Decisão do Reino Unido é “absurda”, “errada” e “desapontante”

António Cotrim / Lusa

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva

O chefe da diplomacia portuguesa considerou hoje a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais” como um “absurdo”, “errada” e que causa “muito desapontamento”, trazendo ainda graves consequências económicas e de confiança recíproca.

Em declarações, por telefone, à agência Lusa, Augusto Santos Silva garantiu que as autoridades portuguesas não irão tomar qualquer atitude de reciprocidade em relação aos britânicos que residem em Portugal, mais de 35.000, disse, e que espera que o Reino Unido “corrija uma decisão errada rapidamente”.

Numa nota publicada na sua página oficial, o Ministério dos Transportes britânico excluiu Portugal dos “corredores de viagem internacionais” com destinos turísticos que o Reino Unido vai abrir para permitir aos britânicos passarem férias sem cumprir quarentena no regresso.

Portugal continental fica fora do corredor turístico britânico

Portugal foi penalizado por “falar a verdade”

O presidente do Turismo do Algarve considerou hoje que Portugal foi “penalizado por falar a verdade” relativamente aos novos casos de covid-19, um dos critérios que levou à exclusão do país de um corredor aéreo com o Reino Unido.

“Fomos penalizados, claramente, por falarmos verdade. Quando comparamos o número de testes por 100 mil habitantes dos diferentes países percebemos que há países que foram privilegiados nesta nova condição que testam três, quatro vezes menos do que Portugal”, afirmou João Fernandes.

Segundo aquele responsável, a decisão – que implica que os britânicos tenham que cumprir quarentena no regresso ao país, se passarem férias em Portugal -, não se baseia “em factos”, existindo vários fatores que não foram considerados.

“É nos novos casos por 100 mil habitantes [que se baseia a decisão] e estamos a retratar um período curto, não estamos a retratar o número de casos ativos por 100 mil habitantes, porque há casos que vêm de antes desse período”, argumentou.

Portugal, onde foram identificados vários surtos localizados nas últimas semanas, não está na lista hoje publicada de 59 países e territórios onde os britânicos podem passar férias sem cumprir quarentena no regresso e que inclui Espanha, Alemanha, Grécia, Itália, Macau ou Jamaica.

O sistema vai entrar em vigor na próxima sexta-feira, 10 de julho, e permite evitar que quem chegue destes países tenha de ficar 14 dias em isolamento, como acontece atualmente com todas as pessoas que chegam a Inglaterra do estrangeiro, ou arriscam uma multa de mil libras (1.100 euros).

Segundo João Fernandes, o mercado britânico “é o mais expressivo na região” ao longo do ano, representando quase seis milhões de dormidas, apesar de, no verão, o mercado mais relevante para o Algarve ser o mercado nacional.

Contudo, sublinhou, “não há qualquer ilusão” de que a decisão hoje conhecida “pode resfriar o ímpeto de crescimento e procura do Reino Unido pela região e pelo país em geral”, apesar de Portugal ser um dos países “com menor taxa de letalidade”.

Para João Fernandes, se o Algarve fosse avaliado ‘per si’, teria condições “muito mais vantajosas do que a maioria de outras regiões”, já que, desde o início da pandemia, tem “uma expressão muito residual de casos”, com apenas “1,5% dos casos em Portugal”.

Além disso, reforçou, a decisão é “injustificada” se for considerado o facto de que “68% das dormidas de hotelaria dos britânicos do período de julho a setembro no nosso território acontece no Algarve”.

O presidente do Turismo do Algarve acredita, no entanto, que os britânicos vão continuar a viajar para o Algarve, ainda que provavelmente em menor número, pois já o estavam a fazer mesmo tendo de cumprir quarentena.

“[a decisão] Contraria a própria vontade dos turistas britânicos, porque nós retomámos as ligações em meados de junho com o Reino Unido, mas hoje estamos ligados a 20 aeroportos diferentes, de todas as regiões do Reino Unido, com cinco companhias aéreas distintas”, concluiu.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Pois, este Augusto ainda anda por cá???? Ainda não se demitiu??? Se a determinada altura falou mal dos gestores portugueses, quando aquilo que se esperava era que defendesse os seus interesses, não percebo o que ainda anda aqui a fazer, tanto mais que já se percebeu que não tem qualidade para o cargo que ocupa.
    Em vez de andar a argumentar de modo bacoco e provinciano, envergonhando os portugueses, devia, juntamente com o restante executivo, tratar de controlar a pandemia no nosso território.
    Os outros países têm uma atitude racional e pragmática, e muito em. Nós devíamos fazer o mesmo. Devíamos fazer os trabalhos de casa em vez de arranjar justificações para não o termos feito ou para fazer crer que isso não tem relevância.

  2. Podemos contestar a atitude do R.U, mas estar a suplicar que os Ingleses venham cá de Ferias é rebaixante e humiliante para todos os Portugueses!…não passamos de mendigos !

  3. “absurda”, “errada” e “desapontante” é a atitude dos nossos governantes e o modo como lidamos com a Covid19 em Portugal.

  4. Ainda bem que não vêm para cá: Os governantes querem uma coisa que é compreensível,( pois temos pouca dinâmica além do turismo) mas o facto, é que os Britânicos têm muito mais casos, muito mais mortos, a Bélgica, que tb nos excluiu tem muito mais casos e muito mais mortos,
    O SNS está aberto tb para eles, ( estrangeiros) com o pagamento de uma taxa reguladora, ( pois o grosso é pago com os nossos impostos) e eu como Português ñ quero descontar para pagar a saúde de camones racistas que ñ respeitam as normas impostas pela DGS aqui no nosso país. Vivo em Lisboa, e já estou farto de ver os turistas desrespeitarem as normas, bebendo na rua, e em magotes de 10 e 15 pessoas, sem mascara etc. E sabendo, agora que estamos de fora para mim é um alivio. Pvta ke os pariv!!!

  5. como este tipo foi parar a mne, um bronco destes, o que vale é que pouco abre a boca e quando o faz, ninguém lhe liga, pelo menos isso.

RESPONDER

Até à Páscoa "as coisas devem ficar como estão", diz António Lacerda Sales

O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, admitiu, em entrevista ao SAPO24, que foram cometidos erros desde o início da pandemia e defendeu que até à Páscoa "as coisas devem ficar como estão". Um …

Trabalhar no Interior. Benefícios fiscais tiveram impacto de 27 milhões (e programa deve ser prorrogado)

Os benefícios fiscais previstos no Programa de Valorização do Interior (PVI) tiveram um impacto de cerca de 27 milhões de euros em 2020, revelou o Ministério da Coesão Territorial, destacando a aprovação de projetos …

Regulador da aviação trava construção do aeroporto do Montijo

O parecer negativo das câmaras do Seixal e da Moita e a não emissão por Alcochete levaram a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) a recusar emitir um parecer prévio de viabilidade do aeroporto do …

França aprova vacina da AstraZeneca para maiores de 65 anos. Única dose das vacinas reduz hospitalização nos mais idosos

O Governo francês alargou a idade de toma da vacina da AstraZeneca, que estava reservada para pessoas entre os 50 e os 64 anos. A partir de agora, pessoas com até 75 anos também vão …

OMS diz que é prematuro e "não realista" pensar-se que a pandemia acaba este ano

O diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS diz que é prematuro pensar-se que a pandemia termina até ao fim do ano, mas que é possível é reduzir as hospitalizações e as transmissões …

A escolha de Moedas para Lisboa (ou de como Marcelo puxou os cordelinhos no PSD)

Rui Rio foi forçado a confirmar o nome de Carlos Moedas como candidato do PSD à Câmara de Lisboa depois de ter havido uma fuga de informação para a imprensa. E há quem especule que …

Duterte demite embaixadora no Brasil filmada a agredir funcionária

Esta segunda-feira, Rodrigo Duterte anunciou ter assinado a demissão da embaixadora das Filipinas no Brasil, Marichu Mauro. O Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, demitiu a embaixadora no Brasil, depois de esta ter sido filmada a agredir …

Portugal tem menos de 2 mil internados pela primeira vez desde outubro. Há mais 38 óbitos e 691 novos casos de covid-19

Portugal registou esta terça-feira 691 novos casos de infeção por covid-19 e mais 38 mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde, nas …

Marcelo falou com Presidente de Israel sobre vacinação e relações bilaterais

O Presidente da República falou por telefone com o seu homólogo israelita, Reuven Rivlin, sobre a pandemia de covid-19, o processo de vacinação, as relações bilaterais e a situação geopolítica global O Presidente da República, Marcelo …

Trump e Melania foram vacinados em privado em janeiro, antes de abandonarem a Casa Branca

Donald Trump e Melania Trump foram vacinados discretamente em janeiro antes de abandonarem a Casa Branca, admitiu um conselheiro do ex-Presidente dos EUA a vários meios de comunicação do país. Segundo o New York Times, a …