Reabertura das escolas será “aprendizagem” para o próximo ano, diz Costa

António Cotrim / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, declarou esta sexta-feira que o regresso às aulas presenciais não significa a interrupção do ensino à distância e que servirá como aprendizagem para o próximo ano letivo.

Segundo avançou a Rádio Renascença, Costa acredita que, no próximo ano letivo, ainda não deverá estar disponível uma vacina para a covid-19.

Durante uma visita à Escola D. Pedro V, em Lisboa, sublinhou que “não se estuda para fazer exames” e que, por isso, “além da atividade letiva presencial nas disciplinas para que há exame, a aprendizagem continua também à distância em casa”, para os alunos dos 11.º e 12.º anos, que vão regressar às escolas, e para os restantes.

“É muito importante compreender que o ensino presencial nas escolas não substitui o que vai continuar a desenvolver-se à distância, através do ensino síncrono, quer nas disciplinas que não vão ser lecionadas presencialmente, quer para complementar a atividade letiva que não se esgota na sua dimensão presencial”, referiu.

“Vai ser uma escola diferente que vamos ter, neste final de terceiro período, mas esta semanas vão ser muito importantes para todos, para concluir bem este ano letivo e, sobretudo, para treinar o próximo, porque vamos ter todo um próximo ano letivo em que vamos ter de conviver com o vírus”, destacou ainda.

Costa explicou que “este regresso é uma forma de todos testarem metodologias e aprenderem, na prática, o que é necessário manter, aperfeiçoar e fazer melhor”, para que próximo ano letivo decorra “sem o sobressalto das últimas semanas”.

O primeiro-ministro assegurou que o regresso às aulas presenciais, na segunda-feira, far-se-á com a máxima segurança, agradecendo “muito a toda a comunidade educativa o esforço extraordinário que foi feito para, num curto espaço de tempo, adaptar as escolas para que possam acolher todos os que nelas trabalham em segurança”.

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, que acompanhava Costa esta sexta-feira, destacou o papel dos assistentes operacionais nas escolas no reinicio da frequência das escolas por parte dos alunos, noticiou a agência Lusa.

“Os assistentes operacionais, juntamente com os professores e as direções das escolas têm um papel fundamental para que essas boas práticas, esse dia a dia do novo normal possa ser cumprido dentro das escolas”, sustentou Tiago Brandão Rodrigues.

Miguel A. Lopes / Lusa

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues

Para o ministro, o quotidiano dos alunos tem, forçosamente, de se adaptar à nova realidade. “O facto de não se aproximarem, o facto de tudo estar higienizado, poderem pulverizar as mãos em cada momento para que que o ensino e a aprendizagem aconteçam aqui, como em muitas outras escolas do pais”, concluiu.

Escolas sem garantia de ter todos os professores

A Rádio Renascença noticiou igualmente que, apesar do regresso de cerca de 160 mil alunos à escola na próxima segunda-feira, muitos não terão aulas com o professor que os tem acompanhado ao longo do ano letivo, visto que os docentes de grupos de risco são dispensados, levando a novas contratações.

A procura por professores nesta fase não satisfaz pais nem alunos, que criticam a obrigação do ensino presencial. O presidente da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE), Rui Martins, disse que, numa altura de realização dos exames, ficar sem os professores titulares é um risco.

O responsável defendeu ainda que, “o ensino à distância, à partida, será uma vantagem muito maior do que encontrar professores novos, que nunca tiveram contacto com qualquer aluno”.

Também Hugo Barreto, da Federação das Associações de Estudantes do Ensino Básico e Secundário, criticou a situação, lamentando o facto de os alunos não saberem qual o professor que vão ter nas aulas presenciais, até porque “as turmas vão ser divididas”.

Petição com quase 900 assinaturas

A petição “Por que não devem reabrir as escolas”, criada por um grupo de professores que entende que a reabertura das escolas não garante a igualdade de oportunidades, dirigida ao presidente da Assembleia da República, já conta com a assinatura de quase 900 professores.

À Rádio Renascença , Maria Sanches Ribeiro, professora de Biologia e Geologia do 11º ano na Escola Secundária Passos Manuel e uma das peticionárias, disse que “há vários alunos que se encontram em situação de profunda desigualdade com este regresso à escola”.

“Muitos alunos poderão não regressar por questões de saúde, outros regressando à escola não terão acesso ao professor com que trabalharam o ano inteiro, outros correrão risco de ficar sem aulas pela falta de professores, outros ainda poderão correr riscos sérios, porque têm de utilizar os transportes públicos”, apontou.

Caso a petição atinja as mil assinaturas será publicada no Diário da Assembleia da República e os peticionários ouvidos na comissão.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas identificam fóssil do inseto mais antigo do mundo

Um fóssil de um milípede descoberto em 1899 é o inseto mais antigo do mundo, concluiu um novo estudo. O espécime em causa tem 425 milhões de anos. Uma equipa de investigadores da Universidade do Texas …

Jorge Jesus renova com o Flamengo por mais uma época

O treinador português anunciou, esta quarta-feira, que vai ficar mais uma época nos brasileiros do Flamengo, até junho de 2021. "Digam à nação que fico!". É esta a frase que acompanha a fotografia publicada, esta quarta-feira, …

Governo deixa cair lay-off simplificado. Novo apoio vai variar em função da quebra de faturação

O apoio às empresas em lay-off que retomarem a atividade será diferenciado em função da quebra de faturação, com vista a direcionar as ajudas públicas “a quem mais precisa”, afirmou esta terça-feira a ministra do …

Grupo de precários da Casa da Música dispensado de serviço via e-mail "meia hora depois" de uma vigília de protesto

Cerca de 13 trabalhadores "precários" da Casa da Música, no Porto, foram dispensados dos concertos que tinham alocados para o mês de junho. Em declarações à Lusa, Hugo Veludo, um dos 13 assistentes de sala …

Sete detidos em operação na Quinta da Fonte ficam em prisão preventiva

Os sete homens que foram detidos numa operação policial no bairro da Quinta da Fonte, em Loures, na segunda-feira, ficaram em prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa, revelou à agência Lusa a Polícia …

O parasita da malária tem o seu próprio relógio interno

Um novo estudo acaba de revelar que, mesmo quando cultivados fora do corpo, os parasitas da malária conseguem manter o seu ritmo. Quando uma pessoa contrai malária, acontece uma dança rítmica dentro do corpo. Os sinais …

Maduro e Guaidó juntam-se na luta contra a pandemia. EUA acusam país de impedir voos humanitários

O governo do Presidente venezuelano e o líder da oposição Juan Guaidó acordaram procurar conjuntamente fundos para combater a pandemia da covid-19 na Venezuela, de acordo com um documento divulgado esta terça-feira na televisão oficial. No …

Marítimo "aplaude" Costa no espectáculo de Bruno Nogueira e pede adeptos nos Estádios

Com recurso a fotografias de António Costa no Campo Pequeno, a assistir ao espectáculo "Deixem o pimba em paz" de Bruno Nogueira, o Marítimo "aplaude" o gesto do primeiro-ministro e apela a que o futebol …

Sexta extinção em massa cada vez mais próxima. Mais de 500 vertebrados estão em risco

Uma sexta extinção em massa está cada vez mais perto, alertam os cientistas. Mais de 500 espécies de vertebrados estão sob ameaça de extinção devido aos seres humanos. Em 2015, o biólogo da Universidade de Stanford …

O Oumuamua pode ser um icebergue de hidrogénio (e um dos objetos mais raros do Universo)

Uma equipa de astrónomos da Universidade de Yale e da Universidade de Chicago propôs uma nova descrição para o Oumuamua, o primeiro objeto interestelar a passar pelo nosso Sistema Solar. De acordo com a nova teoria …