É urgente moldar as áreas urbanas de África para suportar futuras pandemias

Kim Ludbrook / EPA

Quando o tema é a Covid-19, o poder das cidades provém do número de interações entre pessoas, empresas e mercados que estes centros populacionais permitem. Apesar de todas as suas virtudes, a verdade é que as cidades são um terreno fértil para o contágio.

O cenário da pandemia de Covid-19 em África podia ser muito pior, tendo em conta as características de muitas cidades deste continente, que, sem medidas de mitigação apropriadas, poderiam fazer escalar o número de casos positivos de infeção pelo novo coronavírus.

Aliás, os níveis de densidade em certas partes das cidades africanas podem ser ainda mais altos do que os de Nova York: estima-se que cerca de 2/3 da população de Nairóbi viva em apenas 6% das suas terras e em Kampala, 71% das famílias dormem num quarto individual.

De acordo com um artigo do The Conversation, estima-se ainda que apenas 56% da população urbana da África Subsaariana tenha acesso a água canalizada e, mesmo muitos dos que têm acesso, precisam de percorrer longas distâncias para ter acesso a este bem essencial.

Este problema levanta a questão de saber se a lavagem frequente das mãos é viável. O mesmo vale para o distanciamento social – a segunda medida preventiva recomendada – devido à densidade populacional. Acresce ainda o problema dos serviços de saúde precários, que não teriam margem de manobra para lidar com taxas de infeção semelhantes às de Itália, por exemplo.

Cidades de todo o mundo e ao longo da História têm-se adaptado e reinventado perante crises e desastres. Alguns analistas preveem que as cidades norte-americanas serão reformuladas por esta crise, nomeadamente no que diz respeito ao teletrabalho, com alguns especialistas a defenderem que isto significa que os escritórios localizados centralmente irão diminuir.

No entanto, a natureza dos empregos é diferente nas cidades africanas e trabalhar em casa não será, certamente, uma opção. Pelo contrário: depois da crise provocada pelo novo coronavírus, podemos assistir à migração rural-urbana, com pessoas a reunirem-se nos centros urbanos em busca de mais oportunidades económicas.

As cidades necessitam, por isso, de investir em infraestrutura produtivas, como infraestruturas de água e esgoto, e melhorar a saúde, com a criação de um maior número de unidades hospitalares.

A densidade populacional que torna os africanos suscetíveis a doenças, também os torna mais eficientes para fornecer infraestruturas a um grande número de pessoas. Ao moldar o futuro urbano da África, as autoridades de saúde pública devem assumir um papel central, numa parceria com urbanistas e economistas.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Das palavras aos atos". Marcelo com mais de 60% de mulheres na sua equipa no segundo mandato

O Presidente da República considerou este domingo que os passos dados para salvaguardar a igualdade de género em Portugal não são ainda suficientes e afirmou que quis passar "das palavras aos atos" com mais mulheres …

Governo dá 19,8 milhões às escolas para testes rápidos. Ensino privado também quer

O Conselho de Ministros aprovou, este domingo, uma resolução que permite às escolas e ao setor solidário efetuar despesa na realização de testes rápidos de antigénio à covid-19, num montante global de 19,8 milhões de …

Afinal, abandonar Montijo não obriga a indemnizar ANA (e há quem defenda opção Beja)

A alteração do local do novo aeroporto na sequência da avaliação ambiental estratégica não obriga ao pagamento de qualquer indemnização à ANA. De acordo com o esclarecimento do Ministério das Infraestruturas, uma eventual alteração do local …

Descoberta nova relação entre a biodiversidade dos animais e das florestas

Uma análise ao registo de imagens de 15 reservas de vida selvagem em florestas tropicais revelou uma relação até então desconhecida entre a biodiversidade de vários mamíferos e as florestas em que vivem. As florestas tropicais …

Pelo menos 17 mortos e 400 feridos em explosões na Guiné Equatorial

Pelo menos 17 pessoas morreram e outras 400 ficaram feridas após várias explosões registadas, este domingo, num quartel militar na cidade de Bata, na Guiné Equatorial, informaram as autoridades. De acordo com dados do Ministério da …

Marques Mendes antecipa desconfinamento a 15 de março. Creches e 1º ciclo são os primeiros a abrir

No seu habitual espaço de comentário na SIC, Luís Marques Mendes revelou, este domingo, que as creches, pré-escolar e 1º ciclo deverão abrir já a 15 de março. Segundo o comentador, o plano que vai ser …

Olivier Dassault, deputado bilionário francês, morre em acidente de helicóptero

O deputado francês Olivier Dassault, neto do fundador da Dassault Aviation, morreu este domingo, aos 69 anos, num acidente de helicóptero, no nordeste de França, avança a Agência France-Press (AFP). O acidente aconteceu este domingo perto …

Teoria ensinada na escola pode estar errada. Há um "núcleo mais interno" no centro da Terra

Uma equipa de investigadores da Universidade Nacional da Austrália confirmou, rastreando milhares de modelos numéricos, a existência do "núcleo mais interno" nas profundezas da Terra.  Na escola, os estudantes costumam aprender que o planeta Terra é …

Sonda passa ao lado de Vénus, tira-lhe uma fotografia e surpreende cientistas da NASA

A imagem obtida pelo Wide-field Imager (WISPR) da Parker Solar Probe foi capturada a 12.380 quilómetros de Vénus. A Parker Solar Probe, da NASA, capturou vistas deslumbrantes de Vénus em julho de 2020. O alvo da …

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …