Açores decreta cerca sanitária em Rabo de Peixe

Armando Pacheco / Wikimedia

Porto de Rabo de Peixe

O governo regional decretou que vai implementar uma cerca sanitária em Rabo de Peixe, devido ao crescimento dos casos de covid-19.

A freguesia de Rabo de Peixe, na ilha de São Miguel, nos Açores, vai ficar sob cerca sanitária a partir das 00:00 de quinta-feira e até 8 de dezembro, devido ao aumento do número de contágios por covid-19. O anúncio foi feito ao final da tarde desta terça-feira pelo governo regional dos Açores que fez também saber que a população será testada.

Numa nota enviada às redações, o executivo açoriano explica que enquanto vigorar a cerca sanitária, ficam interditas as deslocações, por via terrestre e marítima, entre Rabo de Peixe, no concelho da Ribeira Grande, e as restantes freguesias, sendo que as autoridades de saúde vão proceder à realização de “testes rápidos à população“.

Por freguesias, a vila piscatória de Rabo de Peixe, com cerca de dez mil habitantes, é a que regista maior número de casos de contágio nos Açores, com 61 casos ativos. De acordo com deliberação, fica proibida a circulação e permanência de pessoas na via pública, são encerradas todas as escolas e fixa-se a limitação da lotação máxima de um terço da respetiva capacidade na restauração, bares e outros estabelecimentos de bebidas, com ou sem espetáculo e com ou sem serviço de esplanada.

O Governo dos Açores determina ainda que, a partir das 20:00, “são encerrados os restaurantes, bares e outros estabelecimentos de bebidas, com ou sem espetáculo e com ou sem serviço de esplanada, sendo cancelados todos os eventos de natureza cultural ou de convívio social alargado”.

Estão previstas exceções para deslocações necessárias e urgentes, para acesso a cuidados de saúde, assistência, cuidado e acompanhamento de idosos, menores, dependentes e pessoas especialmente vulneráveis, incluindo o recebimento de prestações sociais, bem como de profissionais de saúde e de medicina veterinária, entre outros.

A cerca sanitária vigorará a partir das 00:00 de quinta-feira até às 23:59 de 8 de dezembro de 2020, podendo as medidas previstas “ser revertidas ou revogadas a qualquer momento, tendo em conta a evolução da pandemia na região”.

Segundo o comunicado da Autoridade Regional de Saúde, há oito novos casos em São Miguel e dez na ilha Terceira, na sequência de 1.463 análises realizadas na região. Foram registadas quatro recuperações e há na região 37 cadeias de transmissão ativas, sendo 26 em São Miguel, oito na Terceira, uma partilhada entre São Miguel e São Jorge, uma no Pico e outra em São Jorge.

Nos Açores, foram detetados até hoje 1.044 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, e registados 17 óbitos. Há 523 casos recuperados e mantêm-se 421 casos positivos ativos.

Estão internadas 14 pessoas, seis no Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, sete no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira e um no Hospital da Horta.

Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara da Ribeira Grande, já veio defender que a cerca sanitária anunciada em Rabo de Peixe é “necessária nesta fase” para conter a covid-19 naquela freguesia do concelho. “É uma medida que julgo infelizmente ser necessária nesta fase para conter na medida possível esse contágio.”

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.