Amnistia Internacional entende que governos devem ser responsabilizados pelas mortes de profissionais de saúde

Angelo Carconi / EPA

A Amnistia Internacional quer que os governos sejam responsabilizados pela morte dos profissionais de saúde durante o período da pandemia, revelou um relatório da organização não governamental divulgado esta segunda-feira.

No relatório tornado público esta segunda-feira, a Amnistia Internacional refere que morreram mais de três mil profissionais de saúde em todo o mundo, um número que a organização não governamental considera não ser o real.

Os Estados Unidos são o país onde há mais casos (507), seguem-se a Rússia (545), Reino Unido (540), Brasil (351), México (248), Itália (188), Egito (111), Irão (91), Equador (82) e Espanha (63). No total, há registo de óbitos em 79 países.

Sanhita Ambast, investigadora da Amnistia Internacional para a área dos direitos económicos, sociais e culturais, refere, em comunicado, que “com a pandemia de covid-19 ainda em aceleração por todo o mundo, exigimos que os governos comecem a levar a sério as vidas dos trabalhadores essenciais e do sector da saúde”.

“Os Estados já viram o pior da pandemia e não devem repetir os erros dos governos que falharam na proteção dos direitos destes trabalhadores”, acrescenta, citada pelo Expresso.

A investigadora realça que as condições de trabalho a que alguns trabalhadores estão sujeitos são “perturbadoras”. “As pessoas da saúde que estão na linha da frente são as primeiras a perceber que a política governamental não está a funcionar e as autoridades que as silenciam não podem alegar que fazê-lo é uma questão de saúde pública.”

Em relação à falta de equipamentos de proteção individual, Ambast adianta que 63 países em todo o mundo sofrem com este problema. Há também registo de detenções arbitrárias e violações à liberdade, seja porque os trabalhadores terem admitido a possibilidade de fazerem greve em resposta à falta de equipamento, quer seja por serem acusados de divulgar “notícias falsas” sobre a doença.

Por último, a investigadora realça que muitos profissionais de saúde foram remunerados de forma injusta e insuficiente, sendo que muitos deles não receberam quaisquer benefícios.

A Amnistia Internacional recomenda, assim, que sejam assumidas as responsabilidades e que os países façam uma avaliação para perceber se os direitos destes trabalhadores foram ou não cumpridos.

“Os Estados devem assegurar as compensações adequadas a todos os trabalhadores essenciais e da área da saúde que foram infetados pelo novo coronavírus no cumprimentos das suas funções. Devem também investigar os casos em que os trabalhadores sofreram represálias por levantarem questões sobre as condições de segurança e saúde, devem também encontrar soluções efetivas para aqueles que foram injustamente tratados – incluindo reempregar aqueles que foram despedidos por falar contra as empresas”, lê-se.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Alguns governantes, deveriam ser responsabilizados não só pela morte dos profissionais de saúde, mas também por incentivaram medidas opostas á segurança da população, causando a morte de milhares de pessoas. !!!

RESPONDER

A arma que matou o famoso pistoleiro do Velho Oeste "Billy the Kid" vai a leilão

O revólver que matou um dos homens procurados mais famosos do Velho Oeste, há mais de um século, vai a leilão no próximo mês. William "Billy the Kid" Bonney, pseudónimo de William Henry McCarty, foi um …

Milhares protestam em França e Itália contra novas medidas anti-covid

Milhares de pessoas manifestaram-se, este sábado, em várias cidades de França e Itália contra as medidas para controlar a pandemia, sobretudo contra a obrigatoriedade do uso do "passe sanitário" para entrar em espaços públicos. Com gritos …

O holograma de Whitney Houston vai dar um concerto em Las Vegas

No outono, poderá desfrutar de um concerto de Whitney Houston em Las Vegas. A diva será reencarnada, áudio e visualmente, no espetáculo An Evening With Whitney: The Whitney Houston Hologram Concert. Segundo a Forbes, o holograma …

TC recusa impugnação pedida pelo PSD sobre candidato de Castelo Branco. Direção avalia recurso

O Tribunal Constitucional (TC) decidiu que o PSD não tem legitimidade no pedido de anulação de uma deliberação do Conselho de Jurisdição Nacional do partido sobre o candidato autárquico em Castelo Branco, recusando admitir uma …

Orbán vai rejeitar dinheiro do fundo de recuperação se tiver de revogar lei anti-LGBTQI

O primeiro-ministro húngaro assegurou, este sábado, que o país não vai aceitar o dinheiro do fundo de recuperação se tiver de ceder perante Bruxelas e revogar a lei anti-LGBTQI. Segundo a agência Europa Press, Viktor Orbán …

Avaria em rede europeia causou "apagão" parcial em Portugal e falhas no 112

O incêndio que queimou, este sábado, 500 hectares de vegetação no sudoeste de França esteve na origem dos cortes de energia em Espanha e Portugal, segundo a agência francesa Rede de Transmissão de Energia Elétrica …

Um tumor e duas fraturas nas vértebras dificultaram a vida deste dinossauro (mas não o mataram)

Quando foi descoberto na década de 1980, na Argentina, este hadrossauro foi diagnosticado com uma fratura no pé. Porém, uma nova análise agora mostra que este tinha um tumor, bem como duas fraturas nas vértebras …

Morreu Otelo Saraiva de Carvalho, capitão de Abril

O capitão de Abril morreu, este domingo, aos 84 anos, no Hospital Militar, confirmou o presidente da Associação 25 de Abril. A notícia foi confirmada ao jornal online Observador pelo presidente da Associação 25 de Abril, …

Pela primeira vez, cientistas viram chimpanzés a matar gorilas

Investigadores testemunharam, pela primeira vez, chimpanzés e gorilas a lutar entre si, confrontos esses que provocaram a morte de alguns deles. De acordo com o site Science Alert, as duas disputas foram observadas no Parque Nacional …

Vírus com 15 mil anos descobertos no gelo do Planalto do Tibete

Cientistas que estudam glaciares encontraram vírus com quase 15 mil anos em duas amostras de gelo retiradas do Planalto do Tibete, na China. Muitos deles, que sobreviveram porque se mantiveram congelados, são diferentes de todos …