Cidade inglesa de Leicester em confinamento local. Escolas e comércio voltam a fechar

David Hanwell / Flickr

Centro de Leicester

Lojas de bens não essenciais devem fechar a partir desta terça-feira em Leicester, no norte de Inglaterra, onde o governo britânico decretou um confinamento local devido ao número elevado de casos de infeção com a covid-19.

O ministro da Saúde, Matt Hancock, disse à BBC , citada pela agência Lusa, que a decisão foi tomada porque “ficou claro que este surto não estava a ser controlado” com o aumento de testes e outras medidas de monitorização pelas autoridades locais implementadas há cerca de uma semana.

De acordo com dados da direção geral da saúde Public Health England, foram diagnosticados quase três mil casos de pessoas infetadas em Leicester desde o início da pandemia, dos quais 866 nas últimas duas semanas.

Num depoimento no parlamento já depois das 21:00 de segunda-feira, mais tarde do que inicialmente previsto, Hancock disse que Leicester, uma cidade com cerca de 350 mil habitantes, “foi responsável por cerca de 10% de todos os casos positivos no país na semana passada” e que estão a ser registados seis a 10 internamentos hospitalares por dia, contra cerca de um por dia noutras regiões.

O confinamento local decretado pelo governo implica que as escolas vão voltar a fechar na quinta-feira para a maioria dos alunos, mantendo apenas os filhos de trabalhadores de serviços críticos, e os bares, restaurantes e outros espaços comerciais não poderão reabrir ao público este sábado como no resto do país.

O ministro da Saúde britânico disse que as autoridades têm identificado e controlado outros surtos locais, nomeadamente em Kirklees, no norte de Inglaterra, atribuído a uma fábrica de processamento alimentar, ou em Weston super Mare, no sudoeste, num hospital.

Porém, a dificuldade em controlar a situação em Leicester, sob vigilância há quase duas semanas, sugere que existe uma transmissão do vírus na comunidade, pelo que o governo teve de adotar medidas mais rigorosas.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, já tinha admitido que o governo poderia ter de aplicar confinamentos locais, numa estratégia que apelidou de “paulada na toupeira” [whack-a-mole], numa referência a um jogo popular em que os participantes têm de martelar as toupeiras à medida que elas surgem à superfície.

“O crucial é garantir que estamos prontos a reprimir surtos locais. É por isso que estão a ser tomadas as medidas em Leicester”, disse na segunda-feira à Times Radio.

De acordo com o Daily Telegraph, existem mais 36 cidades inglesas com um aumento significativo de casos, embora Matt Hancock tenha vincado que o número de novas infeções em Leicester é três vezes superior à cidade com o segundo valor mais alto.

O Reino Unido registou até segunda-feira 43,575 mortes (em 311.151 casos de infeção) durante a pandemia covid-19, o maior número na Europa e o terceiro maior no mundo, atrás dos Estados Unidos e Brasil.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Então não são os bifes , que dizem que Portugal é um dos países de risco?
    Talvez não fosse má ideia o M. N, Estrangeiros emitisse um comunicada onde qualquer cidadão britânico que entrasse em Portugal , teria de ficar em quarentena.
    Há duas razões para que isso não aconteça , tomates e dinheiro , ou falta dos dois .

RESPONDER

Guerra aberta pelo ouro da Venezuela em Inglaterra. Maduro ordena investigação ao "roubo"

Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela, ordenou uma "investigação penal" ao que denomina "o roubo de ouro venezuelano" que está depositado no Banco Central de Inglaterra. Esta é a resposta do governante depois de o Tribunal …

Hospitais da Papua-Nova Guiné recusam atender grávidas. Médico aconselha mulheres a evitar gravidez

Um obstetra da Papua-Nova Guiné aconselhou as mulheres daquele país a não engravidarem nos próximos dois anos, revelando que o medo de transmissão do coronavírus tem levado os hospitais a recusarem atender grávidas. Segundo noticiou esta …

China vai encerrar gradualmente todos os mercados de aves vivas

A China vai fechar gradualmente todos os mercados onde aves vivas são vendidas, visando reduzir os riscos para a saúde pública, informou hoje a imprensa oficial. Chen Xu, alto funcionário da Administração Estatal de Regulação do …

Em 33 anos, Amazónia perdeu 72,4 milhões de hectares de floresta. O equivalente ao território do Chile

A floresta amazónica, presente em nove países da América do Sul, perdeu 72,4 milhões de hectares de cobertura vegetal entre 1985 e 2018, uma área equivalente ao território do Chile, segundo dados divulgados na quinta-feira …

Decisão do Reino Unido é "absurda", "errada" e "desapontante"

O chefe da diplomacia portuguesa considerou hoje a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais” como um “absurdo”, “errada” e que causa “muito desapontamento”, trazendo ainda graves consequências económicas e …

"Peixe racista". Estátua da Pequena Sereia novamente vandalizada

A icónica estátua da "Pequena Sereia" em Copenhaga, um dos monumentos mais famosos da Dinamarca, foi novamente vandalizada, ao ter sido pintada com uma frase antirracismo, divulgou hoje a polícia dinamarquesa. “A Pequena Sereia foi vandalizada …

Itália admite segunda vaga e defende restrições a viagens

Itália abriu esta terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições. O ministro da Saúde de Itália afirmou, esta quinta-feira, não poder afastar uma segunda …

Menos férias e mais dias de aulas para quem não tem exames no próximo ano letivo

O próximo ano letivo vai ter menos dias de férias e mais dias de aulas para os alunos que não tenham exames. Os alunos terão aulas presenciais e aulas à distância. O ministro da Educação, Tiago …

FC Porto revela camisola para a próxima época (e as opiniões dividem-se)

O FC Porto revelou a camisola oficial do clube para a próxima temporada. Pelas redes sociais, as opiniões dividem-se, havendo quem não esteja satisfeito com a mudança. Os adeptos portistas acordaram esta sexta-feira com a imagem …

Veto da Índia ao TikTok pode custar mais de 5 mil milhões de euros à ByteDance

O executivo indiano anunciou o bloqueio de 59 aplicações móveis chinesas, assegurando que as aplicações roubam dados dos utilizadores e partilham informações com o governo chinês. O grupo chinês de tecnologia ByteDance, que desenvolveu o TikTok, …