/

Vacina da Johnson & Johnson considerada eficaz pelos Estados Unidos

1

O regulador norte-americano, a Food and Drug Administration, aprovou a vacina produzida pela Johnson & Johnson para utilização de emergência em todo o país.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A vacina de dose única da Johnson & Johnson contra a covid-19 foi considerada eficaz pela Agência Americana dos Medicamentos, segundo documentos divulgados dois dias antes da reunião do comité consultivo para examinar a utilização de emergência nos Estados Unidos.

A eficácia da vacina é de 85,9% contra as formas graves da doença nos Estados Unidos e é igualmente eficaz contra essas formas graves em 81,7% na Àfrica do Sul e 87,6% no Brasil, avança a Agência France Presse (AFP).

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) recebeu na passada semana o pedido para a autorização da comercialização condicionada mesma vacina, prevendo emitir um parecer final em “meados de março”.

“A EMA recebeu uma candidatura para uma autorização da comercialização condicional para a vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Janssen-Cilag International N.V.”, anunciou a agência europeia em comunicado.

O comité de medicamentos de uso humano (CHMP) da EMA irá agora proceder à avaliação da vacina, e deverá emitir um parecer final sobre a comercialização da vacina no mercado europeu em “meados de março”, desde que os dados fornecidos pela farmacêutica sejam “suficientemente abrangentes e robustos” no que se refere à “eficácia da vacina, à sua qualidade e segurança”.

“A EMA está agora a avaliar os dados adicionais sobre a eficácia e a segurança da vacina, assim como a sua qualidade. Se a EMA concluir que os benefícios superam os riscos, irá recomendar uma autorização para a comercialização condicional”, sublinha.

O processo expedito de avaliação da vacina é possível, segundo a agência, porque a EMA “já recebeu dados” da farmacêutica durante o processo de revisão contínua da mesma vacina, que tinha sido iniciado em dezembro de 2020.

Caso a EMA emita um parecer favorável à vacina da Johnson & Johnson, caberá depois à Comissão Europeia emitir “uma decisão” sobre a comercialização da vacina em todos os Estados-membros da União Europeia (UE).

O presidente do Infarmed já anunciou que Portugal deve receber no segundo trimestre do ano as primeiras vacinas da Johnson & Johnson.

PUBLICIDADE

  // Lusa

1 Comment

  1. os russos discordam, dizem que a única eficaz é a deles já os chineses acham que tanto americanos como russos são uns aldrabões porque só há uma vacina capaz de dar combate à pandemia é a CanSino que por acaso é chinesa, aguarda-se a reacção da Índia mas não deve divergir muito das outras. Perante tudo isto o visado vai-se divertindo fazendo umas cócegas àqueles que em nada contribuíram para esta situação levando-os por vezes ao colapso tal não é o empenho que ELE coloca nos carinhos que lhe administra e não tem sido poucos.Já tivemos várias versões do dito e esperamos que não seja da estirpe do R5, Corsa etc. que ainda hoje por aí andam tendo começado no tempo em que os motores faziam o arranque com petróleo já vão na versão EV e parece-me que não ficam por aí.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.