Só pela profissão, professores “não são grupo de risco”

Manuel De Almeida / Lusa

Graça Freitas reconheceu a importância dos professores “para o funcionamento do país”, mas rejeitou considerá-los um grupo de risco esta sexta-feira.

Os professores não são considerados um grupo de risco que deva ser integrado entre as prioridades de vacinação contra a covid-19 somente pelo critério de atividade profissional, defende a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas.

“Independentemente de serem trabalhadores em escolas, são pessoas com determinado grupo etário e determinados fatores de risco. Portanto, serão vacinados de acordo com esse risco, uma vez que pela profissão não têm um risco acrescido”, afirmou, numa audição por videoconferência na Comissão Eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia e do processo de recuperação económica e social.

Questionada pela deputada do PAN Bebiana Cunha sobre a eventual priorização da vacina ao pessoal docente e não docente, face à manutenção da atividade letiva presencial no novo confinamento decretado pelo Governo devido ao agravamento da pandemia em Portugal nas últimas semanas, a diretora-geral da Saúde reconheceu a importância destes profissionais “para o funcionamento do país”, mas rejeitou considerá-los um grupo de risco.

“O seu risco na comunidade poderá ser maior do que o risco no exercício da profissão, uma vez que lidam com um grupo etário que não transmite muito a doença. Só pela profissão não são um grupo de risco”, observou, acrescentando que a operacionalização da testagem em escolas “é da responsabilidade das cinco ARS [Administrações Regionais de Saúde], em conjunto com os ACES [Agrupamentos de Centros de Saúde]”.

Graça Freitas rebateu ainda críticas a uma suposta indefinição em torno da política de critérios de seleção das escolas para testagem à covid-19, assegurando que “a DGS deposita total confiança nas capacidades das ARS e ACES de se organizarem e de tratarem da aplicação destas estratégias”, enaltecendo a “responsabilidade” e “sofisticação” destas entidades para levar a cabo esse processo.

Já sobre a capacidade de testagem nacional, a diretora-geral da Saúde assegurou não ter conhecimento “de constrangimentos no fornecimento e acesso aos testes”, embora tenha reconhecido “incidências bastantes elevadas” da pandemia nos últimos dias.

A diretora foi secundada pelo diretor de serviços de Informação e Análise da DGS, André Peralta, que revelou que a taxa de positividade dos testes situa-se agora em 18%, sem deixar de notar que o “número absoluto de testes tem vindo sempre a crescer” e que a capacidade tem sido elástica e irá continuar a aumentar”, pelo que a “positividade irá diminuir” no futuro.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Esta bécula é a tal que ficou triste no primeiro confinamento porque alguém iria ter que cuidar da netinha.
    Um professor que está, em média, 5 horas num ambiente de trabalho com, também em média, 25 alunos, num espaço praticamente fechado de 20m2 não é, claramente, uma profissão de risco.

  2. Por muita consideração que tenha por si, e tenho, Srª Drª Graça Freitas, lamento ter de lhe dizer que Vª Exª não faz ideia do que é ser professor, designadamente do ensino não superior.
    É natural, não a culpo por isso. Mas não lhe fica bem falar do que desconhece.

    • Sou professor do Ensino Superior. Os anfiteatros são grandes, mas os alunos superam a lotação máxima. Para sala com uma capacidade para setenta pessoas, existem oitenta alunos (exemplo). Que miséria… os professores são, sim, heróis, tal como os médicos e enfermeiros.

        • Quem deixa? O governo. Que eu saiba, os professores não querem estar sob o jugo da miséria, mas parece que você é da esquerdalhada e, portanto, quer tudo aberto para matar o povo. Sim, senhor. Muitos parabéns!! 😉

          • Parabéns, senhor professor. É aquilo que eu penso, precisamente. Nós, estudantes universitários, devíamos estar em casa, pelo menos, este mês de janeiro.

            • Sou de um grupo de risco. Já tenho cinquenta e quatro anos, e bronquite.
              O governo trata bem das pessoas. À moda das avessas.

  3. Tive uma professora que nunca vi presencialmente. Ficou em Braga a dar aulas, e eu sou de Lisboa, onde permaneço!!!! Um dos testes foi presencial, e a professora nem estava na sala de aula quando o mesmo foi aplicado a todos os alunos.
    Porquê? Porque tinha asma, e bronquite e outros problemas. Não ia pôr em risco a sua saúde para vir a uma cidade confusa como Lisboa, dar duas aulas por semana, e bazar.
    Agora, questiono a DGS: qual é a competência deste órgão estéril (o mesmo) para estar a afirmar que a profissão de docente não implica riscos? Os alunos andam por aí, contactam com milhares de pessoas por dia, podem ter o vírus, e transmiti-lo aos professores, alguns com idades superiores a sessenta anos, e não há risco…???!!! Miséria! Miséria!
    Alguém tem consciência?

RESPONDER

Covax permite que países mais pobres comecem a receber a vacina (mas só garante 20% da vacinação)

A Covax visa fornecer vacinas contra a covid-19 a 20% da população de 200 países e territórios que estão incluídos no sistema através de um sistema de financiamento que permite a 92 economias de baixo …

Reino Unido vacinou 20 milhões com 1.ª dose. País deteta casos de variante de Manaus

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, anunciou no domingo que mais de 20 milhões de pessoas no Reino Unido já receberam a primeira dose da vacina contra covid-19. "Estou absolutamente encantado por informar que mais …

Famílias numerosas já podem pedir desconto no IVA da luz

As famílias com cinco ou mais elementos podem pedir a redução do IVA da eletricidade ao seu fornecedor a partir desta segunda-feira e têm de comprovar a sua condição de família numerosa. Em causa está a …

Netflix foi a grande vencedora da noite dos Globos de Ouro

  A 78.ª edição dos Globos de Ouro decorreu de forma virtual, com apresentação de Tina Fey e Amy Poehler e a participação de alguns dos laureados do ano passado. Os Globos de Ouro, prémios de cinema …

Portugal regista mais 34 óbitos e 394 novos casos. O menor número desde setembro

Portugal registou esta segunda-feira 394 novos casos de infeção por covid-19 e mais 34 mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), nas …

Nicolas Sarkozy condenado a três anos de prisão por corrupção

Nicolas Sarkozy foi esta segunda-feira condenado a três anos de prisão por corrupção e tráfico de influências, tornando-se o segundo chefe de Estado condenado em França, após Jacques Chirac em 2011. O ex-Presidente francês foi condenado …

Câmara de Lisboa oferece viagem de táxi a idosos que vão tomar a vacina

Os residentes em Lisboa com mais de 80 anos ou 50 anos e patologias associadas podem deslocar-se gratuitamente de táxi para tomar a vacina contra a covid-19. Os custos da viagem são assumidos pela autarquia …

Liquidez é "abundante" mas "é preciso fazê-la chegar" à economia, diz Centeno

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, indicou que a crise de 2008 e de 2020 não são comparáveis devido à abundância de dinheiro disponível e que há liquidez para travar o impacto económico, mas …

Chega quer telefone e Internet pagos aos trabalhadores do Estado em teletrabalho

O Chega entregou no Parlamento, este domingo, um projeto de resolução no qual recomenda ao Governo que dê "o exemplo" e pague as despesas de telefone e Internet aos trabalhadores do Estado que estão em …

Governo quer que progressões na Função Pública passem a ser anuais

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, admitiu propor aos sindicatos um alongamento da tabela remuneratória da função pública e criar progressões anuais. Em entrevista ao Diário de Notícias e Dinheiro …