Esquiar ou não esquiar? O turismo de inverno está a dividir a Europa (e Bruxelas “lava as mãos”)

sacavem / Wikimedia

Cerca de oito meses após um surto numa estância de esqui na Áustria ter infetado milhares de pessoas e contribuido para a propagação do vírus pela Europa, os países parecem não se entender sobre o que fazer na época de esqui.

De acordo com o The Washington Post, na Alemanha, as autoridades da Baviera, pronunciaram-se enfaticamente a favor de uma proibição de férias nas pistas de esqui. “Não podemos ter as férias clássicas de esqui”, disse o ministro-presidente da Baviera, Markus Soeder.

Soeder aconselhou os alemães a não fazerem a simples travessia da fronteira para irem para as pistas na Áustria, pois enfrentariam uma quarentena de 10 dias quando regressassem.

Também a chanceler alemã foi categórica: “A época do esqui está a chegar. Vamos tentar obter um acordo na Europa para encerrar todas as estâncias de esqui”, declarou Angela Merkel.

O primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte sugeriu a ideia de coordenar com França e a Alemanha um “protocolo europeu comum” para travar o turismo de esqui.

Porém, Bruxelas indicou que deixará a decisão ao critério de cada Governo. “A primeira coisa a saber é que a decisão de permitir ou não a prática do esqui é, evidentemente, uma competência nacional. Isto não é uma competência europeia”, disse o porta-voz da Comissão Europeia, Stefan de Keersmaecker. “Obviamente, não existe uma abordagem universal para o levantamento gradual, científico e eficaz das medidas de contenção”, concluiu.

De acordo com o Diário de Notícias, Viena, na Áustria, opôs-se à assinatura de um acordo de proibição de férias de esqui. O chanceler Sebastian Kurz afirmou que as férias de inverno vão manter-se de pé.

A diferença é que ficam excluídas as festas de après-ski, ponto de convivência social entre os turistas. Além disso, serão ordenadas regras estritas de distanciamento para diminuir os riscos de transmissão. Os turistas devem manter-se a pelo menos um metro de distância, usar máscaras em teleféricos, e os bares e restaurantes servirão bebidas e comida apenas a clientes sentados.

Também a Bulgária não planeia cancelar as férias de esqui no país, sendo que as três principais estâncias – Bansko, Pamporovo e Borovets – vão abrir em dezembro.

Na Eslovénia, a decisão sobre a abertura ou não das estâncias durante o Natal nos Alpes Julianos está pendente. No entanto, a maioria das estâncias começaram a preparar os seus percursos com neve artificial.

Também a Polónia e a Suíça vão abrir as pistas de esqui durante todo o inverno.

Em Espanha, as condições ainda estão por definir entre as autoridades regionais e o governo. Nos Pirenéus, a Catalunha quer abrir as estâncias a partir de 21 de dezembro.

Em França, as estâncias desportivas de inverno podem abrir durante as férias de Natal, mas os teleféricos de esqui terão de permanecer fechados.

Em setembro, noticiou-se que a estância de esqui Ischgl, que fica no vale Paznaun, na Áustria, e é conhecida como “Ibiza dos Alpes”, pode ter sido uma das maiores fontes de disseminação do novo coronavírus na Europa. Pelo menos seis mil pessoas terão contraído a doença entre o final de fevereiro e o início de março naquele local.

ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

Jerónimo na campanha de João Ferreira para homenagear os que "se levantaram contra o fascismo"

O candidato presidencial comunista contou com a presença do secretário-geral do PCP, esta segunda-feira, na Marinha Grande, que destacou a importância de lutar contra os atuais "traços de regressão democrática". Durante uma ação na Escola Secundária …

Gilberto, Vertonghen, Grimaldo, Diogo Gonçalves e Waldschmidt infetados

Os futebolistas do Benfica Gilberto, Vertonghen, Grimaldo, Diogo Gonçalves e Luca Waldschmidt são os mais recentes casos positivos ao novo coronavírus no plantel do Benfica, informou esta terça-feira o clube da Luz. “O Sport Lisboa e …

Hospital de Portalegre abre inquérito a morte de doente que esteve 3 horas em ambulância

O hospital de Portalegre vai abrir um inquérito para apurar as circunstâncias da morte de um octogenário, na noite de segunda-feira, na área dedicada aos doentes respiratórios, depois de estar quase três horas numa ambulância, …

"Não somos heróis". Há quartéis que podem fechar se não houver vacinas para os bombeiros

O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), Fernando Curto, disse que se o número de bombeiros infetados com covid-19 continuar a este ritmo muitos quartéis podem ter de encerrar. "As carrinhas de transporte de …

Mayan ouve lesados da pandemia e diz que "limitações têm de vir acompanhadas do cheque"

Tiago Mayan Gonçalves ouviu as lamentações de uma série de empresários algarvios afetados pela pandemia. O candidato aponta o dedo ao Governo, argumentando que "limitações severas têm de vir acompanhadas do cheque". Esta segunda-feira, Tiago Mayan …

Itália: Da crise pandémica à crise política. Conte tem agora o voto de confiança dos deputados

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, obteve ontem a confiança dos deputados para se manter no governo, depois da demissão de duas ministras do partido Itália Viva (IV) ter aberto uma crise política, deixando o governante …

Hospitais do Centro no limite. Em Lisboa, vão abrir dois hospitais de campanha

Várias unidades hospitalares têm dado conta nos últimos dias de uma situação de rutura nos serviços, devido à pressão de doentes internados com covid-19. Pela primeira vez, este domingo, os óbitos associados à covid-19 no Centro …

"Risco de readmissão é grande". Quase um terço dos infetados voltou ao hospital (e um em cada oito morreu)

De acordo com um estudo recente realizado no Reino Unido, quase um terço das pessoas que tiveram alta de um internamento por problemas de saúde relacionados com a covid-19, em Inglaterra, regressaram ao hospital pela …

Fecho das escolas "seria a medida mais forte de saúde pública"

O encerramento das escolas "seria a medida mais forte de saúde pública a ser tomada", perante a existência de um "teto falso" na deteção de novos casos e o aparecimento da variante inglesa, defendeu esta …

"Ato ditatorial" e "humilhação cruel". Mourinho criticado por optar por Gedson em vez de Dele Alli

O ex-futebolista Stan Collymore chamou Mourinho de ditador e criticou o facto de ter deixado Dele Alli de fora dos convocados em detrimento de Gedson Fernandes. Stan Collymore, antigo jogador do Liverpool, criticou José Mourinho pela …