Governo vai ajustar regras do teletrabalho (e estuda prolongamento do lay-off)

José Sena Goulão / Lusa

O teletrabalho é obrigatório sempre as funções desempenhadas o permitam até 31 de maio. Findo esse período, o regime passa a ser regido pelas regras habituais. Porém, o Governo está a estudar ajustar essas regras.

Até 31 de maio, o teletrabalho é obrigatório sempre as funções desempenhadas por um trabalhador o permitam. Porém, a partir do próximo mês, com o arranque da terceira fase de desconfinamento, o regime passará a ser regido pelas regras habituais que exigem um acordo entre a empresa e o funcionário.

O plano de desconfinamento permite que as empresas adotem modalidades de teletrabalho: mantendo ou intercalando dias ou semanas de teletrabalho com a presença física nos edifícios das empresas, através de escalas e horários adaptados.

De acordo com o Jornal de Negócios, muitos trabalhadores já começaram a regressar às empresas, sendo que muitas planeiam voltar à normalidade a partir de junho e nem todas planeiam deixar o teletrabalho a 100%.

Segundo a legislação, “entre as entidades patronais e os trabalhadores deverá haver um acordo sobre o acesso ao teletrabalho”. No entanto, o primeiro-ministro António Costa legislou em sentido contrário, mantendo que “o regime de prestação subordinada de teletrabalho pode ser determinado unilateralmente pelo empregador ou requerida pelo trabalhador, sem necessidade de acordo das partes”.

Este diploma previa a dispensa de acordo entre a empresa e o trabalhador. Porém, de acordo com o jornal Público, a norma tem de ser vista em conjunto com outra até 31 de maio, uma vez que a resolução do Conselho de Ministros que prolongou a declaração indica que o teletrabalho é obrigatório se esta modalidade for compatível com as funções.

Assim, segundo o Público, o Governo pretende agora rever a legislação.

Prolongamento do lay-off está a ser estudado

Mais de 64 mil empresas já requereram a renovação do regime de lay-off simplificado. O número corresponde a 76% das 85.591 empresas que, até 20 e abril, tinham dado entrada com o requerimento para o apoio e puderam realizar a sua renovação.

De acordo com o semanário Expresso, o Governo está a estudar o prolongamento do lay-off há semanas.

No Parlamento, a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, referiu que, ao todo, mais de 110 mil empresas já requereram o apoio. Do total de 99 mil pedidos que deram entrada nos serviços da Segurança Social durante o mês de abril, “90 mil já foram processados ou pagos, num total de 284 milhões de euros, abrangendo 735 mil trabalhadores e num tempo médio de 16 dias”. Nos restantes casos as empresas estão a ser contactadas para corrigir erros nos processos.

Questionada sobre as múltiplas denúncias de erros e atrasos nos processos, a ministra disse que “ninguém estava preparado” para um cenário global desta natureza e que foi preciso criar mecanismos de apoio sem os quais “não haveria condições para a manutenção dos postos de trabalho”. Foi também preciso recorrer a processos informáticos que permitissem validar automaticamente os pedidos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Construtiva" e "sem animosidades". Cimeira entre Biden e Putin termina mais cedo do que previsto

A cimeira entre Vladimir Putin e Joe Biden chegou ao fim mais cedo do que se previa. Os presidentes optaram por conferências de imprensa em separado, e o primeiro a falar foi o Presidente russo. Os …

Euro 2020: seleções da casa em desvantagem na primeira jornada

Nove seleções jogaram no seu país, até agora. Mas somente três ganharam o respetivo jogo. Portugal contribuiu para estragar as festas caseiras. Num Europeu estranho e inédito, que decorre em muitos países, muitas seleções jogam em …

Tribunal europeu condena Portugal a indemnizar recluso por falta de internamento psiquiátrico

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos condenou o Estado português a pagar uma indemnização de 14 mil euros a um recluso por ter cumprido pena de prisão sem internamento psiquiátrico a que tinha sido condenado. A …

França acaba com máscara no exterior (e Espanha vai pelo mesmo caminho)

Em França, o uso de máscara na rua deixa de ser obrigatório a partir de quinta-feira. Espanha deverá seguir o mesmo caminho "em breve". O uso de máscara no exterior deixa de ser obrigatório em França …

Swissport em Lisboa para tentar comprar a Groundforce

O acionista maioritário da Groundforce, que está a tentar vender a sua participação na empresa de handling, encontra-se agora a negociar com os suíços da Swissport. Depois de o fundo espanhol Atitlan se ter afastado e …

BdP prevê taxa de desemprego de 7,2% e crescimento económico de 4,8%

O Banco de Portugal (BdP) prevê que a taxa de desemprego atinja 7,2% em 2021, recuando para 7,1% em 2022 e 6,8% em 2023, e que o emprego cresça 1,3% este ano. No Boletim Económico de …

Finlândia 0-1 Rússia | Miranchuk recoloca russos na corrida

A anfitriã Rússia conseguiu hoje uma determinante vitória na luta pelo apuramento para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao bater a Finlândia por 1-0, em São Petersburgo. No primeiro jogo da segunda jornada …

Nove militares da GNR acusados de tortura

O Ministério Público (MP) do Porto acusou nove militares da GNR dos crimes de tortura e outros tratamentos cruéis, degradantes ou desumanos e sequestro agravado. O Ministério Público (MP) do Porto acusou nove militares da GNR, …

Costa garante que Lisboa terá o mesmo tratamento que os outros concelhos

Esta quarta-feira, num dia em que Portugal registou 1.350 novos casos ( 928 dos quais na região de Lisboa e Vale do Tejo), o primeiro-ministro afirmou que a capital terá o mesmo tratamento que os …

Salgado disposto a pagar à massa falida do GES para ficar isento de cumprir pena

Ricardo Salgado está disposto a pagar à massa falida do GES para ser dispensado de cumprir pena no processo que o irá julgar por três crimes de abuso de confiança, segundo a contestação da defesa …