China recusou dar dados importantes sobre primeiros casos à OMS

Alejandro Garcia / EPA

Cientistas chineses recusaram-se a partilhar com a equipa de especialistas da Organização Mundial de Saúde (OMS) dados brutos sobre os primeiros casos da covid-19.

De acordo com o jornal norte-americano Wall Street, os investigadores da Organização Mundial de Saúde (OMS), que recentemente voltaram de uma viagem à cidade chinesa de Wuhan, disseram que as divergências sobre os registos dos pacientes e outras questões eram tão tensas que, às vezes, explodiam em gritos entre os cientistas.

Segundo os cientistas, a resistência contínua da China em revelar informações sobre os primeiros dias do surto da covid-19 torna ainda mais difícil a missão de descobrir pistas importantes que poderiam ajudar a impedir futuros surtos de doenças tão perigosas.



Durante 27 dias em janeiro e fevereiro, a equipa de 14 especialistas da OMS liderou a missão para rastrear as origens da pandemia. Vários dizem que os colegas chineses ficavam frustrados com as questões e demandas persistentes da equipa por dados.

As autoridades chinesas instaram a equipa a abraçar a narrativa do Governo sobre a origem do vírus, de acordo com vários membros da equipe. Os cientistas responderam que se absteriam de fazer julgamentos sem dados.

“Era a minha opinião sobre a toda a missão que era altamente geopolítica”, disse Thea Kølsen Fischer, epidemiologista dinamarquesa. “Todo a gente sabe quanta pressão existe sobre a China para ser aberta a uma investigação e também quanta culpa pode estar associada a isso.”

No final da missão, os especialistas procuraram um acordo, elogiando a transparência do governo chinês, mas pressionando por mais dados sobre os primeiros dias do surto em Wuhan. Porém, ainda não é claro se o acordo funcionará. As autoridades chinesas disseram que não tiveram tempo suficiente para compilar dados detalhados dos pacientes e apenas forneceram resumos.

O diretor da OMS, Thedros Ghebreyesus, disse esta sexta-feira que, após a missão de especialistas na China, todas as opções estão em aberto para explicar a origem do novo coronavírus.

“Quero confirmar que todas as hipóteses permanecem em aberto e requerem mais análise e estudo”, disse Bhebreyesus, negando a mensagem que tinha sido passada pelos especialistas, onde tinham descartado a hipótese de o vírus ter tido origem num laboratório.

Essa hipótese tinha sido repetida várias vezes pelo ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que atribuiu responsabilidades ao Governo de Pequim pela incapacidade de travar a pandemia de covid-19 na sua fase inicial .

Ghebreyesus disse que a recente missão de especialistas na China “não encontrou todas as respostas, mas forneceu informações importantes” que “aproximam do conhecimento da origem do vírus”.

O diretor da OMS explicou que a missão divulgará um relatório preliminar da sua visita na próxima semana, que será ampliado nas próximas semanas e explicado numa nova conferência de imprensa dada pela equipa de especialistas.

Presente na conferência de imprensa esteve também Peter Embarek, que chefiou a equipa de cientistas e que disse que a missão “conseguiu muitos sucessos”. “Temos agora uma melhor compreensão do que aconteceu em 2019“, disse Embarek, salientando que esta iniciativa foi apenas “o início” do processo de investigações.

“Não é hora de nenhum país abrandar as medidas”

O diretor-geral da OMS afirmou ainda “não é hora de nenhum país abrandar as medidas” de controlo da pandemia de covid-19, apesar da redução global de infeções e mortes.

Ghebreyesus realçou a diminuição do número de infeções pela quarta semana consecutiva e de mortes pela segunda semana consecutiva, assinalando que os países estão a aplicar “medidas mais restritivas”.

Contudo, apesar das estatísticas que considerou encorajadoras, disse que “não é hora de nenhum país abrandar as medidas”. “A complacência é tão perigosa quanto o vírus”.

O dirigente da OMS renovou o apelo para a partilha de tecnologia para acelerar a produção de vacinas contra a covid-19 e distribuí-las de forma equitativa. “Nunca na história as vacinas foram desenvolvidas em menos de um ano após o aparecimento de um vírus”, sublinhou Ghebreyesus.

Maria Campos, ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Alguém acredita que os chineses vão pôr o jogo à mostra? E eu não acredito que a culpa não seja humana e muito possivelmente não apenas por culpa dos chineses!

  2. O vírus surgiu em Wuhan. Mais uma vez, cortaram o meu comentário aqui no ZAP.

    Querem que “diga” que os chineses é que estão a sofrer mais com este vírus?
    Tristeza…!

    • Caro leitor,
      Não temos nenhuma preferência pelo que quer dizer ou não.
      Apenas lhe pedimos que o faça de forma correta, sem usar despropositadamente linguagem injuriosa — pequeno esforço que temos quase a certeza de que consegue fazer.

RESPONDER

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …

"Guerra das matrículas" faz escalar tensão entre Sérvia e Kosovo

Esta semana, a fronteira entre o norte do Kosovo e a Sérvia esteve bloqueada por protestos de elementos da etnia sérvia, que não aceitam a decisão do governo kosovar, de etnia albanesa, de proibir a …

Num golpe de "fake it until you make it", Hong Kong vai a eleições a saber o vencedor

Hong Kong prepara-se para as primeiras eleições legislativas após as mudanças no sistema eleitoral implementadas pela China para garantir a vitória dos seus aliados. Aos olhares mais desatentos, as eleições em Hong Kong são mais um …

Stefano Pioli propõe regra de basquetebol que contribui para um "futebol de ataque"

O treinador do Milan, Stefano Pioli, propõe uma alteração nas regras do futebol que promete revolucionar o desporto rei. De forma semelhante ao basquetebol, uma vez dentro do meio campo adversário, as equipas não poderiam voltar …

Um dos maiores sites de dados sobre a covid-19 na Austrália é, afinal, gerido por adolescentes

Aproveitando o momento em que passaram a integrar as estatísticas que os próprios fazem chegar diariamente à população australiana, o grupo de três jovens revelou a sua identidade para surpresa de muitos dos seus seguidores. …

Mais cinco mortes e 713 casos confirmados em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais cinco mortes e 713 casos confirmados de covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este sábado registaram-se mais cinco mortes e 713 novos casos …

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUA

A justiça dos EUA aceitou hoje o acordo entre o Departamento da Justiça e a Huawei, que vai permitir à filha do fundador e diretora financeira do conglomerado chinês de telecomunicações regressar à China. Uma juíza …