Estudo sugere que pessoas mais altas correm mais riscos de ficar infectadas com coronavírus

Bienvenido Velasco / EPA

As pessoas com mais de 1,82 metros de altura correm maiores riscos de ficar infectadas com o novo coronavírus, segundo um estudo realizado nos EUA e no Reino Unido. Não é uma questão de biologia. Em causa estará a transmissão do vírus pelo ar.

A principal conclusão deste estudo divulgado pela Universidade de Manchester, no Reino Unido, é que a covid-19 se pode transmitir pelo ar, através dos chamados aerossóis. A altura não seria um factor importante caso a transmissão fosse apenas por gotículas, como vinha sendo reportado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) até este mês.

Este novo estudo foi feito a partir de um inquérito a 2.000 pessoas no Reino Unido e nos EUA (mil em cada país), das quais 339 tinham mais de 1,82 metros, para perceber se atributos pessoais ou práticas diárias em casa e no trabalho poderiam influenciar a transmissão do vírus.

Os participantes tiveram que responder a perguntas sobre o seu emprego, os seus rendimentos, a forma como se deslocam para o trabalho, se moram sozinhos ou com outras pessoas e se costumam conviver muito ou não com terceiros, entre outras perguntas.

Os resultados do inquérito foram depois analisados por cientistas de dados do Reino Unido, da Noruega e dos EUA, liderados por especialistas da Universidade de Oxford.

As conclusões, que ainda vão ser alvo de revisão científica antes da publicação do estudo, apontam que as pessoas mais altas têm uma maior probabilidade de contágio. No Reino Unido, esse risco é “o dobro”, segundo o estudo, em comparação com as pessoas com menos de 1,82 metros.

A probabilidade é ligeiramente inferior nos EUA, mas muito alta no caso das mulheres que tinham “mais de nove vezes” a probabilidade de apanhar o vírus.

Os cientistas não avançam explicações para a divergência de dados entre EUA e Reino Unido, mas salientam que não está em causa uma questão biológica.

Para os cientistas, trata-se simplesmente do facto de que o coronavírus será transmitido pelo ar através dos chamados aerossóis. Este tipo de contágio é considerado “materialmente significativo”, segundo os autores do estudo que também é divulgado pelo jornal britânico The Telegraph.

O professor Evan Kontopantelis, da Universidade de Manchester, refere ao The Telegraph que outros estudos já sugeriram a transmissão pelo ar, mas vinca que “o método de confirmação” utilizado nesta pesquisa, onde participou, “é novo”.

A OMS admitiu, no início de Julho, que o novo coronavírus se transmite pelo ar depois de ter sido alertada para essa realidade por um grupo de 239 especialistas.

Estes novos dados sugerem que a forma como a maioria dos países está a combater a pandemia pode estar errada, valorizando a importância do uso de máscaras.

“Embora o distanciamento social ainda seja importante, porque é provável que a transmissão por gotículas ainda ocorra, [o estudo] sugere que o uso de máscaras pode ser tão – se não mais – eficaz na prevenção”, vinca Kontopantelis, sublinhando que “também a purificação do ar nos espaços interiores deve ser mais explorada”.

Este novo estudo conclui também que “usar uma cozinha ou acomodação partilhada” é igualmente “um factor significativo” de transmissão do coronavírus nos dois países, mas sobretudo nos EUA, “onde as hipóteses são 3,5 vezes maiores”.

“As pessoas com formação em Ciências Naturais no Reino Unido tinham uma probabilidade ligeiramente menor de contrair a doença, em comparação com as dos EUA, mesmo quando controlaram [dados sobre] a posse de carros e outras informações socio-económicas”, apontam ainda os autores do estudo, notando que isto pode indicar “uma protecção mais cuidadosa” e uma maior capacidade de distanciamento social entre os britânicos.

Perante os resultados do estudo, o professor de Medicina Paul Hunter, da Universidade britânica East Anglia, salienta no The Telegraph que é preciso encará-los “com cuidado”.

“Os autores analisaram um número substancial de possíveis preditores para uma série de medidas de resultados”, aponta Hunter, considerando que “um dos maiores erros que as pessoas fazem com inquéritos epidemiológicos é testar múltiplas hipóteses“. “Quantas mais hipóteses se testam, mais será a probabilidade de assinalar associações que surgiram apenas por acaso”, conclui.

SV, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

BE acusa Governo de “nunca ter concretizado” medidas para fixar profissionais no SNS

A coordenadora do BE acusou esta segunda-feira o Governo de “nunca ter concretizado” as medidas no Orçamento do Estado de 2019 para fixar profissionais no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e apontou como “absoluta necessidade” …

Bebés voltam a poder ser registados no hospital

No início da pandemia, o serviço "Nascer Cidadão" foi encerrado, Agora, mais de um ano depois, já é possível voltar a registar os bebés nos hospitais onde nascem. Os balcões "Nascer Cidadão" foram instalados há mais …

Fauci revela que uso de máscara está a ser revisto nos EUA para pessoas vacinadas

Anthony Fauci, conselheiro de saúde da Casa Branca, disse que os Estados Unidos estão a estudar a possibilidade de levantar a obrigatoriedade do uso de máscara para pessoas vacinadas contra a covid-19. Este domingo, Anthony Fauci …

Tratamentos de radioterapia em risco no IPO de Lisboa

Tratamentos de radioterapia no Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa estão em risco devido à falta de profissionais. O IPO de Lisboa conta com sete aceleradores lineares, aparelhos sofisticados que obrigam à presença física de …

Presidente de associação solidária acusado de violar e escravizar mulheres em situações precárias

O presidente da associação "Paz no Coração" está a ser acusado por 60 crimes sexuais. Atualmente, encontra-se em prisão preventiva. Alfredo Marques Carvalho, líder da associação, acolhia vítimas de violência doméstica, atiradas para a rua com …

Sócrates sai em defesa de Vieira. Em Portugal, "prende-se primeiro e pergunta-se depois"

Em Portugal, "prende-se primeiro e pergunta-se depois", considera o antigo primeiro-ministro José Sócrates, num artigo de opinião publicado esta segunda-feira no qual reage às detenções de Luís Filipe Vieira e Joe Berardo. "Tudo igual, tudo igual, …

Thomas Daley: o ouro para quem sofreu muito

Bullying na escola, morte do pai, homossexualidade, incapaz de caminhar. Thomas Daley venceu uma prova de saltos para a água, em Tóquio, ao lado do também britânico Matty Lee. Surpresa nos saltos para a água, nos …

Depois de uma época dourada, Portugal cai sete lugares no ranking da inovação

A economia nacional caiu sete posições, naquela que é a primeira inversão na trajetória ascendente desde 2014. Apesar do recuo, Portugal melhorou em 18 dos 32 indicadores. A notícia, avançada esta segunda-feira pelo jornal Público, dá …

Mortes de crianças com covid-19 disparam na Indonésia. No Reino Unido aumentam casos graves entre jovens

Médicos britânicos alertaram para o aumento do número de crianças e jovens infetados com covid-19 a dar entrada nos hospitais, apelando à vacinação para não "sofrerem desnecessariamente" com a evolução da doença. "Os doentes estão a …

Empresa portuguesa arrisca multa por enviar ilegalmente resíduos de plástico para a Roménia

Uma empresa portuguesa foi apanhada a enviar resíduos de plástico para a Roménia sem cumprir os requisitos necessários para o fazer. Segundo noticia o Público, a Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento …