Reino Unido aprova vacina da Oxford/AstraZeneca. Vacina da Sinopharm tem 79% de eficácia

John Cairns / University of Oxford

Vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford

Os reguladores britânicos aprovaram a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela empresa farmacêutica AstraZeneca, informou esta quarta-feira o Ministério da Saúde do Reino Unido.

Esta é a segunda vacina a entrar no programa de imunização contra o novo coronavírus, iniciado em 8 de dezembro no Reino Unido. O país tinha já aprovado uma autorização de emergência para a vacina criada pela dupla Pfizer/BioNTech.

O responsável da AstraZeneca, Pascal Soriot, disse que “hoje é um dia importante para milhões de pessoas no Reino Unido que vão ter acesso a esta nova vacina” que “tem demonstrado ser eficaz, bem tolerada, simples de administrar e é fornecida pela AstraZeneca sem qualquer lucro”.

Em novembro, o laboratório britânico anunciou que a sua vacina era, em média, 70% eficaz em testes clínicos, em comparação com mais de 90% para vacinas da Pfizer/BioNTech e Moderna, que já foram autorizadas para uso em vários países.

Os resultados do ensaio clínico provisório mostraram grandes diferenças nos dados por causa de dois protocolos diferentes: a eficácia foi de 90% para voluntários que primeiro receberam meia dose e, em seguida, uma dose completa um mês depois, mas apenas 62% para outro grupo vacinado com duas doses completas.

Os resultados foram criticados porque a injeção de meia dose foi devido a um erro e um grupo relativamente pequeno seguiu esse protocolo. Por isso, a empresa anunciou que a a sua vacina exigia “um estudo adicional”.

Esta semana, Pascal Soriot garantiu que a vacina forneceu “100% de proteção” contra formas graves de covid-19. “Achamos que descobrimos a fórmula vencedora e como obter eficácia para que, depois de duas doses, fica lá em cima com todo mundo. Não posso dizer mais nada porque vamos publicar em algum momento”, disse.

Vacina chinesa Sinopharm tem 79% de eficácia

A farmacêutica estatal chinesa Sinopharm revelou esta quarta-feira que uma das suas vacinas candidatas contra a covid-19 revelou uma eficácia de 79,34% e que já pediu autorização às autoridades do país asiático para comercializá-la.

Esta é a primeira vacina, entre as várias chinesas que concluíram a fase 3 de testes, de que é conhecida oficialmente a sua eficácia.

No início do mês, as autoridades dos Emirados Árabes Unidos, um dos países que participaram nos testes da vacina, tinham apontado para 86% de eficácia.

O país tornou-se o primeiro a aprovar uma vacina chinesaantes da própria China, que ainda não autorizou oficialmente a comercialização de nenhuma das vacinas desenvolvidas no país, embora a imprensa estatal tenha assegurado que esse processo estará concluído antes do final deste ano.

O Instituto de Produtos Biológicos de Pequim, uma subsidiária da Sinopharm, disse que os resultados dos testes de fase 3 revelaram que os seus níveis de segurança são “bons” e que todos os participantes desenvolveram altos níveis de anticorpos, após receberem ambas as doses, embora não mencione possíveis efeitos colaterais.

O comunicado refere, em linha com os testes realizados nos Emirados Árabes Unidos, que a taxa de soroconversão, ou de desenvolvimento dos anticorpos que defendem contra a infeção, é de 99,5%.

O Instituto de Produtos Biológicos de Pequim assegurou que os dados provisórios extraídos dos ensaios estão em linha com as normas técnicas da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Esta vacina tem sido usada na China, desde julho passado, em grupos de maior risco, como funcionários de saúde ou de programas de prevenção da doença, trabalhadores em portos ou serviços logísticos, ou profissionais colocados em países onde o risco de contágio é considerado alto.

Há pouco mais de um mês, o presidente da Sinopharm, Liu Jingzhen, afirmou que quase um milhão de pessoas na China tinham recebido uma das vacinas de “emergência” e que apenas um pequeno número experimentou efeitos adversos e ligueiros.

Atualmente, quatro vacinas desenvolvidas na China alcançaram a fase 3 dos ensaios clínicos – duas da Sinopharm, uma da Sinovac e uma da CanSino Biologics.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.775.272 mortos resultantes de mais de 81,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP). A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Rui Costa "jamais aceitaria ser príncipe herdeiro" (e deixa candidatura em aberto)

O presidente do Benfica, Rui Costa, disse que seria uma cobardia a si próprio e aos benfiquistas se não assumisse o cargo e que ignorou Luís Filipe Vieira porque ninguém está acima do clube. “Não podia …

Emprego recupera para níveis históricos, mas jovens não acompanham tendência

Números provisórios do INE correspondentes a junho indicam uma retoma do emprego, com 17 mil novos postos de trabalho criados — numa sequência de cinco meses consecutivos de melhoria. Trata-se do mês mais forte desde …

Desconfinamento: A satisfação de uns, continua a ser a angústia de outros

Há vários meses que muitas áreas de atividade económica desejavam o anúncio de um desconfinamento generalizado. Numa altura altura em que a taxa de vacinação está a aumentar progressivamente, o Governo fez-lhes a vontade, mas …

Hospitais privados acusados de acordo anticoncorrencial com a ADSE e IASFA

A Autoridade da Concorrência (AdC) acusou esta quinta-feira cinco grupos hospitalares privados e a respetiva associação empresarial por acordo anticoncorrencial, pelo menos durante cinco anos, quando organizaram uma estratégia no âmbito das negociações comerciais com …

Santos explica por que falharam as negociações com o Benfica por Kaio Jorge

O consultor de mercado do Santos, Sergio Canozzi, explica que a crise interna do Benfica prejudicou as negociações por Kaio Jorge. O Benfica apresentou uma proposta pela contratação de Kaio Jorge, com pagamento e cedência de …

Descoberta incomum feita na antiga capital asteca terá de ser novamente enterrada

Uma equipa de arqueólogos mexicanos anunciou que iria reconstruir um monumento arqueológico incomum encontrado nos arredores da Cidade do México. Porém, este processo terá de ser adiado. Trata-se de um túnel construído há vários séculos como …

Portugal na NBA: Neemias Queta foi escolhido

Momento inédito na história do deporto português. O jovem poste foi contratado pelos Sacramento Kings, equipa que ganhou 10 milhões de adeptos. Se já havia muitos portugueses a ficarem acordados de madrugada para ver em direto …

Inflação aumenta para 1,5% em julho

A inflação terá atingido os 1,5% em julho, um aumento de 1,0 pontos percentuais face ao registado em junho, de acordo com a informação já apurada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). “Tendo por base a …

Autoridades israelitas investigam empresa que criou programa Pegasus

Benny Gantz, ministro da Defesa de Israel, foi a Paris conversar com a sua homóloga francesa, Florence Parly. Em Telavive, as autoridades israelitas inspecionaram, esta quarta-feira, os escritórios da NSO. O Expresso escreve que, esta quarta-feira, …

PS e PAN discordam da decisão de Marcelo de enviar Carta dos Direitos na Era Digital para o TC

O artigo 6.º da Carta Portuguesa dos Direitos Humanos na Era Digital tem sido polémico, por prever a existência de entidades certificadas para atribuir selos de qualidade a órgãos de comunicação social que produzam informação …