Sem um financiamento comum, “é o fim da Zona Euro”, diz ministro das Finanças francês

worldbank / Flickr

Bruno Le Maire, ministro das Finanças francês

A Zona Euro está em risco caso não haja um investimento comum, defende o ministro das Finanças francês. Le Maire recomenda um Fundo de Retoma, com a colaboração de todos os estados-membros.

Em entrevista ao Expresso, o ministro das Finanças francês defende a emissão conjunta de dívida com maturidades de “10 a 20 anos” no pós-pandemia de covid-19. Bruno Le Maire argumente que todos os países têm de ter oportunidades semelhantes de financiar a retoma, caso contrário a Zona Euro está em risco.

Le Maire sugere um Fundo de Retoma, disponível não apenas para os 19 países da moeda única, mas para todas as 27 nações. “O Fundo de Retoma é claramente pensado para despesas públicas através de subsídios. Não estou a falar de empréstimos. Por isso é que este fundo seria útil e eficiente”, explicou.

“Se queremos mover-nos ao mesmo ritmo, a 27, necessitamos de um financiamento comum para investimentos”, reiterou. “Caso contrário, há o risco de países como a Alemanha ou a Holanda recuperarem mais rapidamente – porque têm o financiamento nacional – enquanto outros países que não têm as mesmas possibilidades ficam para trás, correndo-se o risco de se criarem mais divergências e diferenças de desenvolvimento entre os 19 da moeda única, o que significaria o fim da zona euro. É isso que está em jogo”.

O plano equacionado por Le Maire faz parte do relatório do Eurogrupo que será discutido no próximo dia 23 de abril. Para garantir que se segue este caminho é necessário convencer a Alemanha e os nórdicos, realça o Expresso.

O ministro das Finanças francês entende que, na emissão conjunta de dívida, a “responsabilidade conjunta é a melhor opção”. Como alternativa, não descarta “a ideia de responsabilidade parcial dos Estados-membros, dependendo do respetivo PIB”.

Le Maire salienta que não seria cada país a decidir onde investe o dinheiro: “A ideia é a de deixar que seja a Comissão a decidir os investimentos”. E como seria distribuídos estes fundos? “Os países recebem dinheiro de acordo com a forma como foram atingidos pela crise e reembolsam-no de acordo com o PIB de cada um“.

“A crise é excecional, e vamos precisar de expandir massivamente a nossa capacidade de financiar investimento público nos próximos três a cinco anos”, assume o ministro gaulês. “No entanto, não temos necessariamente os recursos nacionais imediatos para fazê-lo no curto prazo. Assim, a ideia é ter um fundo comum, que emita dívida com maturidades bastante longas – por exemplo 10 a 20 anos”.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Pois a UE nunca foi uma verdadeira união, cá dentro alguns procuram comer os mais fracos provocando-lhes ainda menos hipóteses de expansão, por sua vez, estes por vezes descartam-se das suas responsabilidades não carrilando na marcha dos mais avançados, depois fora de portas, é verificar agora mais do que nunca o resultado de uma globalização imposta e suas consequências. Se não houver reflexão e modéstia por parte dos políticos europeus em reconhecer os erros cometidos e procurar mudar de rumo, possivelmente irão ser eles próprios o COVID-20 da UE.

  2. os fundos europeus ‘e mal menor, sao necessarios… ha paises a aproveitar a quase 100 por cento outros como portugal que fica acanhado e nada … alemanha por exemplo aproveita fundos quase 100% enquanto portugal aproveita pouca percentagem, as vezes nem 10%…Ja me cansei de dizer que muitos chico espertos no poleiro errado deu nisto…nao temos solucao…esperem para outras geracoes…com esta malta que temos nao dao oportunidade a quem sabe e a quem quer trabalhar…o pais nao gera divercidade de tecnologia nem de negocio….quem fala ou nenuncia ‘e posto de parte….

RESPONDER

Populistas europeus que o apoiavam desvinculam-se agora de Trump

A derrota eleitoral de Donald Trump, a sua recusa em aceitá-la e a violência que se seguiu parecem ter prejudicado as perspetivas de líderes de europeus populistas, apoiantes do Presidente dos Estados Unidos (EUA). "O que …

Carvalhal explica porque é que disse "não" ao Flamengo

Carlos Carvalhal explicou, em entrevista ao Esporte Interactivo, porque é que recusou o convite para treinar os brasileiros do Flamengo. "Não foi uma questão de não querer, foi não poder", explicou o técnico, que agora …

Bruno Fernandes é o melhor jogador de dezembro da Premier (e faz história)

O internacional português foi eleito o melhor jogador de dezembro de 2020 da Liga inglesa, tornando-se o primeiro futebolista a ter quatro distinções num único ano. "O médio do Manchester United torna-se o primeiro jogador a …

Google "esconde" sites de media australianos dos resultados de busca

A Google tem escondido alguns sites de notícias australianos dos resultados de busca, enquanto negocia com o governo daquele país o pagamento do conteúdo. De acordo com o Guardian, o governo australiano está a tentar impor …

Segurança Social avalia pais que impediram filhos de ir às aulas de Cidadania

O pai dos dois estudantes impedidos de frequentar as aulas obrigatórias de Cidadania e Desenvolvimento assegura que levará o caso até às últimas instâncias. O processo continua sem acordo e com a Segurança Social em …

Funcionários do novo aeroporto de Berlim eletrocutados durante trabalho

Funcionários do novo Aeroporto Internacional Berlin-Brandenburg, na Alemanha, inaugurado a 31 de outubro de 2020, têm sido hospitalizados após serem eletrocutados durante o trabalho. Segundo noticiou esta sexta-feira a Rádio Renascença, a maior parte dos casos …

Ao lado de Von der Leyen, Costa defendeu que a "bazuca tem mesmo de ser disparada"

O primeiro-ministro esteve, esta quinta-feira, numa conferência de imprensa conjunta com a presidente da Comissão Europeia, que está de visita a Portugal. António Costa afirmou que a recuperação económica será o primeiro dos três principais objetivos …

"Vaga de degradação política". Sócrates ataca "brutalidade" de Ventura e "maledicência" de Ana Gomes

O antigo primeiro-ministro José Sócrates considera que chegou a Portugal uma "vaga de degradação política" com as eleições presidenciais, alerta para a "brutalidade" da extrema-direita e critica a "maledicência" para "agradar a pasquins" da candidata …

Governo holandês demite-se em bloco após escândalo com abonos de família

O primeiro-ministro holandês confirmou, esta sexta-feira, a sua demissão e a de todos os ministros do seu Executivo, na sequência de um escândalo relacionado com abonos de família e a acusação indevida de milhares de …

"Há um grande aumento de mortes não-covid"

A suspensão da actividade não urgente nos hospitais está a preocupar o presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC), Vítor Gil, que alerta que pode agravar doenças já "muito graves". Isto numa altura em que …