Governo vai ajustar regras do teletrabalho (e estuda prolongamento do lay-off)

José Sena Goulão / Lusa

O teletrabalho é obrigatório sempre as funções desempenhadas o permitam até 31 de maio. Findo esse período, o regime passa a ser regido pelas regras habituais. Porém, o Governo está a estudar ajustar essas regras.

Até 31 de maio, o teletrabalho é obrigatório sempre as funções desempenhadas por um trabalhador o permitam. Porém, a partir do próximo mês, com o arranque da terceira fase de desconfinamento, o regime passará a ser regido pelas regras habituais que exigem um acordo entre a empresa e o funcionário.

O plano de desconfinamento permite que as empresas adotem modalidades de teletrabalho: mantendo ou intercalando dias ou semanas de teletrabalho com a presença física nos edifícios das empresas, através de escalas e horários adaptados.

De acordo com o Jornal de Negócios, muitos trabalhadores já começaram a regressar às empresas, sendo que muitas planeiam voltar à normalidade a partir de junho e nem todas planeiam deixar o teletrabalho a 100%.

Segundo a legislação, “entre as entidades patronais e os trabalhadores deverá haver um acordo sobre o acesso ao teletrabalho”. No entanto, o primeiro-ministro António Costa legislou em sentido contrário, mantendo que “o regime de prestação subordinada de teletrabalho pode ser determinado unilateralmente pelo empregador ou requerida pelo trabalhador, sem necessidade de acordo das partes”.

Este diploma previa a dispensa de acordo entre a empresa e o trabalhador. Porém, de acordo com o jornal Público, a norma tem de ser vista em conjunto com outra até 31 de maio, uma vez que a resolução do Conselho de Ministros que prolongou a declaração indica que o teletrabalho é obrigatório se esta modalidade for compatível com as funções.

Assim, segundo o Público, o Governo pretende agora rever a legislação.

Prolongamento do lay-off está a ser estudado

Mais de 64 mil empresas já requereram a renovação do regime de lay-off simplificado. O número corresponde a 76% das 85.591 empresas que, até 20 e abril, tinham dado entrada com o requerimento para o apoio e puderam realizar a sua renovação.

De acordo com o semanário Expresso, o Governo está a estudar o prolongamento do lay-off há semanas.

No Parlamento, a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, referiu que, ao todo, mais de 110 mil empresas já requereram o apoio. Do total de 99 mil pedidos que deram entrada nos serviços da Segurança Social durante o mês de abril, “90 mil já foram processados ou pagos, num total de 284 milhões de euros, abrangendo 735 mil trabalhadores e num tempo médio de 16 dias”. Nos restantes casos as empresas estão a ser contactadas para corrigir erros nos processos.

Questionada sobre as múltiplas denúncias de erros e atrasos nos processos, a ministra disse que “ninguém estava preparado” para um cenário global desta natureza e que foi preciso criar mecanismos de apoio sem os quais “não haveria condições para a manutenção dos postos de trabalho”. Foi também preciso recorrer a processos informáticos que permitissem validar automaticamente os pedidos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Oposição urge Boris Johnson a despedir assessor por ter violado o confinamento

Os partidos da oposição escreveram hoje ao primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, urgindo a demissão do assessor Dominic Cummings, a quem acusam de ter "abalado gravemente a confiança" da população nos apelos oficiais sobre a pandemia …

Atletas que sorriem durante as corridas gastam menos oxigénio

Os atletas que sorriem gastam menos oxigénio, trabalham de forma mais económica e têm um nível de esforço menor, refere um estudo realizado pelas universidades de Ulster e Swansea, divulgado esta terça-feira. Os investigadores pediram a …

OMS analisa possíveis primeiros casos de infeção de animais para o homem

A Organização Mundial de Saúde (OMS) admite que pelo menos três infeções por Covid-19 nos Países Baixos possam ser os primeiros casos conhecidos de transmissão do novo coronavírus dos animais para o homem, tendo martas …

Na Suíça, é possível estar em teletrabalho e a empresa pagar parte da renda

O Tribunal Federal da Suíça condenou uma empresa de contabilidade a pagar parte da renda de casa a um funcionário que se encontrava em teletrabalho. Segundo revelou na segunda-feira o swissinfo e o Tages-Anzeiger, citados pelo …

Governo negoceia até mais 35 milhões em apoios para agricultura

A ministra da Agricultura disse hoje que está em curso a negociação de medidas adicionais para apoiar o setor agrícola, face ao impacto da covid-19, através do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), que podem mobilizar …

Moro não assinou exoneração de ex-diretor da Polícia, admite Presidência do Brasil

A Secretaria-Geral da Presidência brasileira admitiu na segunda-feira que o agora ex-ministro da Justiça Sergio Moro não assinou o decreto de exoneração de Maurício Valeixo da direção-geral da Polícia Federal, confirmando a versão original do …

Norte foi região que mais contribuiu para aumentar produtividade do trabalho no país

O Norte foi a região que mais contribuiu para aumentar a produtividade laboral entre 2000 e 2017, crescendo 20% quando a Área Metropolitana de Lisboa subiu 3,3%, revelou na segunda-feira a Comissão de Coordenação e …

Vai nascer uma praia fluvial nas margens do Alqueva em 2021

Uma nova praia fluvial começou a ser construída nas margens do Alqueva, devendo começar a funcionar no verão do próximo ano. Uma nova praia fluvial começou a ser construída nas margens do Alqueva, junto à aldeia …

Câmara de Bragança vai ajudar com até 100 euros a pagar renda

As famílias mais vulneráveis do concelho de Bragança vão poder contar com um apoio financeiro até 100 euros mensais para pagar a renda. A Câmara de Bragança vai ajudar as famílias do concelho em situação vulnerável …

Parlamento chumba lay-off para sócios-gerentes, mas acaba com teto de faturação ao apoio

A Comissão de Economia chumbou, esta terça-feira, o alargamento do lay-off simplificado aos sócios-gerentes. Por outro lado, aprovou o fim do teto de faturação para aceder ao apoio a estes portugueses. A proposta do PSD, BE …