COVID: Portugal no top-8 das medidas mais suaves na UE

Recorde de infecções diárias não justifica medidas mais severas. Taxa de vacinação continua a ser uma das mais elevadas.

Quarta-feira, 12 de Janeiro: registados 40.134 casos positivos de coronavírus em Portugal. No dia anterior, terça-feira: 40.945 novos casos. Os dois números diários mais elevados de sempre em território luso.

O outro lado do relatório diário da Direcção-Geral da Saúde mostra que o número de falecimentos por causa da pandemia continua estável: foram 22 nesta quarta-feira.

O recorde de casos positivos não originou medidas severas. Aliás, Portugal é o oitavo país com medidas de restrição mais suaves na União Europeia.

Os dados de Dezembro de 2021 foram recolhidos pela Universidade de Oxford, seleccionados pelo jornal Público, e são quase o oposto do que aconteceu ao longo de 2020, quando Portugal foi o país da União Europeia com medidas mais severas relacionadas com a pandemia.

Esta tabela de medidas severas elaborada pela universidade inglesa baseia-se em dados do portal Our World in Data. Foram analisadas medidas como ficar em casa, escolas encerradas, restrições relacionadas com ajuntamentos, movimentação dentro do país e em transportes públicos, controlo de viagens internacionais e campanhas informativas.

Portugal registou um índice de 40,74 – sendo que 0 é o valor mais baixo, para um país sem qualquer restrição, enquanto 100 é o valor mais alto, para um país completamente “fechado”.

Na altura das festas, Natal e Ano Novo, Portugal foi igualmente um dos países na União Europeia no qual foram adoptadas menos restrições.

A taxa de vacinação em Portugal, como já se sabia, é a mais alta na União Europeia (e uma das mais elevadas em todo o planeta), algo que tem dado alguma margem às autoridades portuguesas para não condicionarem mais o dia-a-dia dos habitantes.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.