Sequelas da covid-19 em doentes mais graves ainda estão por compreender

Giuseppe Lami / EPA

O acompanhamento depois da alta para doentes que estiveram internados com covid-19 é um dos grandes desafios do sistema de saúde para compreender que sequelas, por enquanto desconhecidas, a doença poderá deixar.

“Só daqui a seis ou doze meses, no mínimo, é que teremos capacidade de avaliar a extensão das sequelas e quais os órgãos mais atingidos”, afirmou o pneumologista Filipe Froes à Lusa, adiantando que pelo menos os hospitais de São João (no Porto) e de Santa Maria (em Lisboa) já têm um plano de consultas de acompanhamento pós-covid-19.

A epidemiologista e principal responsável técnica da resposta à covid-19 da Organização Mundial de Saúde (OMS), Maria Van Kerkhove, afirmou que os efeitos a longo prazo podem ser mais expectáveis em doentes “que estiveram hospitalizados durante períodos longos, que podem ter estado entubados, podem ter tido pneumonia grave ou síndrome de choque tóxico”.

Maria Van Kerkhove afirmou que a comunidade médica está “agora a começar a aprender com estes doentes recuperados e espera ter uma forma mais sistemática” de os tratar depois da hospitalização.

Ainda sem se conhecerem todos os efeitos e manifestações no organismo da infeção pelo novo coronavírus, Filipe Froes destaca que para já, nos doentes que saem do internamento e dos cuidados intensivos depois de problemas respiratórios, é natural que se registe uma perda funcional nos pulmões, “mas que pode ser reversível”.

Como a doença se manifesta mais visivelmente no sistema respiratório na maior parte dos doentes, o pulmão será o órgão em que os especialistas se deverão concentrar mais para estudar sequelas da doença, que poderão ser avaliadas com “estudos de função respiratória e imagiológicos”.

O órgão com maior risco será o pulmão, mas teremos que fazer o caminho caminhando. Há que ter em conta muitas variáveis: certas doenças prévias, as características de cada pessoa e a evolução da doença”, salientou. “Há estudos que sugerem danos no aparelho cardiovascular, renal ou neurológico, bem como o risco de desenvolver doenças autoimunes” nos doentes que tiveram covid-19.

Maria Van Kerkhove destaca que o que os serviços de saúde precisam de fazer é acompanhar os doentes que foram hospitalizados “ao longo do tempo para perceber como recuperam e se vão precisar de que cuidados prolongados, e quais”, referiu.

“O que sabemos a partir de todas as pessoas que foram infetadas globalmente, até agora, é que a grande maioria recuperará sem problemas”, mas a vigilância terá que continuar para “aqueles que tiveram uma forma grave da doença ou que estiveram em estado crítico”.

Nas suas orientações atualizadas para clínicos, divulgadas na semana passada, a OMS indica que na reabilitação poderá ser preciso contar com várias especialidades, de acordo com as necessidades de cada doente, o que poderá incluir medicina física e de reabilitação, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, terapeutas da fala ou até profissionais de saúde mental.

No caso de doentes que tenham tido doença respiratória grave e haja síndrome pós-cuidados intensivos – uma forma de trauma que pode afetar de várias formas os doentes que sobreviveram a situações mais severas desde fadiga persistente a dificuldade em conseguir desempenhar tarefas diárias -, deve haver programas de reabilitação pulmonar para os doentes.

Os programas de reabilitação, refere a agência de saúde das Nações Unidas devem incluir o ensino de técnicas e exercícios de respiração, gestão da ansiedade e assistência no caso de serem exigidas alterações nas casas dos doentes recuperados.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Clarisse: dois gestos que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também para os registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …

Tribunal europeu dá razão à SIC e condena Estado por violar liberdade de expressão

Portugal foi condenado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH) por violação da liberdade de expressão num caso em que a SIC foi obrigada a indemnizar um ex-deputado do PS por ofensa à sua …

Misturar doses da AstraZeneca e da Pfizer aumenta até seis vezes as defesas contra covid-19

Um novo estudo realizado na Coreia do Sul concluiu que o número de anticorpos contra a covid-19 aumentou seis vezes em quem misturou as doses da AstraZeneca e da Pfizer em relação a quem tomou …

Bruxelas abre infração contra Portugal por não transpor regras da UE para comércio desleal

A Comissão Europeia abriu, esta terça-feira, um procedimento de infração contra Portugal e outros 11 Estados-membros por não terem transposto regras da União Europeia (UE) que proíbem práticas comerciais desleais entre empresas na cadeia de …

Federação Portuguesa de Futebol confirma: Supertaça vai ter público nas bancadas

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) confirmou, esta terça-feira, que a final da Supertaça, agendada para este sábado, vai poder ter 33% da lotação do Estádio Municipal de Aveiro. Depois de a ministra da Saúde, Marta …