Austrália insiste em investigar origem da Covid-19. China ameaça boicotar importação

Scott Morrison (ScoMo) / Facebook

Scott Morrison, primeiro-ministro da Austrália

A Austrália prometeu esta quarta-feira que vai continuar a exigir uma investigação sobre a origem do novo coronavírus, apesar de a China ter ameaçado boicotar as importações de bens e serviços australianos.

“A Austrália continuará a adotar esse curso de ação extremamente razoável e sensato. Este vírus já matou mais de 200.000 pessoas em todo o mundo e paralisou a economia global. As implicações e os impactos são extraordinários”, apontou o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, citado pela agência Lusa.

Na semana passada, o governo australiano pediu uma investigação “transparente” sobre a origem do novo coronavírus, que foi inicialmente detetado na cidade chinesa de Wuhan. A proposta, que inclui o aprofundamento na gestão e troca de informações sobre a doença, foi condenada por Pequim, que considerou existirem motivações políticas.

A Austrália, forte aliada de Washington, propôs a investigação logo após o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, ameaçar com “consequências” para a China, caso seja provado que o país é “deliberadamente responsável” por causar a pandemia.

O embaixador chinês em Camberra, Cheng Jingye, sugeriu então um possível boicote chinês sobre produtos australianos como carne e vinho, e outros serviços do país oceânico. A China é o principal parceiro comercial da Austrália.

Numa entrevista publicada na segunda-feira no Australian Financial Review, Cheng Jingye alertou que, caso a tensão aumente, “os turistas podem ter dúvidas. Talvez os pais dos alunos também tenham dúvidas sobre se este lugar não é tão acolhedor e agradável, mas antes hostil”.

O chefe do Tesouro australiano, Josh Frydenberg, respondeu esta quarta-feira também, garantindo à rede local Sky News que o seu país “não se curvará perante a extorsão, e vai continuar a defender o interesse nacional australiano e a não negociar a saúde para obter resultados económicos”.

As relações entre os dois países deterioraram-se devido a questões como a militarização do Mar do Sul da China por Pequim ou a aprovação na Austrália de leis contra interferência estrangeira, depois de terem sido descobertos casos de doações chinesas a políticos e ciberataques a agências estatais e universidades australianas, atribuídas à China.

Segundo um balanço da agência AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 215 mil mortos e infetou mais de três milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 840 mil doentes foram considerados curados. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Lusa //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Só quem tem algo a esconder, escuda-se atrás do argumento ‘político’. 200.000 e a contar devem ser todos políticos. Sabemos que para a China 200.000 não tem significado e que o pão na mesa dos outros é problema deles, mas já tivemos pelo menos três viruses oriundos da China e o quarto não deve tardar. Se a China quer boicotar a importação de produtos de países que fazem perguntas incómodas, então vou começar com um boicote privativo de produtos chineses. Vai ser difícil, porque não sei como, mas em quase tudo há alguma coisa deles incorporado.

    • Estou completamente de acordo.
      Tenho uma proposta a fazer. É tempo de devolver o desemprego à China ela que nos “roubou” as empresas e as tecnologias e que está, literalmente, prestes a comprar um país africano (a Zambia) por via de manobras financeiras. O Sri Lanka e outros que estão na rota da seda também são ou serão alvo dessas manobras (proponho a construção de uma strutura mas obrigo-te a garantir uma percentagem do investimento que eu sei que não poderás pagar. Lipimho limpimho. A Bélgica não autorizou a compra de estruturas de eletricidade nós não… resultado; muitos milhões de dividendos à Three Gorges e uma eletricidade cara para nós).
      Se deixarmos de importar da China faremos com que les produzam menos.
      As nossas produções são mais caras, certo. Mas só precisamos de comprar barato porque a nossa estrututra social está falida pelo desemprego.
      Para onde foram os empregos?
      Se os nossos empregos voltarem poderemos pagar um pouco mais caro o que produzimos cá e sem darmos por isso devolveremos o desemprego aos chineses.

  2. Quem não deve , não teme, sempre ouvi dizer desde a minha infância .
    Ora se a china , não deixa e ameaça , com contrapartidas económicas , das duas uma , ou são parvos ou tem rabo de palha para esconder .
    Numa só coisa , dou razão ao trump , todos os países , deviam unir-se , e apresentar a conta aos chineses
    porque são os únicos a ganhar com o covid 19.
    Cuidem-se

RESPONDER

Multinacional oferece emprego qualificado em Portugal mas não tem candidatos

Um engenheiro de Mirandela regressou à terra para instalar na cidade transmontana o polo principal de uma nova multinacional na área da energia que está a recrutar, mas não consegue candidatos para emprego qualificado. Manuel Lemos …

Austrália, Japão, EUA e Índia reúnem-se "sem objetivos militares", mas China sente-se ameaçada

Estados Unidos, Austrália, Japão e Índia reuniram-se naquela que foi a primeira reunião do chamado Quad. A China sente-se ameaçada e avisa que o grupo está "fadado ao fracasso". Joe Biden liderou esta sexta-feira a primeira …

"Escândalo". FCSH acusada de abrir concurso à medida de Raquel Varela

A Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa está a ser acusada de abrir um concurso à medida da historiadora Raquel Varela. A polémica com a historiadora começou na segunda-feira, 20 de …

Descobertos cadáveres de guerreiros do século XIII. Podem ter sido enterrados pelo Rei Luís IX

Cientistas britânicos acreditam que os cadáveres dos guerreiros cristãos tenham sido enterrados por Luís IX, rei de França, no século XIII. Um grupo de arqueólogos internacionais encontrou no castelo de Sidon, no Líbano, valas comuns com …

Hidroavião de Sacadura Cabral e Gago Coutinho é único no mundo e está em Lisboa

Um dos hidroaviões que há quase 100 anos transportaram Sacadura Cabral e Gago Coutinho na primeira Travessia Aérea do Atlântico Sul está exposto no Museu da Marinha, em Lisboa, e é o único aparelho original …

Programa da SIC Notícias comentou eleições em dia de reflexão. CNE deixou aviso

O "Programa Cujo Nome Estamos Legalmente Impedidos de Dizer", da SIC Notícias, falou sobre as eleições em dia de reflexão, porque "comentário não é propaganda eleitoral". As eleições autárquicas estão marcadas para este domingo e, como …

Os dentes das formigas-cortadeiras são tão resistentes como facas

Um novo estudo indica que as formigas-cortadeiras têm uma teia de átomos de zinco entrelaçados na estrutura biológica das mandíbulas, o que lhes dá a durabilidade de um conjunto de facas de aço inoxidável. De acordo …

Francisco George defende vacinação de crianças com menos de 5 anos contra a covid-19

As crianças maiores de cinco anos devem ser vacinadas contra a covid-19, desde que a segurança e a eficácia da vacina estejam comprovadas cientificamente nestas idades, defende o médico especialista em saúde pública Francisco George. A …

Cientistas imprimiram, pela primeira vez, células cerebrais vivas em 3D

Uma equipa de cientistas usou uma nova técnica laser e conseguiu imprimir em 3D células cerebrais vivas. A maioria dos neurónios sobreviveram durante mais de dois dias após terem sido impressos em 3D, o que significa …

Descoberto antídoto contra agentes nervosos tipo Sarin e Novichok

Uma equipa do Laboratório Nacional Lawrence Livermore (LLNL), nos Estados Unidos, desenvolveu um antídoto que neutraliza a exposição ao envenenamento por agente nervoso. O estudo, que foi publicado na revista Scientific Reports, foi o resultado de …