Com semáforos e muitas regras, arranca oficialmente a época balnear

António Cotrim / Lusa

A época balnear arranca hoje em todas as praias do Algarve, Almada, Cascais e na praia da Nazaré, com regras de distanciamento social e lotação máxima definida, devido à pandemia da covid-19, e com apelos ao bom senso dos banhistas.

Este ano o Governo estabeleceu regras para a utilização das praias, como o distanciamento físico de 1,5 metros entre diferentes grupos e afastamento de três metros entre chapéus-de-sol, toldos ou colmos.

O executivo definiu regras para o funcionamento de restaurantes, bares ou esplanadas de praia, que devem higienizar regularmente os espaços (com o mínimo de quatro limpezas diárias), limitar a capacidade a 50% e reorganizar a esplanadas para assegurar o distanciamento de segurança.

Os toldos e chapéus a cargo dos concessionários só poderão ser alugados por cada pessoa ou grupo numa manhã (até às 13:30) ou tarde (a partir das 14:00) e todos os equipamentos como gaivotas, chuveiros, espreguiçadeiras ou cinzeiros “devem ser higienizados diariamente ou sempre que ocorra a mudança de utente”.

A Agência Portuguesa do Ambiente definiu a capacidade potencial de ocupação das praias e informa em tempo real sobre a lotação de cada uma, através da aplicação ‘Info Praia’.

Nas praias vai também existir “sinalética tipo semáforo”, em que a cor verde indica ocupação baixa (1/3), amarelo é ocupação elevada (2/3) e vermelho quer dizer ocupação plena (3/3).

O Governo prevê a possibilidade de interdição da praia, “por motivo de proteção da saúde pública, em caso de incumprimento grave das regras pelas concessionárias ou pelos utentes”, uma vez que não estão previstas coimas, tendo por isso o executivo apelado ao “bom senso” dos banhistas.

A época balnear não será igual em todo o país e apenas se inicia hoje no Algarve e na região Tejo e Oeste. No distrito de Faro, a época balnear arrancou em todas as praias e termina em 30 de setembro (com exceção de 11 locais que prolongam até 15 de outubro).

Já no Tejo e Oeste, só começou nas praias de Almada, no distrito de Setúbal, de Cascais, em Lisboa, e na praia da Nazaré, em Leiria, com fim previsto para 30 de setembro, 15 de outubro e 15 de setembro, respetivamente.

Para a Federação Portuguesa dos Concessionários de Praia, esta época balnear é “um ano perdido” em termos de negócio, devido ao encerramento durante quase três meses e tendo em conta que as despesas com a assistência de praia são elevadas.

Também a Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores continua preocupada com a disponibilidade de profissionais para assegurar a vigilância, porque os cursos deste ano foram interrompidos, com a declaração do estado de emergência, e “apenas 50% dos nadadores-salvadores trabalham na época seguinte”.

Contudo, na quinta-feira, o secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Jorge Seguro Sanches, informou que o processo de contratação de nadadores-salvadores “tem funcionado dentro da normalidade, apesar da dificuldade porque é um ano em que não houve cursos, mas há mais de sete mil inscritos que podem ser utilizados”.

Além disso, garantiu que a Autoridade Marítima Nacional “está perfeitamente preparada” para coordenar a segurança nas praias, porque o apoio da Marinha subiu de 80 para 170 militares.

A Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores também divulgou, esta semana, alguns dos procedimentos que os vigilantes devem adotar na época balnear face à pandemia, como privilegiar o salvamento “sem entrar na água” ou abordar o náufrago pelas costas.

Nas restantes regiões do país, as datas de arranque serão variáveis e faseadas, sendo que a segunda fase acontecerá em 13 de junho em algumas praias da costa alentejana e da região Tejo e Oeste, nomeadamente em Grândola, Sesimbra e Setúbal (capital de distrito), em Alcobaça e nas Caldas da Rainha, em Leiria.

Já na região Centro, o arranque da época balnear está previsto para 20 de junho, com fim entre 30 de agosto a 20 de setembro, enquanto no Norte só vai começar em 27 de junho, estendendo-se até 30 de agosto.

Na Região Autónoma da Madeira a época balnear iniciou-se na segunda-feira ou terça-feira e estende-se até 30 de agosto ou 31 de outubro, enquanto nos Açores poderá ocorrer entre 01 de junho a 01 de julho, com fecho entre 31 de agosto e 14 de outubro.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Penso que isto vai dar ainda muito barulho, pois irá haver praia para uns e outros não, possivelmente muitos depois de uma longa viagem e com crianças, acabarão por regressar a casa, enquanto outros possivelmente lá estarão todos os dias que lhe apetecer.

  2. No norte as praias dos “pobres e incultos” só abre no final do mês. Somos uns coitados que temos que trabalhar por isso não necessitamos de ir à praia. A sul já abriu porque? são mais portugueses que nós do norte?
    No norte com alguns casos concentrados fechou-se, por exemplo um concelho, com 1/2 de casos fechavam-se empresas e no sul? dizem que as coisas estão controladas…
    Felizmente agora o vírus “só se mete” com os cultos e ricos do sul… mas sabemos que o vírus não escolhe… a população é que faz por isso.
    Pergunto-me porque não fecham algumas empresas a sul ou mesmo se isolam alguns locais? Certamente porque as zonas com mais casos são Lisboa e Sintra e como tal não se pode fechar…
    Fala-se das zonas limítrofes de Lisboa onde vivem os pobres e necessitados que necessitam de trabalhar para ganhar o salário mínimo, que tem de usar os transportes públicos porque não tem outro meio de deslocação… mas pouco ou nada se fala de Lisboa e de Sintra… E depois vemos na TV dizer que os transportes públicos estão com taxas de ocupação média de 30%, isto é, andam cheios nas horas de ponta e vazios no resto do dia. Feita a média a taxa de ocupação é baixa logo não é preciso fazer nada pelos utilizadores…
    E agora com a abertura das praias a sul vamos ver os lisboetas ricos e cultos rumar a sul e daqui a 15 a 20 dias vamos ver o ser a subir exponencialmente nos números de novos casos…
    Enfim…

RESPONDER

Cientistas criam algoritmo para identificar covid-19 a partir do som da tosse

Investigadores de vários países criaram um algoritmo que afirmam poder identificar se uma pessoa tem covid-19 a partir do som da sua tosse. Cientistas do México, Estados Unidos, Espanha e Itália, liderados por uma equipa do …

Para proteger o fundo do mar, novo sistema permite atracar vários barcos com uma só "âncora"

Quando vários barcos se amontoam numa enseada durante a noite, cada um deles lança uma âncora que pode potencialmente danificar os corais e a vida marinha no fundo do mar. O sistema Seafloat foi criado …

Japão e Estados Unidos assinam acordo de cooperação para exploração da Lua

O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão e a agência espacial dos Estados Unidos (NASA) assinaram um acordo de colaboração entre os dois países no programa Artemis, para a exploração da …

Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte. Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma …

Flores precisaram de cerca de 50 milhões de anos para se tornarem o que são hoje

As plantas com flor evoluíram há cerca de 100 milhões de anos, mas precisaram de outros 50 milhões de anos para diversificar e tornarem-se aquilo que são hoje, sugere uma equipa de investigadores. Os cientistas documentaram …

Estudo sugere que imunidade à covid-19 pode desaparecer em poucos meses

A imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer em alguns meses, o que poderá complicar o desenvolvimento de uma vacina eficaz a longo prazo, sugere um estudo britânico divulgado esta segunda-feira. "Este …

60 anos depois, já se sabe o que aconteceu aos 9 russos que desapareceram na Montanha da Morte

Passados 61 anos, o mistério da morte de nove esquiadores russos que faziam uma caminhada pelos Montes Urais, perto da chamada Montanha da Morte, foi finalmente resolvido. Em 1959, nove viajantes russos que faziam uma caminhada …

Médicos Sem Fronteiras é "institucionalmente racista", acusam atuais e ex-colaboradores

Uma declaração assinada por mil atuais e ex-funcionários revela que a Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) é "institucionalmente racista" e reforça o colonialismo e a supremacia branca no trabalho humanitário que pratica. Na …

Empresa culpada pela crise de opioides fez contribuições políticas após declarar falência

A Purdue Pharma, empresa culpada pela crise de opioides nos Estados Unidos, fez contribuições políticas após ter sido processada e declarado falência. Os opioides são usados para aliviar a dor, mas também provocam uma sensação exagerada …

Norte-americano morre após ir a festa para provar que a covid-19 é uma farsa

Um norte-americano de 30 anos, de San Antonio, no estado do Texas, morreu de covid-19 depois de ir a uma festa para provar que a doença era uma farsa, informou a media local. O homem foi …