/

Portugal regista 973 novos casos e duas mortes

3

Mário Cruz / Lusa

Nas últimas 24 horas, houve 973 novos casos positivos de covid-19 e morreram duas pessoas, segundo os dados do boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal registou, nas últimas 24 horas, 973 novos casos positivos de covid-19 e dois óbitos. O número de novas infeções é o mais elevado desde dia 6 de março, altura em que foram identificados 1.007 casos.

A região de Lisboa e Vale do Tejo contabiliza 629 do total de novos casos, o que representa praticamente dois terços (64,64%). Segue-se a região Norte com 147 novas infeções, a região Centro com 89, o Algarve com 36, Alentejo com 32, Açores com 28 e Madeira com 12 novos casos.

Os dois óbitos foram registados em Lisboa e Vale do Tejo e no Norte.

Há agora 346 pessoas internadas no país (mais 6 do que na segunda-feira). Destas, 79 estão em Unidades de Cuidados Intensivos (mais duas do que ontem).

Esta terça-feira, registam-se mais 881 recuperados da doença, num total de 816.503 desde o início da pandemia. O número de casos ativos subiu para 25.493, mais 90 do que no dia anterior.

A nível nacional, Portugal está com uma incidência a 14 dias de 84,5 casos por 100 mil habitantes e um índice de transmissibilidade R(t) de 1,09.

No continente, a incidência está nos 83,4 casos de infeção e o índice de transmissibilidade R(t) é de 1,10.

A DGS avança que, na segunda-feira, mais de metade dos surtos ativos registavam-se na região de Lisboa e Vele do Tejo, com 168, enquanto a região Norte tinha 30 surtos, o Algarve 23, o Alentejo 13 e a região Centro sete,.

De acordo com os dados revelados à agência Lusa, 84 surtos ativos eram em estabelecimentos de educação e ensino dos setores público e privado, que englobam escolas, ensino superior, creches e demais equipamentos sociais.

“À data do reporte [segunda-feira], existiam 514 casos de covid-19 acumulados nesses surtos ativos, que dizem respeito a alunos, profissionais e coabitantes dos mesmos, parte dos quais já estarão recuperados”, sublinha.

De acordo com a DGS, trata-se de “um número significativamente inferior ao início do ano”, no período em que as atividades letivas presenciais ainda decorriam e em que se chegaram a registar 190 surtos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Os dados mostram ainda a existência de cinco surtos em estruturas residenciais para idosos ou instituições particulares de solidariedade social, que resultaram em 23 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, parte dos quais já estarão igualmente recuperados.

“Também neste setor a redução do número de surtos tem sido significativa”, afirma a DGS, lembrando que no pico da pandemia, em fevereiro, havia 405 surtos ativos nestas instituições.

Para a DGS, “a diminuição drástica neste contexto demonstra a importância que a vacinação tem tido no controlo da pandemia e na proteção da população mais vulnerável”.

Observa ainda que o número total de surtos ativos (241) “contrasta drasticamente” com o máximo de surtos ativos registado em fevereiro de 2021, quando chegaram a existir em Portugal continental 921 surtos ativos.

  Liliana Malainho, ZAP // Lusa

3 Comments

  1. Pessoal, eu hoje comi ao pequeno-almoço pão com manteiga e muesli!.. Amanhã volto a informar, e assim sucessivamente até ao fim dos meus dias.

  2. 973 infetados… mas o Marcelo diz que, enquanto for Presidente, não há volta atrás! Vamos lá a ver se o Sars-Cov-2 não “manda” mais que ele…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.