Portugal pode vir a reduzir o período de quarentena para 10 dias

Fotomovimiento

Alguns países começam agora repensar a duração do período de isolamento dos casos positivos. Nos EUA já só é obrigatório estar isolado durante 10 dias. Em França o governo quer uma diminuição dos 14 dias atuais para apenas 7. E em Portugal, vai haver uma redução do período de quarentena?

O ministro francês da Saúde, Olivier Véran, anunciou esta terça-feira que o Conselho Cientifico do país, que regula as decisões públicas em relação à pandemia de covid-19, é favorável a uma redução do período de isolamento de 14 para 7 dias para as pessoas infetadas e seus contactos — metade do atual período de duas semanas.

O contágio é maior nos cinco primeiros dias e depois diminui. Após uma semana, continua presente, mas é muito reduzido”, afirmou o ministro, citado pela RFi.

Apesar de os franceses estarem a dar o primeiro passo, grande parte dos países da Europa não parecem estar convencidos com esta medida, sobretudo numa altura de aumento do número de infeções. Portugal é um desses casos. Graça Freitas, diretora da DGS disse que este passo só é dado “com evidência científica robusta”.

Em declarações ao DN, o pneumologista Filipe Froes diz que “está provado que em alguns doentes os 14 dias são excessivos“. O médico defende que nos casos de infeções mais ligeiras “dez dias podem ser suficientes”.

Questionado pelo Diário de Notícias sobre a obrigatoriedade de revisão de normas, Filipe Froes explica que são necessárias mudanças pois “isso reduz o retorno à vida normal, profissional e familiar sem que seja posta em causa a segurança de ninguém”.

Em relação a haver uma diminuição para um período de sete dias, o pneumologista fica mais reticente. “Não tem a robustez dos dez dias, mas não quer dizer que em algumas circunstâncias não possa acontecer”.

O médico não concorda com a forma como o ministro da Saúde francês, Olivier Véran, justificou esta alteração no país, ao dizer que assim podia haver “uma maior adesão” dos cidadãos à quarentena.

Para Ricardo Mexia, presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública, reduzir os dias de quarentena pode ter um impacto positivo na sociedade portuguesa uma vez que “o encurtamento do período ajuda a reduzir o impacto na disrupção da vida das pessoas e na economia”.

Filipe Froes e Ricardo Mexia acreditam que Portugal poderá vir a reduzir o tempo de isolamento, eventualmente para os dez dias, desde que não seja posta em causa a segurança da população. A diretora-geral da Saúde já disse, a esse propósito, que isso seria “extraordinariamente positivo”.

“Temos grandes expectativas de que venha a ser claramente estabelecido que o período de contágio é muito pequeno a partir dos dez dias de início de sintomas ou contacto com caso de doente”, afirmou Graça Freitas no passado dia 31 de agosto.

Froes defende que à medida que os países vão começando a encurtar o período de isolamento, o Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças deverá começar a estabeleça recomendações globais para a União Europeia, para que não haja confusões sobretudo para os viajantes.

Segundo o DN, a decisão da diminuição do período de quarentena deve-se ao facto de os especialistas já disporem de um maior conhecimento do vírus, sobretudo depois de descobrirem que o tempo de incubação é, em média, de 5 a 6 dias.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Assimetrias celestes. Afinal, os ventos estelares não são esféricos

Uma equipa de astrónomos realizou várias observações de ventos estelares em torno de estrelas envelhecidas e, como resultado, apresentaram uma nova explicação para as formas das nebulosas planetárias. Os cientistas descobriram que, afinal, os ventos estelares …

Consumo excessivo de álcool afeta o sistema nervoso (e aumenta a ansiedade)

Investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde concluíram que o consumo repetitivo de álcool afeta diretamente células imunes do sistema nervoso central, que eliminam parte da comunicação entre os neurónios, e provoca o …

Afinal, os tubarões-baleia macho não são os maiores peixes dos oceanos

Um novo estudo revela que, afinal, os tubarões-baleia machos não são os maiores peixes do oceano. As fêmeas crescem continuamente muito depois de os machos pararem, atingindo tamanhos maiores - ainda que demorem mais tempo …

Exército norte-americano usou fundos de emergência covid-19 para comprar armas

O exército dos Estados Unidos utilizou fundos de emergência aprovados pelo Congresso especificamente para combater a covid-19 para comprar armas, denuncia esta semana o jornal norte-americano The Washington Post. O caso remonta a março passado, …

Carpinteiros usam técnica medieval na reconstrução de Notre Dame

A reconstrução de Notre Dame - que se prevê estar concluída no prazo de cinco anos - continua a avançar e os carpinteiros usaram técnicas medievais para erguer uma estrutura na fachada do monumento. A Catedral …

Durante um ano e meio, uma aldeia inteira perdeu a Internet todos os dias à mesma hora (e já se sabe porquê)

Durante 18 meses, os residentes de uma vila no País de Gales perderam a Internet todos os dias à mesma hora. Agora, engenheiros identificaram o motivo: uma televisão em segunda mão que emitia um sinal …

Gado na UE produz 704 milhões de toneladas de CO2 (mais do que todos os transportes juntos)

De acordo com uma nova análise da Greenpeace, animais de criação como vacas, porcos e outros, estão a emitir mais gases com efeito de estufa na Europa do que todos os transportes juntos. Na última década, …

É distraído e está sempre a perder a carteira? A Cashew Smart Wallet é para si

Uma simples carteira pode vir a melhorar os seus dias. A Cashew Smart Wallet é dotada de uma tecnologia de bluetooth que permite proteger os seus bens e ainda o ajuda caso a perca por …

Desportivo das Aves SAD desiste do Campeonato de Portugal

O Desportivo das Aves SAD vai abdicar da participação no Campeonato de Portugal (CdP), após ter falhado as negociações com o Perafita para utilizar as instalações do clube de Matosinhos. "As inscrições fechavam ontem [terça-feira] e …

Celebridades doam dinheiro para pagar dívidas a ex-presos impedidos de votar nos EUA

O bilionário Michael Bloomberg, o cantor John Legend e o basquetebolista LeBron James são algumas das celebridades que estão a doar dinheiro para pagar dívidas de ex-presidiários da Florida, impedidos de votar nas próximas eleições …