestinianos residentes na Cisjordânia ocupada aguardam a primeira dose da vacina. Esta disparidade que está a levantar uma onda de críticas.

Os defensores dos direitos humanos alegam que Israel é obrigado, segundo a lei internacional, a fornecer aos palestinianos acesso às vacinas em paridade com o que disponibiliza aos seus próprios cidadãos. Alguns argumentam que Israel tem um imperativo moral de o fazer como um ocupante militar com meios para ajudar.

Realçam ainda a Quarta Convenção de Genebra, segundo a qual os Estados ocupantes têm o dever de garantir a saúde pública das pessoas que vivem sob ocupação “em toda a extensão” possível, especialmente no que diz respeito ao combate a pandemias e doenças.

Por sua vez, os defensores das políticas de Israel recordam que os palestinianos assumiram a responsabilidade pelos serviços de saúde da sua população quando assinaram os Acordos de Oslo em 1993.

As autoridades israelitas sublinham que “embora Israel tenha interesse em garantir a vacinação aos palestinianos, não tem responsabilidade legal de fazê-lo”.

Desta forma, na passada terça-feira, a Autoridade Palestiniana começou a campanha de vacinação na Cisjordânia ocupada depois de ter recebido cerca de duas mil doses de vacinas de Israel.

Contudo, a campanha de vacinação palestiniana está muito aquém de Israel, que com uma população de 9,2 milhões já inoculou mais de 3,3 milhões de pessoas com a primeira dose. Para já, só um pequeno número de médicos e enfermeiros palestinianos receberam as vacinas.

“Louvado seja Deus, sinto-me ótima” afirmou, ao New York Times, a enfermeira Ayman Abu Daoud, de 49 anos que trabalha num hospital em Belém. “As vacinas dão-nos esperança para superar a pandemia, mas ainda temos um longo caminho a percorrer”.

Segundo o NYT, ainda não está claro quando é que os cerca de dois milhões de palestinianos na Faixa de Gaza começarão a receber as vacinas.

No entanto, a Autoridade Palestiniana já revelou que parte das 50 mil vacinas que vai receber se destina aos palestinianos na Faixa de Gaza. Mai al-Kaila, ministro da Saúde da Autoridade Palestiniana revelou que as vacinas serão transferidas para Gaza na próxima quarta-feira.

Porém, Israel já afirmou que a Palestina ainda não apresentou um pedido formal para enviar vacinas para o enclave. Segundo as autoridades israelitas qualquer pedido exigiria a aprovação do Governo de Benjamim Netanyahu.

A Palestina recebeu, na quinta-feira, 10 mil doses da vacina russa Sputnik V. Vai receber ainda 37.440 doses da Pfizer durante o mês de fevereiro e centenas de milhares da AstraZeneca no final de fevereiro ou início de março no âmbito da iniciática Covax, revelou Gerald Rockenschaub, o chefe da missão da Organização Mundial de Saúde.

Ana Moura, ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Medina apresenta auditoria sobre manifestações em Lisboa “nos próximos dias”

O Presidente da Câmara de Lisboa revelou que “na sequência da auditoria”, que será conhecida nos próximos dias, irá tomar “as medidas para assegurar que não voltam a acontecer” falhas na proteção de dados de …

As abelhas-operárias reproduzem-se fazendo clones (quase perfeitos) de si mesmas

Uma equipa de investigadores da Universidade de Sydney descobriu que as abelhas-operárias, uma espécie encontrada na África do Sul, se reproduzem fazendo clones quase perfeitos de si mesmas. Algumas pesquisas anteriores indicavam que algumas abelhas-operárias se …

"Quero entender o que aconteceu comigo": Eriksen já reagiu ao colapso em campo

O internacional dinamarquês Christian Eriksen já reagiu à sua queda inanimada dentro do relvado, dizendo que está melhor e que quer entender o que aconteceu. O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do Grupo …

Segunda tentativa. Ricardo Salgado começa hoje a ser julgado no âmbito da Operação Marquês

O ex-banqueiro Ricardo Salgado, de 76 anos, deverá começar a ser hoje julgado por três crimes de abuso de confiança, devido a transferências de mais de 10 milhões de euros, no âmbito do processo Operação …

Partilha de publicação sobre recandidatura de Rui Moreira foi “erro de funcionária”

Autarquia portuense diz que publicação sobre recandidatura de Rui Moreira no site da Feira do Livro foi um erro já assumido por uma funcionária. Este domingo, o PSD-Porto acusou o independente Rui Moreira de “utilização de …

Teletrabalho deixa de ser obrigatório a partir de hoje. Exceto em quatro concelhos

O teletrabalho deixa de ser obrigatório a partir de hoje, passando a ser recomendado na generalidade do território de Portugal continental, exceto nos quatro concelhos que apresentam taxas de incidência de covid-19 superiores aos limites …

Variantes do coronavírus podem escapar dos anticorpos espalhando-se através de supercélulas

Variantes do coronavírus, como a britânica e a sul-africana, podem escapar dos anticorpos espalhando-se através de supercélulas, revela um novo estudo. Os anticorpos que criamos depois de sermos infetados com um vírus ou vacinados contra ele …

Estudo apresenta nova visão sobre a forma como os continentes se formaram

Um estudo liderado por geólogos da Monash University apresenta uma nova visão sobre a forma como os primeiros continentes da Terra se formaram. Apesar da Terra se ter formado há mais de 4,5 mil milhões de …

Cientistas descobrem novo exoplaneta semelhante a Neptuno

Uma equipa internacional de colaboradores, incluindo cientistas do JPL da NASA e da Universidade do Novo México, descobriram um novo exoplaneta temperado, do tamanho de Neptuno, com um período orbital de 24 dias orbitando uma …

Feira do Livro do Porto partilha recandidatura de Moreira. "Foi erro de funcionária"

A câmara do Porto explicou que a partilha do ‘post’ sobre a recandidatura de Rui Moreira feita este domingo na página de Facebook da “Feira do Livro do Porto” se deveu a “erro de uma …