Britânicos e alemães com escolas sob suspeita na transmissão da covid-19

Paulo Novais / Lusa

Enquanto o sul da Europa quer manter o ensino presencial, estudos de cientistas britânicos divulgados em dezembro mostraram uma clara relação entre as taxas de infeção entre os alunos e pessoal das escolas e as da comunidade.

Um desses trabalhos é o Estudo de Infeção nas Escolas, realizado pela Public Health England (equivalente à Direcção-Geral da Saúde), o Instituto Nacional de Estatísticas britânico e a Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, que testou dez mil estudantes e pessoal de escolas em Inglaterra em novembro, concluindo que 1,24% dos alunos e 1,29% dos funcionários tinham um teste positivo, noticiou no domingo o Público.

Um outro estudo revelava que 1,2% da população de Inglaterra tinha sido infetada na semana de 08 a 14 de novembro.

O Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências (SAGE) baseou-se nesses dois estudos para não reabrir a maioria das escolas após as férias do Natal, de forma a controlar a epidemia. Depois veio o confinamento geral, com o Serviço Nacional de Saúde britânico sobrelotado.

Os dados da última semana mostraram uma redução do número de casos entre as crianças em idade escolar e nos adultos de 35 a 49 anos no Reino Unido, com a maior parte do ensino à distância. Creches e jardins-de-infância continuam a funcionar normalmente.

O encerramento das escolas foi incluído nas medidas impostas pela Alemanha a partir de 13 de dezembro, com a creches, escolas e lojas não essenciais encerradas até 31 de janeiro, e os deslocamentos limitados a um raio de 15 quilómetros do domicílio.

Um estudo alemão, do Centro de Investigação da Saúde Ambiental, mostrou que as infeções são seis vezes mais frequentes do que se pensava até agora.

Um estudo da Universidade de Viena, na Áustria, divulgado a 04 de janeiro, revelou que havia uma criança infetada e sem sintomas em cada três a quatro das turmas que estudaram, concluindo que estas  deviam ser testadas mais frequentemente.

Na Áustria, o ensino é à distância desde 07 e até 15 de janeiro. O ministro da Educação, Heinz Fassmann, anunciou que, para regressar ao ensino presencial, as crianças vão ser testadas, nas escolas ou em casa.

Espanha, França e Itália têm mantido as escolas abertas, sem alterações ao protocolo sanitário. No sul de Itália, porém, as escolas só devem reabrir no fim desta semana, início da próxima. O ensino superior só regressará a partir desta segunda-feira (com 50% do ensino em formato presencial), também com variações regionais.

Em Portugal, contudo, o novo confinamento geral que começa na quinta-feira deverá manter as escolas abertas.

Taísa Pagno //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Em Portugal a explicação que dão é que as escolas NÃO são um vector de transmissão só porque sim. Alguém alguma vez ouviu alguém dar qualquer razão científica para tal? E já agora, onde se meteu Tiago Brandão Rodrigues?

RESPONDER

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está …

"Bola de fogo" cruzou o céu sobre o Mediterrâneo a 105 mil quilómetros por hora

Uma "bola de fogo" atravessou o mar Mediterrâneo e o norte de Marrocos na noite de quarta-feira, a 105.000 quilómetros por hora. A bola de fogo foi observada por um projeto científico espanhol a uma velocidade …

Duterte rejeita que a filha o vá suceder na liderança das Filipinas. "Isto não é para mulheres"

O líder das Filipinas, Rodrigo Duterte, descartou, na quarta-feira, a hipótese de a filha o vir a suceder no próximo ano, acrescentando que a presidência não é tarefa para uma mulher por causa das …

"Uma memória a flutuar no oceano." Encontrada, dois anos depois, uma mensagem numa garrafa

Uma mensagem no interior de uma garrafa sobreviveu a uma viagem de dois anos pelo oceano. Recentemente, chegou às mãos de um ativista ecológico, enquanto limpava uma praia da Papua Nova Guiné. Em novembro do ano …

As células imortais de Henrietta Lacks revolucionaram a Ciência

O ano de 1951 foi muito importante no campo da biotecnologia e, surpreendentemente, tudo começou com a chegada de Henrietta Lacks a um hospital norte-americano. Descendente de escravos, Loretta Pleasant nasceu a 1 de agosto de …

Humanidade não será capaz de controlar máquinas superinteligentes, avisam cientistas

Uma equipa de investigadores do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano sugere que seria impossível controlar máquinas superinteligentes. A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) continua a evoluir de vento em popa, enquanto alguns cientistas e …

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …

Documentos de vacinas roubados por hackers também foram "manipulados"

A Agência Europeia do Medicamento, entidade reguladora da União Europeia (UE), informou este sábado que os documentos da vacina contra a covid-19 roubados e colocados na Internet por hackers foram também "manipulados". A manipulação aconteceu depois …

Há 11 anos que não se consumia tanta eletricidade num só dia. A culpa é do frio

O país está a bater recordes de energia, tanto em termos de pico como de consumo diário. A culpa é da vaga de frio que assolou Portugal neste Inverno. O consumo de eletricidade bateu, na quarta-feira, …