Rui Moreira critica gestão da pandemia. “O país está todo descontrolado”

Rui Moreira / Facebook

O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira

O presidente da Câmara Municipal do Porto considera que “o país está todo descontrolado” e que as medidas que entraram em vigor no âmbito do estado de emergência já deveriam “ter sido tomadas há semanas”.

Em entrevista ao programa “Polígrafo SIC”, da SIC Notícias, Rui Moreira abordou vários temas, nomeadamente a atual gestão da pandemia de covid-19. O autarca considerou que, neste momento, “o país está todo descontrolado”, mas que “a região Norte vive uma situação que merece particular atenção”.

“Está a acontecer a mesma coisa que aconteceu em março. Nessa altura, a pandemia começou no interior do distrito do Porto e esta segunda vaga também começou a ter maior expressão no interior do distrito do Porto. Isto acontece porque é aqui que se concentram mais fábricas, indústrias e um conjunto de pessoas que não podem estar em teletrabalho. (…) Estamos a viver uma situação preocupante”, declarou.

O presidente da Câmara do Porto afirmou que as medidas que entraram em vigor, esta segunda-feira, no âmbito do estado de emergência já deveriam ter sido tomadas há mais tempo.

“As medidas que estamos agora a tomar já deviam ter sido tomadas há semanas. (…) A única coisa que até agora conteve eficientemente a pandemia foi o confinamento. Mas, neste momento, não podemos confinar totalmente o país por um período tão prolongado.”

“O país não está preparado para amanhã se ver confrontado com notícias de 200 ou 300 mortos por dia e, no entanto, podemos estar à beira de o ter. E isso mataria a economia de qualquer maneira”, declarou.

Para Rui Moreira, o recolher obrigatório pode não ser eficaz numa altura em que os casos  já estão muito elevados. “Tenho muitas dúvidas sobre o recolher obrigatório, (…) porque vamos aumentar a pressão naquelas horas, vai haver uma concentração”.

“Consigo compreender o recolher obrigatório durante algumas horas da noite por causa de algumas atividades, mas essas atividades precisam é de policiamento para as interromper. E também não consigo compreender porque é que não se ajustou isso à realidade comparada do país”, acrescenta.

“Custa-me a perceber porque é que, mais uma vez, não se envolveu os Presidentes de Câmara, nem as comunidades municipais. O municipalismo tem conseguido, muitas vezes, suprir muitas das carências que tem havido a nível da administração central, a nível do Governo e, principalmente, a nível da DGS”.

O autarca da Invicta considera que a “permanente precipitação” do Executivo em tomar decisões tem uma responsabilidade principal: a comunicação.

É uma comunicação catatónica, muito virada para números que invariavelmente estão mal, conferências de imprensa que cansam toda a gente, mensagens completamente obtusas. (…) Muitas pessoas continuam a não perceber objetivamente o que é que têm de fazer. Precisamos que as mensagens sejam claras”, apelou.

“O país tinha a obrigação de ter aprendido com o que aconteceu em março e abril. O senhor primeiro-ministro disse que não se tiravam os generais porque era uma guerra. Mas eu acho que ganhámos a guerra em março e abril, não foi nenhum milagre. A guerra do verão nós perdemo-la. E continuamos a ter os mesmos generais a fazer as mesmas coisas”, afirmou Moreira, acrescentando que, “em relação à DGS, são erros a mais”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Meteorito atinge casa de homem indonésio e transforma-o em milionário

O caso insólito aconteceu em Kolang, na Sumatra do Norte, Indonésia. Um fabricante de caixões de 33 anos encontrou um meteorito no seu jardim, depois deste atingir o telhado da sua casa em agosto. O protagonista …

Há 20 anos que ninguém sabe do paradeiro de dois cadernos de Charles Darwin

Dois dos cadernos do naturalista Charles Darwin, um dos quais com o rascunho da “Árvore da Vida” (1837), estão desaparecidos há cerca de 20 anos e terão sido muito provavelmente roubados, anunciou esta terça-feira a …

Cientistas reconstruiram explosão de Beirute através das redes sociais

Cientistas forenses recorreram a imagens partilhadas nas redes sociais para reconstruirem a explosão de Beirute, em agosto, que matou 191 pessoas. A 4 de agosto, uma série de explosões causadas por 2.750 toneladas de nitrato de …

Professor alemão do ensino básico é suspeito de canibalismo e homicídio

Depois de uma pilha de ossos ter sido encontrada por transeuntes no parque de Berlim, as autoridades alemãs descobriram que se tratava de uma vítima de canibalismo. As pistas conduziram-nas, mais tarde, à casa do …

Marselha 0-2 FC Porto | Dragão vence e abre porta dos "oitavos"

Basta apenas um ponto para que o FC Porto carimbe uma vaga nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Na noite desta quarta-feira, os “dragões” venceram o Marseille por 2-0 – com os contributos de Zaidu …

Mais de 100 mil crianças morreram com VIH e 320 mil ficaram infetadas. A pandemia pode piorar o cenário

De acordo com um relatório da UNICEF, a cada 100 segundos uma criança ou jovem com menos de 20 anos foi infetado pelo VIH no ano passado. Com os novos dados, o número total de …

Animação mostra como foram construídas as pontes do século XIV

Construir uma ponte sobre a água parece uma tarefa complicada e a verdade é que, apesar dos inúmeros avanços tecnológicos, os fundamentos pouco alteraram desde os tempos medievais. A Ponte Carlos tem 618 anos, mas não …

Médicos sem Fronteiras deixam hospital da Venezuela devido a restrições

A Médicos sem Fronteiras (MSF) vai se retirar de uma colaboração com um hospital venezuelano que visa tratar pacientes com covid-19 devido a restrições na entrada de especialistas no país, informou a organização na terça-feira. A …

O novo amplificador de guitarra tem maior capacidade de encaixe (e é mais poderoso)

Em 2016, o engenheiro eletrónico Chris Prendergast lançou um projeto Kickstarter para o amplificador de guitarra portátil JamStack. Este encaixava-se num pino de correia e emitia sons gerados por um smartphone. Agora foi lançada a …

Etiópia. Comissão de direitos humanos denuncia massacre de 600 civis na região de Tigré

A organização independente que investiga acusações de violência contra civis na Etiópia corroborou o relatório da Amnistia Internacional que denunciou a chacina de pelo menos 600 pessoas na região de Tigré, no Norte do país. Segundo …