/

Von der Leyen admite ter subestimado problemas com a produção das vacinas

John Thys / EPA

Ursula Von der Leyen, a presidente da Comissão Europeia

A presidente da Comissão Europeia reconheceu pela primeira vez que subestimou a complexidade de produção das vacinas. Olaf Scholz, ministro das Finanças alemão, terá dito que a gestão por parte de von der Leyen é uma “desgraça”.

Numa entrevista a vários órgãos de comunicação social, disponível no La Vanguardia, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, admitiu, pela primeira vez, ter subestimado a complexidade de produção das vacinas.

“Olhando para trás, se pudesse mudar alguma coisa, seria explicar às pessoas que sim, que estamos a avançar, mas que vai ser lento, que vamos encontrar problemas e atrasos porque é um procedimento completamente novo”, disse. “Deveríamos saber de antemão que um procedimento novo não arranca sem montanhas russas nem sem problemas no início, até que o processo se estabilize.”

Além de ter admitido a complexidade de produção, von der Leyen também lamentou a situação gerada com a Irlanda por causa das vacinas. “Na semana passada, não deveríamos ter pensado no artigo 16.º. Lamento isso.”

Apesar de todas as lições que diz ter aprendido, a responsável mostrou-se satisfeita com o processo relacionado com a vacinação e pouco mais mudaria.

“Quero recordar que nos encarregaram desta tarefa em junho e que o primeiro contrato, com a AstraZeneca, foi fechado em agosto. Posso dizer que havia 100 empresas e instituições a solicitar a participação no processo da Comissão Europeia e que reduzimos a uma carteira de seis”, disse, congratulando-se com a escolha das vacinas que foi feita e com o facto de não se ter poupado na avaliação de segurança e eficácia com a Agência Europeia do Medicamento.

“Foi uma aposta, mas foi uma boa aposta, porque temos, neste momento, três vacinas já autorizadas e outras que virão”, rematou.

“Desgraça”, critica ministro alemão

O The Guardian avança, esta quinta-feira, que o ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz, terá dito que a gestão das vacinas por parte da Comissão Europeia é uma “desgraça” numa reunião do Governo na segunda-feira.

O governante terá criticado diretamente Ursula Von der Leyen pela gestão das vacinas, afirmando que Berlim não poderá deixar esta situação repetir-se. O ECO lembra que, em 2019, o SPD opôs-se à nomeação de Von der Leyen para presidente da Comissão Europeia por esta ser uma “candidata inadequada”.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.