/

Hospitais do Porto recebem doentes covid de Lisboa (e esperam “aumento elevado de casos” a norte)

Jean-Christophe Bott / EPA

Com os números da pandemia a acelerar perigosamente, os Hospitais de São João e de Santo António, no Porto, estão a receber doentes com covid-19 que estão internados Lisboa. Isto enquanto esperam que haja “um aumento elevado de casos” também a norte.

O presidente do Conselho de Administração do Hospital São João, Fernando Araújo, confirmou à TSF e à Rádio Renascença que a unidade vai receber doentes covid transferidos de Lisboa.

Estava previsto que, já nesta sexta-feira, fossem transferidos cinco doentes do Hospital Beatriz Ângelo para o São João, conforme apurou o Público.

Também 10 doentes do Hospital Amadora-Sintra devem ser transferidos para o Santo António e para o Hospital de Gaia.

“Olhando para o que está a acontecer na região Centro e Sul, é expectável que na região Norte, nos próximos dias, possamos ter um aumento elevado de casos“, afiança também Fernando Araújo na Renascença.

“Estamos a preparar-nos para os cenários mais exigentes, esperando que tal não aconteça”, aponta ainda o responsável do Hospital São João.

No Hospital Beatriz Ângelo, havia, até sexta-feira, 121 doentes internados com covid-19, 16 dos quais em Cuidados Intensivos, com todas as camas destinadas a pacientes da infecção ocupadas, conforme dados enviados pela unidade ao Público.

Já o Hospital Amadora-Sintra tinha 136 doentes covid internados num total de 150 camas disponíveis, com 18 nos Cuidados Intensivos e somente mais duas vagas nesta área, também de acordo com informações do mesmo jornal.

A transferência de pacientes para o Porto é uma “medida preventiva” perante a expectativa de que a procura pela unidade aumente nos próximos dias.

“Da mesma forma que recebemos doentes nas passadas duas semanas de outros hospitais, agora estamos a actuar em rede e precisamos de aliviar pressão“, salienta fonte do Hospital Amadora-Sintra ao Público.

Entretanto, o Hospital de Santa Maria, também em Lisboa, criou mais camas para internamento através da reorganização de meios, passando das 160 camas para as 210 no que concerne à capacidade de acolher pacientes com covid-19.

O Hospital Garcia de Orta, em Almada, também abriu mais quatro camas de cuidados intensivos e aumentou a capacidade de resposta nesta área para um total de 28 camas, 19 para doentes com covid-19, anunciou a unidade hospitalar.

Este hospital tem internados um total de 123 doentes infectados com covid-19, 105 em enfermaria e 18 em cuidados intensivos, o que significa que tinha, até sexta-feira, apenas mais uma vaga em terapia intensiva.

A pressão sobre os hospitais também já se sente no privado, nomeadamente no Hospital da Luz Lisboa e na CUF.

No Hospital da Luz, “as cerca de 30 camas disponíveis estão todas ocupadas”, com “oito pessoas nos cuidados intensivos (seis adultos e duas crianças)”, como destaca o Público, frisando que a unidade já recebeu 15 doentes de hospitais do Serviço Nacional de Saúde.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.