É urgente moldar as áreas urbanas de África para suportar futuras pandemias

Kim Ludbrook / EPA

Quando o tema é a Covid-19, o poder das cidades provém do número de interações entre pessoas, empresas e mercados que estes centros populacionais permitem. Apesar de todas as suas virtudes, a verdade é que as cidades são um terreno fértil para o contágio.

O cenário da pandemia de Covid-19 em África podia ser muito pior, tendo em conta as características de muitas cidades deste continente, que, sem medidas de mitigação apropriadas, poderiam fazer escalar o número de casos positivos de infeção pelo novo coronavírus.

Aliás, os níveis de densidade em certas partes das cidades africanas podem ser ainda mais altos do que os de Nova York: estima-se que cerca de 2/3 da população de Nairóbi viva em apenas 6% das suas terras e em Kampala, 71% das famílias dormem num quarto individual.

De acordo com um artigo do The Conversation, estima-se ainda que apenas 56% da população urbana da África Subsaariana tenha acesso a água canalizada e, mesmo muitos dos que têm acesso, precisam de percorrer longas distâncias para ter acesso a este bem essencial.

Este problema levanta a questão de saber se a lavagem frequente das mãos é viável. O mesmo vale para o distanciamento social – a segunda medida preventiva recomendada – devido à densidade populacional. Acresce ainda o problema dos serviços de saúde precários, que não teriam margem de manobra para lidar com taxas de infeção semelhantes às de Itália, por exemplo.

Cidades de todo o mundo e ao longo da História têm-se adaptado e reinventado perante crises e desastres. Alguns analistas preveem que as cidades norte-americanas serão reformuladas por esta crise, nomeadamente no que diz respeito ao teletrabalho, com alguns especialistas a defenderem que isto significa que os escritórios localizados centralmente irão diminuir.

No entanto, a natureza dos empregos é diferente nas cidades africanas e trabalhar em casa não será, certamente, uma opção. Pelo contrário: depois da crise provocada pelo novo coronavírus, podemos assistir à migração rural-urbana, com pessoas a reunirem-se nos centros urbanos em busca de mais oportunidades económicas.

As cidades necessitam, por isso, de investir em infraestrutura produtivas, como infraestruturas de água e esgoto, e melhorar a saúde, com a criação de um maior número de unidades hospitalares.

A densidade populacional que torna os africanos suscetíveis a doenças, também os torna mais eficientes para fornecer infraestruturas a um grande número de pessoas. Ao moldar o futuro urbano da África, as autoridades de saúde pública devem assumir um papel central, numa parceria com urbanistas e economistas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A supergigante Betelgeuse é mais pequena e está mais perto da Terra do que se pensava

De acordo com um novo estudo feito por uma equipa internacional de investigadores, podem ser necessários mais 100.000 anos até que a estrela gigante vermelha Betelgeuse morra numa explosão de fogo. O estudo, liderado pela Dra. …

Mulheres menos propensas à covid-19 por respeitarem mais o distanciamento social

Uma das razões pelas quais as mulheres podem ser menos vulneráveis ​​a infeção pelo novo coronavírus deve-se ao facto de serem mais propensas a aderir às políticas de distanciamento social, sugeriu uma nova pesquisa. Uma pesquisa …

Braga 3 - 0 AEK | Minhotos de gala conquistam atenienses

O Sporting de Braga iniciou a sua participação no Grupo G da Liga Europa com uma vitória. Na recepção aos gregos do AEK de Atenas, os minhotos mostraram ser muito mais equipa e ganharam por …

Capitalismo vai arruinar o planeta até 2050, alertam cientistas

Um grupo de cientistas alerta que se continuarmos com este capitalismo desenfreado, o nosso planeta vai sofrer consequências a nível climático e ambiental. Até 2050, o planeta Terra pode sofrer seriamente às mãos do capitalismo desenfreado. …

Os novos faróis inteligentes da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro

Os novos faróis LED da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro, já que são capazes de projetar imagens na estrada ou em paredes. A novidade é lançada na nova linha de SUVs elétricos da …

FC Porto foi "histriónico" e não se portou bem, escreve-se em Manchester

Jornal inglês alega que os elementos do FC Porto foram exagerados, turbulentos e não tiveram um comportamento adequado. Não há uma única palavra sobre o árbitro. Na manhã seguinte à derrota (3-1) do FC Porto em …

De passagem secreta a cemitério de carros. Túnel sob Nápoles "esconde" veículos enferrujados da II Guerra

No centro de Nápoles, em Itália, há veículos e motocicletas abandonados e enferrujados dos anos 1940 alinhados num túnel a mais de 30 metros abaixo dos seus pés. A Piazza del Plebiscito foi nomeada após uma …

Primeira ministra islandesa interrompida por um terramoto quando dava uma entrevista em direto

Um terramoto de magnitude 5.6 interrompeu uma entrevista em direto da primeira ministra islandesa ao The Washington Post. Mas Katrin Jakobsdottir reagiu à situação de forma tranquila: "Isto é a Islândia". Katrin Jakobsdottir estava a dar …

O voo mais longo do mundo está de volta (e agora é ainda mais longo)

O voo da Singapore Airlines que partia de Singapura com destino até Nova Iorque, foi uma das vítimas do covid-19 e ficou suspendo a 23 de março. Agora, é possível viajar nesta rota novamente, e …

Obras de cinco museus de Berlim vandalizadas no início do mês

Sarcófagos egípcios, pinturas do século XIX e esculturas em pedra de três dos principais museus de Berlim foram atacados com uma substância líquida oleosa a 3 de outubro, dia em que se festejaram os 30 …