Esquiar ou não esquiar? O turismo de inverno está a dividir a Europa (e Bruxelas “lava as mãos”)

sacavem / Wikimedia

Cerca de oito meses após um surto numa estância de esqui na Áustria ter infetado milhares de pessoas e contribuido para a propagação do vírus pela Europa, os países parecem não se entender sobre o que fazer na época de esqui.

De acordo com o The Washington Post, na Alemanha, as autoridades da Baviera, pronunciaram-se enfaticamente a favor de uma proibição de férias nas pistas de esqui. “Não podemos ter as férias clássicas de esqui”, disse o ministro-presidente da Baviera, Markus Soeder.

Soeder aconselhou os alemães a não fazerem a simples travessia da fronteira para irem para as pistas na Áustria, pois enfrentariam uma quarentena de 10 dias quando regressassem.

Também a chanceler alemã foi categórica: “A época do esqui está a chegar. Vamos tentar obter um acordo na Europa para encerrar todas as estâncias de esqui”, declarou Angela Merkel.

O primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte sugeriu a ideia de coordenar com França e a Alemanha um “protocolo europeu comum” para travar o turismo de esqui.

Porém, Bruxelas indicou que deixará a decisão ao critério de cada Governo. “A primeira coisa a saber é que a decisão de permitir ou não a prática do esqui é, evidentemente, uma competência nacional. Isto não é uma competência europeia”, disse o porta-voz da Comissão Europeia, Stefan de Keersmaecker. “Obviamente, não existe uma abordagem universal para o levantamento gradual, científico e eficaz das medidas de contenção”, concluiu.

De acordo com o Diário de Notícias, Viena, na Áustria, opôs-se à assinatura de um acordo de proibição de férias de esqui. O chanceler Sebastian Kurz afirmou que as férias de inverno vão manter-se de pé.

A diferença é que ficam excluídas as festas de après-ski, ponto de convivência social entre os turistas. Além disso, serão ordenadas regras estritas de distanciamento para diminuir os riscos de transmissão. Os turistas devem manter-se a pelo menos um metro de distância, usar máscaras em teleféricos, e os bares e restaurantes servirão bebidas e comida apenas a clientes sentados.

Também a Bulgária não planeia cancelar as férias de esqui no país, sendo que as três principais estâncias – Bansko, Pamporovo e Borovets – vão abrir em dezembro.

Na Eslovénia, a decisão sobre a abertura ou não das estâncias durante o Natal nos Alpes Julianos está pendente. No entanto, a maioria das estâncias começaram a preparar os seus percursos com neve artificial.

Também a Polónia e a Suíça vão abrir as pistas de esqui durante todo o inverno.

Em Espanha, as condições ainda estão por definir entre as autoridades regionais e o governo. Nos Pirenéus, a Catalunha quer abrir as estâncias a partir de 21 de dezembro.

Em França, as estâncias desportivas de inverno podem abrir durante as férias de Natal, mas os teleféricos de esqui terão de permanecer fechados.

Em setembro, noticiou-se que a estância de esqui Ischgl, que fica no vale Paznaun, na Áustria, e é conhecida como “Ibiza dos Alpes”, pode ter sido uma das maiores fontes de disseminação do novo coronavírus na Europa. Pelo menos seis mil pessoas terão contraído a doença entre o final de fevereiro e o início de março naquele local.

ZAP ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

Farense 0-1 Sporting | Beto e Adán gigantes em noite de recorde leonino

O Sporting sofreu bastante para levar os três pontos na visita ao Farense. O líder do campeonato marcou um golo, por Pedro Gonçalves, dominou durante a primeira parte, mas na segunda deixou os algarvios criarem …

Uma simples mudança está a evitar a morte de um macaco em vias de extinção

Cientistas conseguiram dar uma tábua de salvação a uma espécie de macaco em risco de extinção, cujos espécimes são frequentemente atropelados por automóveis nas estradas de um parque nacional em Zanzibar. De acordo com a Lista …

Antigo rito sagrado "entre irmãos" pode ter sido, na verdade, o casamento homossexual

A adelfopoiese era uma cerimónia praticada historicamente na tradição cristã para unir duas pessoas do mesmo sexo - normalmente homens - num relacionamento reconhecido pela igreja, análogo ao irmão. Segundo documentos históricos, com 20 anos, Simeão …

Talin fechou uma estrada para que sapos e rãs possam atravessar em segurança

A capital da Estónia fechou uma estrada movimentada, durante as noites do mês de abril, para garantir que milhares de sapos e rãs conseguem atravessar em segurança para o local onde se vão reproduzir. Geralmente, são …

Organizador do White Lives Matter está a formar um novo grupo fascista (que quer uma guerra racial)

Organizador do White Lives Matter está a formar um novo grupo fascista, que procura agradar à opinião pública e quer ver uma guerra racial nos Estados Unidos. O organizador do abortado comício White Lives Matter, em …

Bezos nega que funcionários sejam vistos como "robôs". Mas Amazon deve tratá-los "melhor"

O ainda presidente executivo da Amazon, Jeff Bezos, enviou uma última carta aos acionistas da empresa, negando que os funcionários sejam "tratados como robôs", conforme alegaram alguns trabalhadores e críticos da empresa. Segundo Bezos - que …

A imponência do Titanic pode ter acelerado o fim da sua história

Com quase 269 metros de comprimento, o tamanho do Titanic - considerado o maior navio do mundo em 1912 - pode mesmo ter acelerado o fim da sua história. O Titanic media quase 269 metros de …

Pogba diz que a sua relação com Mourinho "mudou da noite para o dia"

O futebolista francês recordou a relação "muito boa" que tinha com o treinador português quando este era treinador do Manchester United, mas que acabou por mudar, segundo as suas palavras, "da noite para o dia". Numa …

Empreiteiros, cuidado. Vem aí o Baubot, um robô para a construção civil

A startup austríaca Printstones, que desenvolve robôs de impressão 3D desde 2017, revelou o seu mais recente protótipo: Baubot, um robô para a construção civil. A principal missão do Baubot é auxiliar e automatizar a indústria …

Oito meses depois da explosão em Beirute, o Líbano ainda é um pesadelo tóxico

A explosão em Beirute foi apenas mais uma página no longo e sombrio livro da má gestão de resíduos tóxicos no Líbano. Ainda há produtos químicos perigosos no porto de Beirute. Já lá vão oito meses …