/

Vacina da Pfizer 100% eficaz em adolescentes entre os 12 e os 15 anos

Jean-Francois Monier / AFP

A vacina desenvolvida pela Pfizer revelou uma eficácia de 100% em adolescentes entre os 12 e os 15 anos. Em 2.260 jovens vacinados, não houve nenhuma infeção.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 é 100% eficaz em adolescentes entre os 12 e os 15 anos, segundo os resultados de um ensaio clínico, anunciados esta quarta-feira pelos dois laboratórios. As empresas esperam que a vacinação desta faixa etária comece antes do próximo ano letivo.

Os ensaios de fase 3 realizados em 2.260 adolescentes nos Estados Unidos “demonstraram uma eficácia de 100% e respostas robustas de anti-corpos”.

A norte-americana Pfizer e a alemã BioNTech vão agora submeter estes dados às diferentes autoridades de regulação no mundo “na esperança de começar a vacinar este grupo etário no início do próximo ano escolar“, declarou em comunicado Albert Bourla, diretor-geral do gigante farmacêutico norte-americano.

Por parte do laboratório alemão, Ugur Sahin, considerou que os resultados sobre a faixa dos 12-15 anos são “muito encorajadores, tendo em conta a tendência observada nas últimas semanas relativamente à propagação” da variante do vírus inicialmente detetada no Reino Unido.

A vacina da Pfizer/BioNTech, baseada na tecnologia inovadora de RNA mensageiro (mRNA), foi a primeira contra a covid-19 aprovada no ocidente, no final de 2020. Os Estados Unidos e a União Europeia autorizaram a utilização para as pessoas com 16 e mais anos.

Até agora, a vacina foi usada em milhões de adultos com mais de 65 anos.

Um estudo em condições reais realizado em 1,2 milhões de pessoas em Israel demonstrou uma eficácia de 94%. As crianças são menos propensas a casos graves da doença, motivo pelo qual a vacinação não é prioritária neste momento.

No entanto, a vacinação nas faixas etárias mais baixas pode vir a ser crucial para atingir a imunidade de grupo.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.805.004 mortes no mundo, resultantes de mais de 128,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

PUBLICIDADE

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.