Especialistas de 32 países alertam OMS: covid-19 também se transmite pelo ar

Fernando Bizerra / Lusa

Numa carta aberta à Organização Mundial de Saúde, 239 cientistas pedem que a organização reveja as recomendações que tem emitido, alertando para o facto de a covid-19 poder transmitir-se pelo ar.

Numa carta dirigida à Organização Mundial da Saúde (OMS), 239 cientistas de 32 países apresentaram evidências de que partículas mais pequenas suspensas no ar podem infetar pessoas, ou seja, a covid-19 também se transmite pelo ar. Os cientistas pedem à organização que reveja as recomendações que tem divulgado.

O The New York Times teve acesso à versão inicial da carta aberta, que inclui exemplos que mostram que a transmissão por via aérea do novo coronavírus é possível em espaços mal ventilados ou cheios. De acordo com a carta, que será publicada esta semana na revista científica Clinical Infectious Diseases, sistemas de ventilação em escolas, lares de idosos e empresas poderão ter de ser adaptados para minimizar a circulação do ar.

Segundo a OMS, o vírus SARS-CoV-2 é transmitido maioritariamente através de contacto e pequenas gotículas respiratórias que, depois de expelidas pelas pessoas, não ficam no ar e caem rapidamente para o chão ou outras superfícies.

Os 239 médicos signatários acreditam que a organização refere-se apenas a gotículas maiores e não está a considerar a possibilidade de pequenos aerossóis, que também são emitidos por pessoas, ficarem no ar. “Sabemos desde 1946 que tossir e falar gera aerossóis”, explicou Linsey Marr, especialista da Universidade Virgina Tech, nos EUA.

A líder técnica de controlo da infeção da OMS, Benedetta Allegranzi, sustenta, por sua vez, que as provas da propagação do vírus por via aérea ainda não são convincentes. “Em especial nos últimos meses, temos afirmado várias vezes que a transmissão por via aérea é possível, mas não há provas sólidas nem irrefutáveis”.

A OMS admite que a transmissão aérea é possível, mas refere que acontece apenas em ambientes em que são geradas gotículas inferiores a 5 microns (alguns procedimentos médicos, por exemplo).

A especialista na transmissão aérea de vírus da universidade norte-americana argumenta, contudo, que a maioria das experiências da OMS são realizadas em ambiente hospitalar onde há uma boa ventilação do ar. A especialista explica que na maioria dos edifícios “a taxa de renovação do ar é muito mais baixa, permitindo que o vírus se acumule no ar e represente um risco maior.”

Paul Hunter, membro do comité de prevenção de infecções da OMS e professor de medicina na Universidade de East Anglia, no Reino Unido, disse que a OMS tem de saber gerir as recomendações que podem ser difíceis de cumprir. “A transmissão de aerossóis pode ocorrer, mas provavelmente não é assim tão importante”, disse ao NYT.

“Controlar a transmissão por via aérea não vai fazer muito para controlar a propagação da covid-19. Vai impor custos desnecessários, particularmente em países que já não dispõem de pessoal ou recursos suficientes”, acrescentou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Continua a pairar perigosamente". Relógio do Juízo final mantém-se a 100 segundos do Apocalipse

A Humanidade nunca esteve tão perto do Apocalipse, alertam os cientistas responsáveis pelo "Relógio do Juízo Final", que decidiram mantê-lo na mesma posição do ano passado, a 100 segundos da meia-noite. O relógio, que é uma …

A primeira bateria doméstica de hidrogénio armazena três vezes mais energia do que uma da Tesla

Para usar energia solar doméstica, é preciso gerar energia quando o Sol brilha e armazená-la quando não aparece. Para isto, as pessoas usam normalmente sistemas de bateria de lítio. Porém, a empresa australiana Lavo construiu …

Um oásis LGBTQ, Budapeste é posto à prova pelo populismo e pela pandemia

Budapeste é um oásis para a comunidade LGBTQ, mas a cena drag da capital húngara vê-se ameaçada pela pandemia de covid-19 e pelas políticas conservadoras e populistas de Viktor Orbán. Durante muitos anos, Budapeste desfrutou a …

Coreia do Sul "ressuscitou" voz de uma superestrela. Chovem preocupações éticas

Pela primeira vez em 25 anos, a distinta voz da superestrela sul-coreana Kim Kwang-seok será ouvida na televisão nacional. O famoso cantor folk morreu em 1996. De acordo com a CNN, a emissora nacional da Coreia …

Maioria dos países africanos só terá vacinação em massa a partir de 2023

A maioria dos países africanos só terá imunização em massa a partir de 2023, segundo previsão da The Economist Intelligence Unit, que admite que, com o evoluir da pandemia, muitos dos países mais frágeis possam …

Mulher que "morreu" com covid-19 aparece viva 10 dias após funeral

Uma mulher de 85 anos ficou infetada com covid-19 num lar na Galiza, em Espanha. A 13 de janeiro a família de Rogelia Blanco recebeu a informação do lar de que a mulher tinha falecido. …

Familiares de vítimas na China pressionadas a não falar com OMS

As autoridades chinesas estão a pressionar as famílias das primeiras vítimas da covid-19 para que não entrem em contacto com os investigadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Wuhan, segundo familiares dos falecidos. Mais de …

Falsas vacinas à venda na Internet são grande risco para a saúde

Embora milhões de pessoas tenham sido já vacinadas contra a covid-19 nos países ricos, proliferam as fraudes na Internet com fármacos falsos que representam um grande risco para a saúde, alertaram peritos das Nações Unidas. As …

Voto prévio no Senado aponta para absolvição de Trump

Na terça-feira, 45 dos 50 republicanos no Senado votaram contra a continuidade do julgamento ao ex-Presidente Donald Trump, considerando inconstitucional que um chefe de Estado que já terminou o mandato seja julgado no Congresso. De acordo …

Estudo revela que um terço dos inquiridos foi vítima de violência doméstica pela primeira vez na pandemia

Quinze por cento dos inquiridos num estudo sobre violência doméstica em tempos de covid-19 reportou a ocorrência deste crime na sua casa e um terço das vítimas disse ter sido agredida pela primeira vez durante …