Vacina da Janssen deverá ser aprovada na Europa a 11 de março. Imunizante só requer uma toma

Vasco Célio / Lusa

A Agência Europeia do Medicamento convocou uma reunião extraordinária para concluir a avaliação da vacina à covid-19 da multinacional Janssen, com vista a colocá-la rapidamente no mercado.

Neste sentido, espera-se que haja mais uma vacina contra a covid-19 que deverá começar a ser utilizada a curto prazo na União Europeia.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) comunicou no seu site que convocou uma reunião extraordinária para 11 de março próximo, com o objetivo de “concluir a avaliação, se possível”, do imunizante desenvolvido pela Johnson & Johnson, que pertence à multinacional Janssen.

A EMA irá rever todas as informações sobre a vacina comunicadas pela Johnson & Johnson, com vista a dar luz verde e a colocar o imunizante rapidamente no mercado, pondo-o à disposição dos diversos países.

A vacina da Johnson tem sido aguardada com expectativa, uma vez que, ao contrário das outras, é tomada numa única dose, além de apresentar outras vantagens, como dispensar condições especiais de armazenamento a temperaturas baixas e controladas, podendo ser guardada num frigorífico doméstico sem se danificar.

Ursula von der Leyen já adiantou que está tudo a postos para autorizar o imunizante logo que a EMA dê o parecer científico positivo.

A expectativa é a de que, após aprovação da EMA, a vacina da Johnson possa começar a chegar aos países europeus pronta a ser ministrada à população no final de março ou no início de abril.

Ainda assim, a Autoridade Europeia do Medicamento tem sido fortemente criticada pela demora na concessão de luz verde para as novas vacinas contra a covid-19. A Comissão Europeia diz que todas as alternativas devem ser discutidas, assim os estados-membros queiram fazê-lo, avança o Expresso.

No entanto, a União Europeia tem defendido os prazos de análise e aprovação da EMA, argumentando que a segurança dos seus cidadãos não pode ser posta em causa. Um dos grandes “senãos” das autorizações de emergência, quando concedidas por um Estado-membro, é implicarem a responsabilização desse mesmo Estado caso algo corra mal na administração.

Merck vai ajudar a produzir vacina da Johnson & Johnson

A farmacêutica Merck vai ajudar a produzir a vacina contra a covid-19 da empresa rival Johnson & Johnson, avançou um funcionário do Governo dos EUA.

A decisão ocorre numa altura em que as autoridades sanitárias norte-americanas tentam acelerar a produção de doses desta vacina de dose única, recentemente aprovada pela agência de regulação dos medicamentos nos Estados Unidos (CDC).

As autoridades sanitárias norte-americanas dizem que a Johnson & Johnson enfrentou problemas inesperados na produção da sua vacina, tendo sido capaz de disponibilizar até agora apenas 3,9 milhões de doses.

A empresa diz que está preparada para entregar mais 100 milhões de doses até ao final de junho.

Com a ajuda da gigante farmacêutica Merck, a Johnson & Johnson deve conseguir cumprir os seus compromissos de produção e expandir ainda mais o fornecimento das vacinas.

  Ana Isabel Moura, ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Rorhwerk, o maior instrumento musical do mundo

Rohrwerk, uma obra de arte efémera, é a maior "fábrica do som" do mundo

Uma espécie de "pavilhão do som". Alunos da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, criaram um novo instrumento musical, o maior alguma vez construído. Com 45 metros de altura, a obra de arte imponente …

Costa já pediu desculpas às confederações patronais. "Houve um lapso"

O primeiro-ministro afirmou, esta sexta-feira, que já apresentou um pedido de desculpas às confederações patronais por o Governo ter aprovado duas medidas na área do trabalho sem antes as ter apresentado em Concertação Social. À chegada …

Luxemburgo torna-se o primeiro país da Europa a legalizar o cultivo e consumo de canábis

O Governo luxemburguês anunciou, esta sexta-feira, que o país será a primeira nação do Velho Continente a legalizar o cultivo e o consumo de canábis. De acordo com a nova legislação, explica o jornal The …

Prisão preventiva para suspeitos da morte de jovem no metro das Laranjeiras

Os quatro suspeitos da morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, ficaram em prisão preventiva, depois de presentes a primeiro interrogatório judicial. Os quatro arguidos, com idades entre os …

Cristiano vs. Salah: Klopp não queria comparar mas comparou

Treinador do Liverpool não acredita que vai encontrar um adversário debilitado: "Eles são capazes de fazer coisas incríveis". É o grande jogo de futebol no Reino Unido e um dos mais aguardados em todos os países: …

Bastonário dos Médicos considera direção executiva do SNS "um disparate"

O bastonário da Ordem dos Médicos considera que a criação da direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, proposta no Estatuto do SNS aprovado esta quinta-feira, é "um disparate" e que há estruturas que podem …

João Leão no Parlamento: "A alternativa é um Orçamento apresentado pelo PSD"

O ministro das Finanças afirmou, esta sexta-feira, na Assembleia da República, que a alternativa à viabilização à esquerda da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) é um Orçamento feito pelo PSD. "A alternativa que …

Mais de 30 mil mulheres polacas recorreram a métodos de aborto ilegais ou no estrangeiro desde a alteração na lei

Proibição à interrupção voluntária da gravidez entrou em vigor no início deste ano e as  exceções só se aplicam a casos de violações, incestos ou quando a saúde da mãe está em risco. Pelo menos 34 …

Fenprof anuncia nova greve no dia 12 e concentração em frente ao Parlamento

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou, esta sexta-feira, a realização de uma concentração em frente à Assembleia da República no dia 5 de novembro e a adesão à greve nacional da Administração Pública marcada …

Luis Díaz será a prioridade do Newcastle

Valor de mercado será agora inacessível para os clubes italianos, escreve-se... em Itália. O novo Newcastle deverá atacar o mercado do futebol com estrondo, possivelmente já daqui a pouco mais de dois meses, e a prioridade …