/

Há um país que já está livre da covid-19. Pode ser o primeiro do mundo a ficar totalmente vacinado

5

Um aglomerado de ilhas no Oceano Pacífico é um dos poucos locais no planeta Terra que se encontra totalmente livre da covid-19 e, por isso, pode tornar-se num dos primeiros países do mundo a ter a população totalmente vacinada contra a doença.

A República de Palau, um arquipélago que conta com cerca de 18 mil habitantes, recebeu no passado sábado a primeira remessa da vacina desenvolvida pela empresa farmacêutica americana Moderna. O processo de vacinação começou no dia seguinte, anunciou o Ministério da Saúde de Palau no Twitter.

A primeira remessa incluiu 2800 doses da vacina, que serão administradas em duas injeções, com o intervalo de 28 dias. Os profissionais de saúde, os funcionários que trabalham na linha da frente e os grupos mais vulneráveis serão os primeiros a receber a vacina, revela a CNN.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, até ao momento, Palau não registou um único caso de coronavírus, nem nenhuma morte relacionada com a doença.

Em janeiro, quando o vírus começou a espalhar-se pela Ásia e Pacífico, Palau foi um dos primeiros países a implementar medidas de controlo das fronteiras. Estas foram totalmente fechadas em março e a nação começou a testar os cidadãos com o objetivo de detetar o vírus o mais rápido possível e, dessa forma, encontrar uma maneira que evitasse a sua disseminação.

Uma das grandes vantagens deste arquipélago é o seu tamanho, factor que pode ter sido crucial no facto do vírus não ter conseguido lá chegar. A República do Palau cobre uma área de apenas 459 quilómetros quadrados – o que representa cerca de um sexto do tamanho de Rhode Island, o menor estado dos EUA.

O tamanho reduzido também coloca Palau numa posição privilegiada para estar entre os primeiros países a serem vacinados contra a covid-19, de acordo com o ministro da Saúde no país, Ritter Udui.

“Temos sorte de estar numa posição onde temos acesso às vacinas através do OWS, e o  nosso tamanho também torna mais fácil implantarmos o programa”, disse Udui, tendo em conta que Palau tem acesso ao programa de vacinação da covid-19 dos Estados Unidos, conhecido como Operation Warp Speed.

“Não é obrigatório receber a vacina, por isso a nossa meta é vacinar pelo menos cerca de 80% da população. Esperamos assim obter imunidade de grupo”, revelou Udui.

Palau planeou, inicialmente, ter o processo de vacinação concluído até maio, mas Udui prevê que esse prazo “provavelmente será estendido” devido a uma desaceleração na distribuição dos EUA.

A ilha do Pacífico escolheu a vacina da Moderna para iniciar o processo de vacinação porque esta pode ser armazenada numa arca frigorífica comum, disse o ministro da Saúde.

Inicialmente, a ilha não tinha condições para armazenar a vacina da Pfizer devido às temperaturas que esta exige, no entanto, Udui confirmou que Palau recebeu pelo menos uma unidade de armazenamento refrigerado no final de dezembro, que tem capacidade para armazenar até 5000 doses desta injeção.

  Ana Moura, ZAP //

5 Comments

  1. Uma pequena ilha, uma pequena experiência com inocentes cobaias. E se todos os vacinados morrerem ou ficarem incapacitados? Tudo isto é sinistro…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.