“Vacinas sem agulhas” podem revolucionar a distribuição de medicamentos em todo o mundo

Cientistas criaram um novo método para estabilizar medicamentos e vírus numa película que não requer refrigeração e pode facilitar imenso o processo distribuição.

A corrida começou para identificar uma vacina eficaz para o vírus Covid-19. Uma vez descoberta, o próximo desafio será fabricá-la e distribuí-la pelo mundo.

Um grupo de investigadores garante ter desenvolvido um novo método para estabilizar vírus vivos e outros medicamentos biológicos numa película de rápida dissolução que não requer refrigeração e pode ser administrada por via oral.

Como os ingredientes para fazer a película são baratos e o processo é relativamente simples, isto poderia tornar as campanhas de vacinação muito mais acessíveis. Grandes quantidades podem ser enviadas e distribuídas facilmente, devido à sua forma plana.

Globalmente, as taxas de vacinação melhoraram na última década, mas ainda são muito baixas — 13,5 milhões de crianças não foram vacinadas em 2018. Esta nova tecnologia, publicada recentemente na revista Science Advances, tem o potencial de melhorar drasticamente o acesso global a vacinas e outros medicamentos biológicos.

Stephen C. Schafer

Inspirado em rebuçados

A equipa de investigação começou a desenvolver esta tecnologia em 2007, quando os Institutos Nacionais de Saúde pediram para desenvolver um método de entrega sem agulha e não perecível em prateleiras para uma vacina.

A ideia de desenvolver uma película foi inspirada num documentário sobre como o ADN de insetos e outros seres vivos pode ser preservado durante milhões de anos em âmbar. Isso levou os cientistas a pensar em rebuçados.

Era uma ideia simples, mas ninguém tinha tentado. Por isso, começaram a trabalhar misturando uma variedade de formulações contendo ingredientes naturais, como açúcares e sais, e testando-os quanto à capacidade de formar um rebuçado semelhante a âmbar.

Inicialmente, muitas das tentativas testadas mataram o organismo quando a película se formou ou cristalizou durante o armazenamento, destruindo o vírus ou as bactérias que estavam a tentar preservar. Mas, finalmente, após cerca de 450 tentativas ao longo de um ano, encontraram uma solução.

À medida que ganharam mais experiência com o processo de produção, trabalharam para simplificá-lo, para que não fosse necessário um formação técnica extensiva. Além disso, aprimoraram os ingredientes para que secassem mais rapidamente, permitindo que se fizesse um lote de vacinas pela manhã e o enviasse após o almoço.

A equipa está agora a trabalhar com uma startup para poder lançar esta tecnologia no mercado nos próximos dois anos.

Mais benefícios

Todas as vacinas armazenadas perdem a sua potência ao longo do tempo. A taxa na qual elas fazem isso depende principalmente da temperatura em que são mantidas. Manter as vacinas continuamente refrigeradas é difícil e caro — e em algumas partes do mundo, quase impossível. Portanto, criar uma vacina que possa ser armazenada e transportada à temperatura ambiente é uma enorme vantagem.

A maior inovação deste projeto ocorreu quando estavam a terminar o projeto de vacina contra o Ébola e encontraram películas que continham vírus produzidos há três anos, armazenados num recipiente selado na bancada do laboratório.

Por capricho, os investigadores voltaram a hidratá-la e testaram para determinar se a vacina ainda era capaz de induzir uma resposta imune. Para sua surpresa, mais de 95% dos vírus na película ainda estavam ativos. Atingir este tipo de prazo de validade numa vacina não refrigerada foi surpreendente.

A pegada ecológica deixada pelas campanhas globais de imunização não é frequentemente considerada. A Campanha de Eliminação de Sarampo das Filipinas de 2004, que imunizou 18 milhões de crianças num mês, gerou 19,5 milhões de seringas, ou 143 toneladas de resíduos de objetos cortantes e quase 80 toneladas de resíduos não perigosos — frascos vazios, invólucros de seringas, bonés, cotonetes e embalagens. As implicações para uma campanha maior são significativas.

Esta nova película, por outro lado, pode ser distribuída por profissionais de saúde equipados apenas com um envelope com uma vacina. Uma vez tomada, não deixará vestígios, exceto uma população global saudável.

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas identificam pela primeira vez expressões faciais emocionais em ratos

Pela primeira vez, cientistas de Neurobiologia do Instituto Max Planck, na Alemanha, identificaram expressões faciais emocionais em ratos. À semelhança dos seres humanos, as expressões faciais dos ratos mudam quando estes animais provam algo doce …

Imprimiram corais artificiais em 3D que podem salvar recifes

Uma equipa de cientistas inspirou-se na natureza para desenvolver estruturas em forma de coral, impressas em 3D, capazes de produzir grandes quantidades de algas microscópicas. Investigadoras da Universidade de Cambridge e da Universidade da Califórnia desenvolveram …

Avalanches submarinas prendem microplásticos no fundo do oceano

As avalanches de sedimentos submarinos transportam os microplásticos para o fundo do oceano e um projeto de colaboração entre as Universidades de Manchester, Utrecht e Durham e o Centro Nacional de Oceanografia acaba de revelar …

Aos 107 anos, Cornelia Ras conseguiu vencer a covid-19

Cornelia Ras, que contraiu o novo coronavírus em meados de março, pode ser a mulher mais velha do mundo a vencer a covid-19. Nunca se é velho demais para vencer o novo coronavírus e a holandesa …

Coreia do Norte pode estar a usar fábricas de fertilizantes para extrair urânio

Um novo estudo norte-americano mostra que a Coreia do Norte pode estar a utilizar fábricas de fertilizantes para produzir mais material nuclear, extraindo urânio de ácidos fosfóricos. Segundo noticiou o Newsweek, na opinião da investigadora Margaret …

Distância social de 1,5 metros é insuficiente para travar contágio

O estudo realizado por investigadores e engenheiros especializados em dinâmica de fluidos concluiu que a distância deve ser de, pelo menos, quatro metros. Um estudo divulgado esta quinta-feira alerta que a distância social de 1,5 metros …

Estados Unidos registam 9 desempregados por segundo

O desemprego está a atingir números preocupantes nos Estados Unidos: só na última semana, 6,6 milhões de pessoas declararam estar sem emprego para poder receber apoios, um número semelhante ao da semana anterior. De acordo com …

Chineses desistem de comprar o BNI Europa. Está agora em mãos angolanas

O contexto de incerteza, provocado pela pandemia de covid-19, levou o Grupo chinês KWG a desistir de comprar 80,1% da participação do BNI Europa. O grupo chinês KWG desistiu de comprar 80,1% da participação do BNI …

Tesla usa peças do Model 3 para construir um ventilador

A Tesla também está a tentar contribuir para colmatar a escassez de ventiladores com um novo protótipo, feito com partes do Model 3. A Tesla construiu um ventilador com recurso a componentes automóveis. A fabricante elétrica …

Há acordo no Eurogrupo: 500 mil milhões de euros "disponíveis imediatamente"

Os ministros das Finanças da Zona Euro chegaram a acordo, esta quinta-feira, sobre os apoios económicos para fazer face à pandemia de covid-19. O Eurogrupo chegou a acordo sobre o pacote de ajuda económica para a …