/

Médicos, camas e ventiladores. Alemanha envia ajuda para Portugal já na quarta-feira

4

Rammn de la Rocha / EPA

A Alemanha vai enviar para Portugal 26 profissionais de saúde, entre eles oito médicos, já na quarta-feira, como parte de uma missão de ajuda de combate à pandemia de covid-19, revelaram hoje fontes oficiais alemãs à Lusa.

O ministério da Defesa alemão, num comunicado enviado à agência Lusa, refere ainda o envio de material médico, entre eles 40 ventiladores móveis e dez estacionários, 150 bombas de infusão e 150 camas hospitalares.

“Apoiamos os nossos amigos europeus, também na luta contra o coronavírus. Combinei com o meu homólogo João Cravinho (ministro da Defesa português) que a Bundeswehr (Forças Armadas alemãs) vão enviar pessoal e material médico para Portugal. A solidariedade fortalece a Europa”, revelou a ministra da Defesa, Annegret Kramp-Karrenbauer, no documento enviado à Lusa.

Numa primeira fase, a ajuda deverá estender-se por um período de 21 dias. Os profissionais de saúde e o equipamento médico chegam ao aeroporto Humberto Delgado na quarta-feira.

O anúncio da ajuda a Portugal também foi feito pelo Ministério da Defesa alemão através do Twiteer.

“Face ao trabalho técnico realizado, até ao momento, estima-se a chegada a Portugal, quarta-feira, dia 3 de fevereiro, de uma equipa de profissionais de saúde militares com competências ao nível da Medicina Intensiva e ainda a cedência de material clínico (ventiladores, bombas e seringas de infusão)”, refere um comunicado conjunto dos ministérios da Defesa Nacional e da Saúde.

Os profissionais permanecerão em Portugal “durante um período de três semanas, estando prevista a sua substituição a cada 21 dias, até ao final de março, caso seja necessário”, acrescenta o Governo, confirmando que Portugal aceitou “a proposta de colaboração” do Governo alemão para reforçar a resposta à covid-19, “na sequência de diversos contactos bilaterais”.

O governo português salienta ainda que, na primeira vaga da pandemia, a Alemanha disponibilizou o seu apoio a vários estados europeus.

“Países como Itália, França, Holanda, Bélgica e República Checa, países com maior proximidade geográfica à Alemanha, foram os destinatários da solidariedade alemã e europeia, que agora se estende também a Portugal”, lê-se, no comunicado.

Recorde-se que Portugal pediu profissionais para reforçar as equipas de enfermagem e de médicos intensivistas, equipamentos onde se verificam falhas pontuais, como seringas e ventiladores não invasivos, e vagas hospitalares para transferir doentes para fora do país.

Este domingo, o chanceler austríaco, Sebastian Kurz, anunciou que o seu país também vai receber doentes portugueses em cuidados intensivos por covid-19, em sinal de “solidariedade europeia”, refere a agência EFE.

Também o Governo espanhol se ofereceu para ajudar Portugal a lutar contra a falta de meios hospitalares no quadro da pandemia de covid-19, disse hoje à agência Lusa o embaixador de Portugal em Madrid, João Mira Gomes.

Portugal registou, nas últimas 24 horas, 275 mortes e 5805 novos casos de covid-19, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta segunda-feira (1 de fevereiro).

  Ana Moura, ZAP // Lusa

4 Comments

  1. Estes importam-se com o tempo útil das coisas. Não como cá que é o “oxalá corra tudo bem” e onde a noção da urgência das coisas é para o quando se puder. Como dizia a fábula, adaptada, “O tuguinha só cantava e o alemãozinho trabalhava”.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.