Em Belém, só Marcelo e três profissionais de saúde vão ser já vacinados

António Cotrim / Lusa

O Presidente da República e o pessoal médico da Presidência são os quatro elementos que constam na lista enviada ao primeiro-ministro para identificar as pessoas prioritárias à vacinação contra a covid-19 em Belém.

Marcelo Rebelo de Sousa, um médico e duas enfermeiras. Segundo o semanário Expresso, são estes os quatro nomes que constam na resposta do Presidente da República ao primeiro-ministro para identificar as pessoas que devem ser prioritárias na vacinação contra a covid-19 no Palácio de Belém.

No domingo à noite, na entrevista que deu ao programa “Isto é Gozar Com Quem Trabalha”, transmitido na SIC, o chefe de Estado reafirmou – já tinha deixado esta posição clara no seu discurso a propósito da renovação do estado de emergência – que “seria estranho que se pegasse nos políticos em pacote (…) e passassem à frente de idosos com doenças mais graves ou de médicos que não são prioritários”.

Para o Presidente reeleito, é inegável que há figuras públicas que devem ter prioridade na vacina, como “a ministra da Saúde, a diretora-geral da Saúde, o coordenador do Plano de Vacinação e o primeiro-ministro”. “Mas há muitos outros que não têm prioridade. Como tudo na vida, é uma questão de bom senso“, continuou.

No entanto, em declarações ao jornal online Observador, e apesar desta sugestão de Marcelo Rebelo de Sousa, o coordenador do plano de vacinação contra a covid-19 em Portugal, Francisco Ramos, confirmou que não vai ser já vacinado.

“Não vou ser. A task-force não propôs o coordenador como prioritário”, confirmou, acrescentando que o mesmo se passa com todos os outros elementos deste grupo de trabalho.

Ao mesmo jornal digital, o responsável confirmou que os presidentes das Câmaras começam a ser vacinados esta semana, mas sem nenhum plano específico.

Vão ter de ir com as outras pessoas, não há uma forma de vacinação específica”, declarou, rejeitando, por exemplo, que esteja a ser equacionada a deslocação de profissionais de saúde às instalações das autarquias para lhes ser administrada a vacina.

De acordo com o conjunto de contactos feitos pelo Observador, é ainda escassa a informação nos municípios sobre como será feito este processo de vacinação.

A vacinação prioritária dos titulares de órgãos de soberania tem dado que falar, sobretudo dentro da Assembleia da República. Depois da lista inicial de 50 pessoas enviada pelo presidente do Parlamento, Eduardo Ferro Rodrigues, ao chefe do Governo, os deputados foram recusando esta prioridade a pouco e pouco. Neste momento, restam 35 deputados que querem receber já a primeira dose da vacina.

Esta terça-feira, Ferro Rodrigues sugeriu a constituição de um grupo de trabalho para acompanhar o processo de vacinação no Parlamento, até atingir todos os deputados que pretendam ser vacinados.

“O presidente da Assembleia da República considera da maior utilidade a constituição de um  grupo de trabalho para acompanhar o processo que agora se inicia e que continuará, de forma programada, até atingir todos os deputados que pretendam ser vacinados, bem como os funcionários considerados indispensáveis para garantir o funcionamento efetivo deste órgão de soberania, revendo-se nas propostas avançadas, sobre as quais se debruçará a conferência de líderes, em reunião que será convocada quando tal se justificar”, lê-se num comunicado.

No documento, Ferro Rodrigues refere que o processo de vacinação “iniciado com as respostas à solicitação do primeiro-ministro está a ser desenvolvido, contemplando as observações e propostas que foram remetidas ao presidente da Assembleia da República nos últimos dias”.

De acordo com o presidente da AR, depois da reunião da conferência de líderes da última quinta-feira, ficaram “definidos critérios da carta a enviar – precedências do Protocolo do Estado e membros da Comissão Permanente, e com posterior sugestão aos líderes parlamentares de indicação de nomes tendo por base a idade ou o estado de saúde”.

Esses mesmos critérios, salienta, “não mereceram contributos de qualquer grupo parlamentar”. E na sexta-feira “foi enviada a resposta ao primeiro-ministro, que atendeu às posições de grupos parlamentares quanto a quem, do universo definido, deveria ou não fazer parte da lista”.

Na sequência deste passo, de acordo com o presidente da Assembleia da República, “nos últimos dias, a solicitação do Grupo Parlamentar do PSD, e, posteriormente, de dois presidentes de comissões parlamentares permanentes [Marcos Perestello e Sérgio Sousa Pinto, ambos do PS] e de deputada membro da Comissão Permanente [Maria Begonha, do PS], foram feitos acertos à relação inicial“.

“Todos os procedimentos administrativos e sanitários para que o processo de vacinação se inicie estão a decorrer em articulação entre o secretário-geral da Assembleia da República e o Ministério da Saúde, num processo que decorrerá de acordo com os critérios e prioridades estipulados e ao ritmo que as autoridades de saúde definirem.”

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Suécia 1-0 Eslováquia | Isak carrega nórdicos às costas

A Suécia deu hoje um passo de ‘gigante’ rumo aos oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer a Eslováquia por 1-0, em encontro da segunda jornada do Grupo E, disputado em São Petersburgo. Depois …

Ex-CEO da Groundforce admite hipótese de comprar a empresa

O ex-CEO da Groundforce, afastado do cargo em abril por "violação grave dos deveres de lealdade", não exclui a hipótese de vir a comprar a empresa de handling. Em declarações ao jornal online ECO, Paulo Neto …

Viatura onde seguia Eduardo Cabrita atropela uma pessoa na A6

Esta sexta-feira, um homem morreu após ter sido atropelado pelo automóvel em que seguia o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, num acidente na autoestrada A6. Numa nota enviada às redações, o Ministério da Administração Interna …

Portugal com mais 1.298 casos e quatro mortes

Esta sexta-feira, Portugal registou 1.298 novos casos e quatro mortes na sequência da infeção por covid-19. Segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), foram registados, nas últimas 24 horas, mais 1.298 casos e …

Parlamento aprova prorrogação das moratórias bancárias até final do ano

O alargamento aplica-se aos "particulares e para as empresas que desenvolvem a sua atividade em setores especialmente afetados pela pandemia de covid-19". O Parlamento aprovou, esta sexta-feira ,a prorrogação e alargamento das moratórias bancárias, que terminavam …

Tribunal belga obriga AstraZeneca a entregar 50 mihões de doses de vacina à UE

A AstraZeneca vai ter que entregar 50 milhões de doses da vacina para a covid-19 à União Europeia. A entrega deve ser efetuada até 27 de setembro. A justiça belga ordenou, esta sexta-feira, à farmacêutica …

"Dois terços dos problemas estão na Área Metropolitana de Lisboa", justifica Costa

O primeiro-ministro, António Costa, justificou esta sexta-feira a necessidade de tomar medidas localizadas em Lisboa para evitar que o agravamento da situação epidemiológica se alastre.  Em Bruges, na Bélgica, à margem da sessão de encerramento do …

CDS critica “enorme infelicidade” do Presidente e "comunicação desastrosa" do Governo

O CDS-PP criticou hoje as declarações do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, quando disse que no que depender dele não haverá "volta atrás" no desconfinamento, considerando-as de “uma enorme infelicidade”, lamentando também a …

Astronautas entraram pela primeira vez na nova estação espacial chinesa

Três astronautas chineses começaram, esta sexta-feira, a fazer da nova estação espacial da China o seu lar, um dia depois de ali terem chegado, num lançamento bem-sucedido, que marcou um novo avanço no ambicioso programa …

Homicida de Bruno Candé tinha plena consciência dos seus atos. MP quer 22 anos de prisão

Evaristo Marinho, o homicida de Bruno Candé, tinha plena consciência dos seus atos quando cometeu o crime, lê-se no relatório do Instituto Nacional de Medicina Legal. O Ministério Público quer 22 anos de prisão. O Ministério …