Afinal, OMS admite que temos de nos preparar para uma segunda vaga (que não tem data marcada)

Yuri Kochetkov / EPA

O diretor-executivo do programa de Emergências Sanitárias da OMS, Michael Ryan, afirmou, esta segunda-feira, que é preciso “estar ciente de que a doença pode disparar a qualquer altura”.

A Organização Mundial de Saúde alertou que a pandemia de covid-19 não vai dar descanso mesmo nos países onde o contágio foi contido e que uma possível “segunda vaga” de contágio não tem data marcada.

Na habitual conferência de imprensa de acompanhamento da pandemia, o diretor-executivo do programa de Emergências Sanitárias da organização, Michael Ryan, afirmou que é preciso “estar ciente de que a doença pode disparar a qualquer altura”.

“Não podemos supor [que os números de novas infeções] vão continuar a descer e que teremos alguns meses para nos preparar para uma segunda vaga. Pode acontecer um segundo pico na atual, como aconteceu em outras pandemias, como da gripe pneumónica”, afirmou.

O aviso foi dado depois de, também esta segunda-feira, Maria Neira, a diretora do departamento de Saúde Pública da OMS, ter afirmado que é “cada vez mais” improvável uma segunda grande vaga do novo coronavírus.

A principal responsável técnica no combate à covid-19, Maria Van Kerkhove, salientou que os estudos de seroprevalência já efetuados são poucos – só dois publicados e cerca de 20 em pré-publicação mostram que “uma grande parte da população continua suscetível” ao novo coronavírus.

“Se encontrar uma oportunidade, este vírus provocará surtos. Uma característica única deste coronavírus é a capacidade de se amplificar em certos ambientes fechados, com uma super-propagação, como temos visto em lares de idosos ou hospitais”, acrescentou.

O que se ganhou entretanto foram “as ferramentas para suprimir o contágio”, referiu, indicando que para já, não é claro que um ressurgimento de casos em países que conseguiram reduzir o número de novas infeções esteja dependente do clima ou da temperatura.

Michael Ryan salientou que “seria preocupante crer que [a contenção do contágio] ocorreu naturalmente” e indicou que foram as medidas de contenção aplicadas pelos governos que o conseguiram, restringindo movimentos de populações, impondo confinamentos e aconselhando medidas de distanciamento físico entre as pessoas.

No dia em que se celebra o 53.º aniversário da criação da Organização para a Unidade Africana – hoje União Africana -, o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, assinalou que África é o continente com menos casos e menos mortes em relação ao resto do mundo – com 1,5 % dos casos globais e 0,1 % das mortes globais.

No entanto, ressalvou que a capacidade de testagem ainda não está ao nível do resto do mundo e os números “não dão o retrato completo” da pandemia no continente africano.

O diretor do Centro de Vacinação do Mali, Samba Sow, foi mais longe e afirmou que “a falta de testes pode estar a esconder uma epidemia silenciosa”, assinalando que os sistemas de saúde nos países africanos são “fracos e podem ser assoberbados”. Acrescentou ainda que, além da solidariedade entre países africanos, é precisa “comunicação” e dados fiáveis gerados localmente.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

    • Porquê?
      Porque não fazem milagres?
      Sim, parece-me que sabem o que estão a fazer – a ciência é mesmo assim: evolutiva!
      Crenças e certezas é nas religiões!…

      • Pelas óbvias contradições que emitem. Ainda por cima num curtíssimo espaço de tempo. Leu o artigo com atenção, antes de reagir ao comentário do Viajante? É que tudo indica que não.

        • Sim, li.
          Como referi, a ciência é mesmo assim – certezas absolutas que não podem ser questionadas só existem as religiões!…

    • Numa Organização Mundial como a OMS, o que considero inadmissível, é que no espaço de Dias se afirme uma teoria de improbabilidade de uma 2ª vaga e que outro responsável venha dizer que é provável e “que não tem data marcada” . E assim aconteceu com vários(as) intervenientes, DGS, Ministra da Saúde e outros “Especialistas e Entendidos na matéria”, entrarem em perpétuas contradições, quando a População em Geral precisa antes de tudo de “UMA” Informação fidedigna e não de um Mar de teorias ! …….Senão vale mais pedir opinião a uma vidente !

  1. No espaço de dias não, de um dia para o outro! A culpa será dos cientistas ou da Desorganização Mundial da Saúde? Temos que concordar que este vírus troca as voltas a todos! Vamos esperar para ver se vem onda ou tsunami! O melhor seria irmos todos para a praia esperar a onda e mergulhar porque ao sol , ao livre, temos poucas probabilidades de contrair o vírus.

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …