Costa aceita pedido de reunião urgente da Ordem dos Médicos

Manuel Farinha / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, na cerimónia de inauguração do novo Serviço de Internamento do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia-Espinho

O primeiro-ministro vai reunir-se com a Ordem dos Médicos na terça-feira de manhã, disse à Lusa fonte do gabinete de António Costa, depois de aquela entidade ter hoje solicitado uma audiência urgente com o chefe do Governo.

Em comunicado divulgado hoje de manhã, a OM solicitava, com caráter de urgência, uma audiência ao primeiro-ministro e considerava ofensivas as declarações de António Costa numa conversa privada com jornalistas do jornal Expresso.

Contactado pela Lusa sobre este pedido de reunião, o gabinete do primeiro-ministro respondeu que a mesma foi marcada para terça-feira de manhã, não tendo sido, por enquanto, divulgadas horas, nem se haverá declarações no final do encontro.

No comunicado, a OM considera que as afirmações de António Costa “independentemente de serem proferidas de forma pública ou em privado, traduzem um estado de espírito ofensivo para os médicos e um sentimento negativo por uma classe profissional”.

Em causa está um pequeno vídeo, de sete segundos, que circula nas redes sociais, que mostra António Costa numa conversa privada com jornalistas alegadamente chamando “cobardes” aos médicos envolvidos no caso do surto de covid-19 em Reguengos de Monsaraz, que matou 18 pessoas.

“Declarações ofensivas para todos os médicos e para os doentes que precisam de nós, sobretudo os mais vulneráveis, são um mau serviço dos governantes ao país, e em nada contribuem para a necessária união num momento de pandemia”, sublinha a OM.

Em entrevista ao semanário Expresso, cuja primeira parte foi publicada no sábado, o primeiro-ministro assumiu que houve falhas na situação que envolveu o lar de Reguengos de Monsaraz, mas reforçou que a instituição “é de uma fundação privada” e que, “quando foi alertado, o Estado reagiu imediatamente”.

Costa reiterou que mantém confiança na ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, que tem sido criticada, e disse depois: “Não acordámos agora por causa do relatório de uma entidade [Ordem dos Médicos] que não tem competência legal para fazer esse estudo.”

Sobre esta contestação à legitimidade para fazer uma auditoria ao cuidados prestados no lar de Reguengos, a Ordem refere que é uma associação pública profissional à qual são permitidas realizar auditorias aos cuidados clínicos prestados em unidades de saúde ou outras.

O estatuto da OM “contempla um Conselho Nacional (…) para realizar auditorias da qualidade no território nacional, como foi o caso da auditoria aos cuidados clínicos prestados aos utentes do Lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva, em Reguengos de Monsaraz”, escreve a Ordem, sublinhando as colaborações que faz com hospitais e unidades do Serviço Nacional de Saúde, Administrações Regionais de Saúde, Entidade Reguladora de Saúde, Direção-Geral da Saúde e com o Ministério da Saúde.

De acordo com o comunicado, a auditoria ao lar surgiu depois de várias queixas por parte da sub-região de Évora da Ordem, do Conselho Regional do Sul e do bastonário, “sobre a falência do cumprimento das normas emitidas pela DGS na prestação de cuidados de saúde aos idosos” do referido lar, “que foram ignoradas pelas autoridades competentes”.

A Ordem insiste que os médicos de família nunca se recusaram a colaborar e continuaram a cuidar e tratar dos idosos doentes, estando o seu trabalho devidamente documentado.

“Os últimos meses, com a pandemia da covid-19, confirmaram a qualidade dos médicos Portugueses e a sua coragem e espírito de sacrifício, arriscando a sua vida para salvar os doentes, perante um vírus novo, mesmo com a inicial incompreensível falta de equipamentos de proteção individual e outros meios adequados. Deixámos para trás as nossas famílias e conseguimos colocar Portugal como um bom exemplo no tratamento a estes doentes, com uma taxa de letalidade que compara muito bem a nível internacional”, lê-se na nota.

Ordem diz que “não houve recusa dos médicos”

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, assegurou hoje que não houve “nenhuma recusa” por parte dos médicos de família do centro de saúde para tratar os doentes com covid-19 em Reguengos de Monsaraz.

“Não houve recusa dos médicos que estavam no centro de saúde, isso tem de ficar claro. Os médicos de família protestaram e, alguns de forma veemente e bem, porque não tinham as condições adequadas para tratar daqueles idosos”, afirmou o bastonário.

Miguel Guimarães, que falava aos jornalistas depois de uma reunião com o presidente da União das Misericórdias Portuguesas, no Porto, adiantou ainda que a auditoria feita pela Ordem dos Médicos foi legal e autorizada pelo Ministério Público.

“Não quero continuar a alimentar essa polémica, a auditoria foi legal, foi aceite pelo Ministério Público e pela Ordem dos Advogados”, garantiu.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Face ao panorama Dantesco relatado, o que se passou nesta Instituição é um caso de Policia. Ao ponto que chegou esta situação, foi culpa de vários responsáveis, sobretudo Direcção do Estabelecimento, Autoridades Locais Locais, ARS, C.M, Médicos “que segundo se sabe viram a inadmissível realidade” e (nada), DGS, e uma infeliz declaração em “Off” não autorizada que veio a Publico. Agora com tantos “protagonistas”, mesmo se vai a Tribunal, vai ser mais um (méga-processo) sem fim a vista. E em período pré Eleitoral, a Politica suja está activa ………….. como de habito !

RESPONDER

Nação Cherokee pede à Jeep que deixe de usar o nome da tribo nos seus carros

"É hora de a Jeep reconsiderar chamar os seus SUVs Cherokee e Grand Cherokee". Pela primeira vez, a tribo norte-americana Nação Cherokee pediu diretamente à Jeep para parar de usar o seu nome nos seus …

PCP quer apoios a 100% para pais "imediatamente e com efeitos retroativos"

O secretário-geral do PCP pediu ao Governo, este sábado, apoios a 100% para os trabalhadores que estão em casa com os filhos, pagos "imediatamente e com efeitos retroativos", e defendeu um plano de desconfinamento "setor …

Naufrágio grego que levava partes do Partenon está a revelar os seus segredos

A última expedição de mergulhadores ao navio grego Mentor, que naufragou perto da ilha Citera em 1802, recuperou várias peças do cordame, moedas, a sola de couro de um sapato, uma fivela de metal, uma …

Chega vai reagir "muito veementemente" na rua à tentativa de ilegalização

O líder do Chega disse, este sábado, que o partido vai responder "muito veementemente" e com "presença na rua", já em março, à tentativa de ilegalização da estrutura promovida por Ana Gomes. "Quero deixar claro aqui, …

Procura-se candidato para dormir. Site oferece 1650 euros e uma noite num resort

Este pode ser, literalmente, um emprego de sonho: fazer dinheiro enquanto se dorme, incluindo uma noite num resort de 5 estrelas. O site Sleep Standards, que se dedica a dar informação sobre pesquisas e produtos relacionados …

Catarina Martins faz apelo a Costa. "Moratórias têm de ser estendidas já"

A coordenadora do Bloco de Esquerda fez um apelo direto ao primeiro-ministro, este sábado, para que não espere que "seja tarde demais" e decida já estender as moratórias, evitando assim uma vaga de despejos e …

Toronto apresenta providência cautelar contra projeto que constrói "casas" para os sem-abrigo

Um carpinteiro canadiano decidiu construir abrigos para as pessoas que vivem nas ruas de Toronto. A autarquia considerou que são perigosos e apresentou uma providência cautelar. De acordo com a empresa de media Vice, Khaleel Seivwright, carpinteiro …

Trinta anos depois, MI6 pede desculpa por ter banido espiões gays

Richard Moore pediu desculpa " pela forma como colegas e concidadãos LGBT+ foram tratados", tendo-lhes sido negada a oportunidade de servir o país no MI6. O chefe do MI6, o serviço secreto de inteligência do Reino …

Já foram administradas 837.887 vacinas em Portugal

Um total de 837.887 vacinas contra a covid-19 foram administradas em Portugal desde 27 de dezembro, quando foi dada a primeira dose, indicou o Ministério da Saúde este sábado. Num comunicado de balanço do processo de …

Pintura de Van Gogh de Paris nunca antes vista exibida pela primeira vez

Uma pintura de Vincent Van Gogh de uma rua de Paris foi exposta pela primeira vez depois de passar mais de 100 anos "escondida" pelos seus proprietários. Uma cena de rua em Montmartre, em Paris, pertenceu …