Responsável da EMA confirma ligação entre vacina da Astrazeneca e tromboses

Daniel Leal-Olivas / EPA

Marco Cavaleri, responsável da estratégia de vacinas da Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) confirmou que há uma ligação entre a vacina da AstraZeneca e os casos de trombose.

Em declarações ao jornal italiano Il messagero, o responsável da Agência Europeia do Medicamento (EMA) admitiu que “é claro que há uma ligação [dos casos de trombose] com a vacina” da AstraZeneca. “Agora podemos dizer [que sim]”, afirmou Marco Cavaleri.

Contudo, ainda não se sabe a causa desta reação. “Ainda não sabemos. Nas próximas horas diremos que há uma ligação, mas ainda temos de entender como acontece”, explicou.

Especialistas da Agência Europeia do Medicamento reuniram-se esta semana para finalizar a sua avaliação de casos raros de coagulação do sangue e a sua possível relação com a vacina contra a covid-19 da AstraZeneca, cujo uso em menores de 60 anos está paralisado em alguns países europeus.

O Comité de Avaliação de Risco de Farmacovigilância (PRAC, na sigla em inglês), responsável por monitorizar e avaliar a segurança dos medicamentos para uso humano autorizados pela EMA, tem reuniões agendadas de terça a sexta-feira.

Na última reunião, quarta-feira passada, o PRAC não descartou a relação causa-efeito, mas também não encontrou evidências claras de uma ligação entre a AstraZeneca e o desenvolvimento de coágulos sanguíneos com baixo número de plaquetas.

Com isto, a EMA continua a considerar que os benefícios desta vacina contra covid-19 continuam a superar qualquer risco de efeitos colaterais.

Vários países europeus, como é o caso da Dinamarca, Estónia, Lituânia, Luxemburgo, Letónia, Noruega e Áustria, suspenderam o uso da vacina da AstraZeneca após relatos de coágulos e tromboses em pessoas que foram vacinadas com este produto.

No início de março, a Áustria anunciou a retirada por precaução de um lote da vacina da AstraZeneca após a morte de uma enfermeira do hospital de Zwettl. Um segundo paciente foi diagnosticado com embolia pulmonar e, até terça-feira, mais duas outras condições de coagulação foram identificadas em pacientes que receberam uma dose do mesmo lote.

Portugal também chegou a suspender o uso da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 por motivos de “precaução” e “saúde pública”.

Mesmo quando vários países decidiram interromper o uso desta vacina, a Organização Mundial de Saúde (OMS) continuou a recomendá-la. Também a EMA tinha assegurado que a vacina da AstraZeneca contra a covid-19 “é segura e eficaz”, não estando associada aos casos de coágulos sanguíneos detetados, que levaram à suspensão do seu uso.

Apesar de vários países terem voltado a administrar a vacina após o parecer da EMA, a Dinamarca e a Noruega prolongaram a suspensão do seu uso. Paralelamente, o Canadá e alguns hospitais alemães suspenderam esta inoculação em menores de 55 anos.

Em Portugal, a hipótese de uma nova suspensão da AstraZeneca foi afastada pelo coordenador da task force para a vacinação.

Na semana passada, foi noticiado que sete pessoas morreram no Reino Unido por causa de coágulos sanguíneos, após receberem a vacina da AstraZeneca.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

21 COMENTÁRIOS

  1. A vacina da Astrazeneca não oferece tranquilidade a quem a recebe, ao contrário da Pfizer e Moderna que são seguras e muito eficazes (90%).

    • Seguras e eficazes!? LOL, não tenho nada contra cobaias que queiram tomar. veremos a médio longo prazo…. Espero que tenha razão. Afirmar que são eficazes só o tempo o dirá…

      • A eficácia da Pfizer e da Moderna é de 90%. E as reações alérgicas têm sido mínimas. Eu já tomei a da Pfizer sem qualquer reação.

        • Segundo os papers da vacina da Pfizer esta é apenas totalmente eficaz em 19% dos casos (no sentido de impedir a pessoa de apanhar a doença). É 90% eficaz em evitar a morte com a doença. É uma eficácia muito relativa tendo em conta que menos de 3% das pessoas que apanham a doença morre.

  2. Com tantos testemunhos a nível mundial sobre os malefícios deste “vacina da morte”, por que razão há países – sobretudo PORTUGAL – que insistem em injectar este veneno nas pessoas?…
    E depois vem a chantagem:
    – quem se negar a tomar a AstraZeneca vai para o fim da lista!
    Ou seja, o governo utiliza uma forma de chantagem ignóbil e preocupante, para obrigar os portugueses a “gastar” o stock das compras efectuadas nas morgues europeias!

  3. Isto tem muita graça. Primeiro toda a gente jura pela segurança da AstraZeneca – governo, almirante, jornalistas, epidemologistas. Agora já há relação entre a vacina e os casos de trombose. Mas entretanto obrigaram as pessoas a sujeitar-se ao lixo e a tomar uma vacina com riscos reais. Tudo para não terem de aprovar e usar uma vacina russa sem contra-indicações. A minha posição nisto é muito simples: recuso a vacina da AstraZeneca e só serei vacinado quando a Sputnik V estiver disponível. Prefiro o risco de infeção ao risco de trombose.

  4. Então e o mesmo tipo de casos que aparecem também com a pfizer e que são em muito maior numero?
    Ninguém fala nisso porquê???

    • Ninguém?!
      Há montes de notícias sobre isso:
      “Reino Unido. Vacina da Pfizer ligada a mais episódios de coágulos do que a da AstraZeneca”
      RTP
      .
      “Nos EUA houve relatos de efeitos na coagulação do sangue com as vacinas da Pfizer e da Moderna”
      Público

  5. Os benefícios da vacina da Astrazeneca são superiores aos efeitos colaterais (?) Não deitem areia aos olhos das pessoas. Não podem pedir uma opinião aos mortos por trombose por causa dela, mas já fizeram a mesma pergunta aos familiares desses pobres infelizes que não morreram da doença mas morreram da cura? Eu por mim e apesar de ter 72 anos recuso-me a ser vacinado com essa vacina diabólica. Vou para o fim da fila? Grande coisa, pior seria se fosse para o fundo da cova. E já agora se querem pedir que pague por outra vacina que não essa, não me importo de pagar. Prefiro pagar da Pfizer ou da Moderna do que me paguem para receber essa vacina que só continua no mercado porque é a mais barata. Interesses financeiros.

    • Podes pagar o que quiseres, mas o risco vai continuar a existir!!
      “Nos EUA houve relatos de efeitos na coagulação do sangue com as vacinas da Pfizer e da Moderna”
      “Parecem ser fenómenos raros, ao nível de um num milhão, que começam a tornar-se visíveis porque estão a ser administradas muitos muitos milhões de doses de vacinas contra a covid-19. O cientista James Bussel estudou-os.”
      Público, 18 de Março de 2021

RESPONDER

Fotografia da NASA demonstra Teoria da Relatividade Geral de Einstein

O aglomerado Abell 2813 tem tanta massa que atua como uma lente gravitacional, fazendo com que a luz de galáxias distantes se curve à sua volta. A lente gravitacional acontece quando a massa de um objeto …

Astrónomos descobrem uma super-Terra perto de uma estrela gelada

Uma equipa de investigadores descobriu uma super-Terra a orbitar GJ 740, uma estrela anã fria localizada a cerca de 36 anos-luz do nosso planeta. Nos últimos anos, os cientistas têm levado a cabo uma busca exaustiva …

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …