Brasil manda soltar todos os presos que dependam de pagamento de fiança

Para evitar a transmissão do novo coronavírus, o Superior Tribunal de Justiça do Brasil decidiu libertar todos os presos do país que necessitavam somente de pagar fiança.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) brasileiro autorizou, esta quarta-feira, a libertação de todos os presos do país que precisarem apenas de pagar fiança para deixar a prisão, como medida para conter a pandemia de covid-19.

A Terceira Secção do STJ atendeu a uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com base nas medidas de contenção da pandemia do novo coronavírus, e concedeu um habeas corpus coletivo para assegurar a libertação de todos os presos aos quais foi concedida liberdade provisória condicionada ao pagamento de fiança, mas que não o puderam fazer por falta de capacidade económica.

No julgamento de quarta-feira, o tribunal manteve uma decisão provisória datada de abril, que já autorizava que pessoas nessas condições fossem libertadas.

Em abril, o juiz Sebastião Reis, relator do caso, atendeu a um pedido da Defensoria Pública (advogados oficiosos) do Espírito Santo, direcionada aos presos daquele estado. Contudo, posteriormente, acolheu o requerimento da Defensoria Pública da União e estendeu a decisão a todo o país.

“O quadro fático apresentado pelo estado do Espírito Santo é idêntico aos dos demais estados brasileiros: o risco de contágio pela pandemia do coronavírus é semelhante em todo o país, assim como o é o quadro de sobrelotação e de insalubridade dos presídios brasileiros, razão pela qual os efeitos desta decisão devem ser estendidos a todo o território nacional”, afirmou o magistrado.

Segundo o juiz, estudos mostraram que as pessoas que vivem em aglomerações, como em prisões, estão mais sujeitas a contrair a doença, mesmo quando proporcionados equipamentos de proteção individual.

Sebastião Reis destacou ainda que tanto a Organização das Nações Unidas (ONU) quanto a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) recomendaram a adoção de medidas alternativas ao cárcere para mitigar os riscos elevados de propagação da doença no ambiente das prisões.

Os prisioneiros que estavam detidos sob outras condições, sem necessidade de pagar fiança para deixar a prisão, continuarão na mesma situação.

A decisão determinou ainda que os tribunais de Justiça locais avaliem a necessidade ou não de aplicar medidas cautelares que funcionem como alternativas à fiança – que agora está desobrigada apenas quando esse é o único entrave que mantém o investigado ou réu preso.

O sistema penitenciário brasileiro, considerado um dos piores do mundo, tem um défice de cerca de 350.000 vagas, o que há anos agrava a sobrelotação nas prisões, e pode fazer aumentar a propagação do novo coronavírus nas cadeias.

O surgimento do novo coronavírus, que já fez mais de 5,1 milhões de infetados e 151.747 óbitos em todo o país, complicou ainda mais a situação nas prisões brasileiras.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Situação clínica de Alfredo Quintana é "muito grave"

Alfredo Quintana, guarda-redes de andebol, de 32 anos, sofreu uma paragem cardíaca num treino, na segunda-feira. Encontra-se internado no Hospital de São João, no Porto, e a situação clínica é "muito grave". A situação clínica …

Documentos mostram que assassinos de Khashoggi usaram aviões de empresa controlada pelo príncipe herdeiro

Documentos judiciais revelam que os dois jatos particulares usados ​​pelos supostos assassinos do jornalista Jamal Khashoggi pertenciam a uma empresa que, menos de um ano antes, tinha sido apreendida pelo príncipe herdeiro da Arábia Saudita. Os …

António Guterres agradece confiança do Governo português

O secretário-geral da ONU expressou, esta quarta-feira, agradecimento e humildade por receber o apoio oficial do Governo português para um segundo mandato e prometeu fazer de tudo para continuar a ser digno da renomeação. "O secretário-geral …

Israel identifica cidadãos que não foram vacinados. Na Galiza, quem recusar vacina arrisca multa

O Parlamento israelita autorizou esta quarta-feira o Ministério da Saúde a comunicar às entidades públicas do país as identidades de pessoas não vacinadas contra a covid-19, levantando preocupações sobre a privacidade dos cidadãos que recusam …

Testes por saliva usados em eventos-piloto antes de festivais de verão

Os agentes ligados a festivais e concertos e a Direção-Geral de Saúde (DGS) vão realizar várias experiências-piloto para se perceber em que moldes se podem concretizar os festivais de música no verão. Uma das ideias é …

Mais 49 mortes e 1.160 casos de covid-19. Há menos doentes internados do que no Natal

O boletim divulgado esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS) indica que foram registados 1.160 novos casos de covid-19 em Portugal. Nas últimas 24 horas, morreram 49 pessoas. Portugal registou, esta quinta-feira, 1.160 novos casos de …

Bruxelas vai rever regras de uso de telemóvel em roaming

A Comissão Europeia vai rever as regras sobre o roaming do telemóvel, ajustando as tarifas máximas e aumentando a transparência, tendo em vista que o regulamento em vigor caduca a 30 de junho de 2022. Segundo …

Amnistia Internacional retira estatuto de prisioneiro de consciência a Navalny

A Amnistia Internacional anunciou que não pode considerar o principal opositor russo um "prisioneiro de consciência" devido a algumas declarações nacionalistas e xenófobas feitas por si no passado. Esta informação foi revelada, na terça-feira, pelo jornalista …

CGTP volta à rua com concentrações nos distritos e greves e plenários nas empresas

A CGTP vai voltar à rua pela valorização dos salários e do emprego e o respeito pelos direitos individuais e coletivos. A CGTP volta à rua com uma Jornada Nacional de Luta descentralizada para exigir melhores …

27 reúnem-se numa videocimeira para discutir restrições e a aceleração do processo de vacinação

Esta quinta-feira, os 27 reúnem-se virtualmente, numa cimeira coordenada, a partir de Bruxelas, pelo presidente do Conselho Europeu Charles Michel.  Segundo apurou a TSF, na videocimeira desta quinta-feira, os governos deverão reconhecer que a situação epidemiológica …