Boris convoca cimeira do G7 para discutir vacinas. Acusada de “lentidão”, UE acelera autorizações

Neil Hall / EPA

A distribuição equitativa das vacinas contra a covid-19 e estratégias para prevenir futuras pandemias estão na agenda de uma cimeira virtual de líderes do G7 na sexta-feira, primeiro evento internacional com o novo Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.

Organizada pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, a reunião faz parte do programa da presidência rotativa do Reino Unido do grupo dos sete países considerados mais industrializados, formado pelo Reino Unido, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão e Estados Unidos, juntamente com a União Europeia (UE).

A cimeira de sexta-feira vai juntar remotamente os dirigentes de todos os países membros, bem como os presidentes da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e do Conselho Europeu, Charles Michel.

Johnson quer usar a reunião para procurar consenso numa abordagem global conjunta da pandemia, em vez da “política nacionalista e facciosa que prejudicou a resposta ao coronavírus”, e fazer da distribuição de vacinas “nova oportunidade para demonstrar a importância da cooperação internacional”, refere um comunicado.

Poucas semanas depois de iniciarem a relação pós-Brexit, Reino Unido e a UE viveram momentos de tensão devido à ameaça de Bruxelas impor controlos de exportação sobre vacinas para evitar que a farmacêutica AstraZeneca entregasse doses primeiro aos britânicos em vez dos europeus.

“Saltos quânticos na ciência deram-nos as vacinas de que precisamos para acabar com esta pandemia para sempre. Agora, os governos mundiais têm a responsabilidade de trabalhar juntos para distribuir essas vacinas da melhor forma possível“, urgiu Johnson.

Os Estados Unidos anunciaram em janeiro, logo após a tomada de posse de Biden, que se juntariam à iniciativa COVAX, liderada pela Organização Mundial da Saúde, que visa assegurar o acesso global e equitativo às vacinas contra a covid-19, garantindo 1,3 mil milhões de doses. O Reino Unido é um dos maiores financiadores, tendo prometido 548 milhões de libras (625 milhões de euros).

UE acelera autorizações das vacinas contra estirpes

A UE, acusada de lentidão na gestão da pandemia de covid-19, vai acelerar os procedimentos de autorização de vacinas melhoradas para responder às diferentes variantes do novo coronavírus, indicou este domingo a comissária da Saúde dos 27.

“Analisamos com a Agência Europeia do Medicamento os procedimentos e decidimos que, doravante, se houver uma vacina melhorada por um fabricante para lutar contras as novas variantes com base numa vacina já existente” e certificada “não haverá a necessidade de passar por todas as etapas da autorização”, disse Stella Kyriakides.

Numa entrevista publicada este domingo no diário alemão Augsburger, a comissária adiantou que, desta forma, será “mais rápido” ter vacinas à disposição, “sem que sejam afetados os critérios de segurança”.

A Comissão Europeia tem sido criticada pela lentidão ligada ao início das campanhas de vacinação contra a covid-19 nos Estados membros, por causa dos procedimentos de certificação das primeiras vacinas, considerados muito longos em comparação com o Reino Unido ou com os Estados Unidos, mas também no que diz respeito aos pedidos de vacinas.

Embora tenha admitido que não está “satisfeita” com a atual situação, a comissária europeia da Saúde assume a defesa contra as críticas. “É errado afirmar que apenas cometemos erros”, disse Kyriakides, argumentando que a UE conseguiu garantir o fornecimento para 700 milhões de doses de vacinas até ao fim do terceiro trimestre deste ano.

Farmacêuticas testam eficácia das vacinas em crianças

De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, a AstraZeneca também vai testar a eficácia da vacina contra a covid-19 em crianças e adolescentes. Os testes começaram este sábado na Universidade de Oxford, naqueles que são considerados os primeiros ensaios a nível mundial nesta faixa etária.

Até agora só foram testados jovens de 16 e 17 anos e aind anão há conclusões públicas.

Os investigadores de Oxford acreditam que os testes vão determinar a segurança e a resposta imunológica de crianças à vacina da AstraZeneca. Para já vão ser recrutados 300 voluntários dos 6 aos 17 anos de idade. Até 240 receberão a vacina da AstraZeneca e os restantes uma vacina de controlo contra meningite.

As farmacêuticas Pfizer e Moderna também já começaram a realizar ensaios clínicos para averiguar a eficácia das suas vacinas contra a covid-19 em crianças de idade igual ou superior a 12 anos e esperam conseguir resultados até ao verão.

 

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Na Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …

Abel Ferreira tentou levar jogador do Benfica para o Palmeiras

O treinador português Abel Ferreira, ao leme do comando técnico dos brasileiros do Palmeiras, pediu a contratação de Franco Cervi, que alinha pelo Benfica, mas acabou por ver a sua proposta recusada pelo jogador argentino. …

Governo aperta regras. Passageiros do Brasil ou Reino Unido têm de ter teste negativo e cumprir isolamento

Os passageiros provenientes do Brasil e do Reino Unido vão ser obrigados a apresentar um teste negativo e a cumprir 14 dias de isolamento profilático. A partir deste domingo, os passageiros provenientes do Brasil e do …

O primeiro hotel espacial mudou de nome (e deverá abrir em 2027)

Fechado em casa a sonhar com a próxima viagem? Esqueça as praias paradisíacas ou as grandes metrópoles. As férias do futuro podem vir a ser no Espaço. Tudo começou em 2019, quando a empresa californiana Gateway …