Contra a vontade da Ordem, estudantes de enfermagem já fazem inquéritos epidemiológicos

Já há estudantes de enfermagem a realizar inquéritos epidemiológicos da covid-19, cerca de duas semanas depois desta medida ter sido anunciada pela Direção-Geral da Saúde para reforçar estas equipas.

De acordo com o jornal online ECO, cerca de 15 dias depois de a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, ter anunciado que estudantes finalistas de enfermagem iam reforçar as equipas que realizam os inquéritos epidemiológicos da covid-19, já há alunos a fazer rastreios.

É o caso de vários estudantes da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (ESEL): alguns já estão no terreno, enquanto outros ainda estão a receber formação na Região de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT).

“A ESEL está a articular com a ARSLVT e os seus ACES [Agrupamento de Centros de Saúde] no sentido de que os estudantes, a realizar Ensino Clínico nos ACES desta região de saúde, possam colaborar na realização de inquéritos epidemiológicos, de forma integrada, nas suas atividades de estágio, havendo já várias situações em que essa colaboração está a acontecer”, confirmou ao jornal digital fonte oficial desta escola.

Na altura em que esta medida foi anunciada, a Ordem dos Enfermeiros (OE) manifestou, desde logo, a sua “frontal oposição”, alegando que existem centenas de enfermeiros desempregados que poderiam ocupar estes lugares.

“Em apenas três dias, os primeiros dados deste inquérito, que continua em curso, mostram que há, pelo menos 412 enfermeiros desempregados com disponibilidade imediata, dos quais 300 nunca foram contactados e cerca de 100 recusaram as atuais condições contratuais oferecidas pelas instituições, nomeadamente os contratos de apenas quatro meses, situação para a qual a OE tem vindo a alertar”, defendeu em comunicado.

Na mesma nota, a OE defendeu que “a situação epidemiológica em que nos encontramos exige que o Governo defina uma estratégia para a Enfermagem em Portugal, na qual se contemplem medidas de valorização profissional, com vista à fixação dos mesmos e que incentivem o regresso dos milhares de profissionais que se encontram emigrados, depois de em 2019 mais de quatro mil profissionais, o maior número de sempre, ter solicitado declarações para exercício profissional no estrangeiro”.

Tal como recorda o ECO, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, foi questionado sobre o assunto na semana passada, tendo explicado que a bastonária desta Ordem, Ana Rita Cavaco, já disponibilizou ao Governo “uma bolsa ao nível de profissionais de saúde e enfermagem”, que serão “com certeza” utilizados pelo Executivo, tal como “outros segmentos profissionais”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Acho bem ajuda-os aformarem-se mas que o governo não se esqueça que os alunos de enfermagem não são escravos devem de ser pagos pelo trabalho que prestam há Sociedade.

RESPONDER

Suécia 1-0 Eslováquia | Isak carrega nórdicos às costas

A Suécia deu hoje um passo de ‘gigante’ rumo aos oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer a Eslováquia por 1-0, em encontro da segunda jornada do Grupo E, disputado em São Petersburgo. Depois …

Ex-CEO da Groundforce admite hipótese de comprar a empresa

O ex-CEO da Groundforce, afastado do cargo em abril por "violação grave dos deveres de lealdade", não exclui a hipótese de vir a comprar a empresa de handling. Em declarações ao jornal online ECO, Paulo Neto …

Viatura onde seguia Eduardo Cabrita atropela uma pessoa na A6

Esta sexta-feira, um homem morreu após ter sido atropelado pelo automóvel em que seguia o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, num acidente na autoestrada A6. Numa nota enviada às redações, o Ministério da Administração Interna …

Portugal com mais 1.298 casos e quatro mortes

Esta sexta-feira, Portugal registou 1.298 novos casos e quatro mortes na sequência da infeção por covid-19. Segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), foram registados, nas últimas 24 horas, mais 1.298 casos e …

Parlamento aprova prorrogação das moratórias bancárias até final do ano

O alargamento aplica-se aos "particulares e para as empresas que desenvolvem a sua atividade em setores especialmente afetados pela pandemia de covid-19". O Parlamento aprovou, esta sexta-feira ,a prorrogação e alargamento das moratórias bancárias, que terminavam …

Tribunal belga obriga AstraZeneca a entregar 50 mihões de doses de vacina à UE

A AstraZeneca vai ter que entregar 50 milhões de doses da vacina para a covid-19 à União Europeia. A entrega deve ser efetuada até 27 de setembro. A justiça belga ordenou, esta sexta-feira, à farmacêutica …

"Dois terços dos problemas estão na Área Metropolitana de Lisboa", justifica Costa

O primeiro-ministro, António Costa, justificou esta sexta-feira a necessidade de tomar medidas localizadas em Lisboa para evitar que o agravamento da situação epidemiológica se alastre.  Em Bruges, na Bélgica, à margem da sessão de encerramento do …

CDS critica “enorme infelicidade” do Presidente e "comunicação desastrosa" do Governo

O CDS-PP criticou hoje as declarações do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, quando disse que no que depender dele não haverá "volta atrás" no desconfinamento, considerando-as de “uma enorme infelicidade”, lamentando também a …

Astronautas entraram pela primeira vez na nova estação espacial chinesa

Três astronautas chineses começaram, esta sexta-feira, a fazer da nova estação espacial da China o seu lar, um dia depois de ali terem chegado, num lançamento bem-sucedido, que marcou um novo avanço no ambicioso programa …

Homicida de Bruno Candé tinha plena consciência dos seus atos. MP quer 22 anos de prisão

Evaristo Marinho, o homicida de Bruno Candé, tinha plena consciência dos seus atos quando cometeu o crime, lê-se no relatório do Instituto Nacional de Medicina Legal. O Ministério Público quer 22 anos de prisão. O Ministério …