/

Europol alerta sobre certificados falsos de testes negativos à covid-19

A agência policial da União Europeia (UE) alertou esta segunda-feira que os viajantes devem ficar atentos a gangues de crime organizado que se encontram a vender certificados falsos de testes negativos à covid-19 que custam até 300 euros em aeroportos.

O alerta da Europol surge depois de a polícia ter detido vários suspeitos por venda de certificados falsos a declarar que pessoas tinham testado negativo à covid-19 em aeroportos no Reino Unido e em França, avança a AFP.

Vários países da União Europeia, e outros, exigem agora provas de que os passageiros não estão infetados pelo vírus que já matou mais de 2,2 milhões de pessoas em todo o mundo.

“Enquanto as restrições de viagens permanecerem em vigor devido à pandemia, é muito provável que os criminosos aproveitem a oportunidade de produzir e vender certificados de testes falsos à covid-19”, refere a Europol.

“Dados os meios tecnológicos amplamente disponíveis na forma de impressoras de alta qualidade e diferentes softwares, estes grupos organizadores podem produzir documentos falsificados de alta qualidade”, frisou a agência policial de Haia.

No ano passado, a polícia francesa desmontou uma rede de falsificações no aeroporto Charles de Gaulle, nos arredores de Paris, que vendia certificados falsos por 150 a 300 euros, indica a Europol.

“Os serviços de inteligência sugerem que, no Reino Unido, foram detidas pessoas a vender documentos de teste falsos à covid-19 por 100 libras (113,16€), falsificando o nome de um laboratório genuíno nos certificados falsos”, acrescentou.

Há 10 dias, um homem foi preso no aeroporto de Luton, no Reino Unido, suspeito de ter vendido certificados falsos.

Em Espanha, a polícia também prendeu um homem que vendia documentos falsos por 40 euros online, enquanto nos Países Baixos foi descoberto um esquema através de aplicações de mensagens.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.