Rússia volta a registar mais de 10 mil casos diários. América é o novo foco mundial da covid-19

Yuri Kochetkov / EPA

A Rússia voltou esta quarta-feira a registar mais de 10.000 casos de infetados por coronavírus, um dia depois de ter começado o levantamento das restrições e confinamento no país para lutar contra a pandemia da covid-19.

A Rússia tornou-se, na terça-feira, o segundo país do mundo com mais pessoas infetadas pelo coronavírus que provoca a doença da covid-19, embora a mortalidade permaneça baixa em comparação com outros países: 2.212 vítimas.

Na terça-feira, várias regiões russas, menos afetadas pela pandemia do que a capital, autorizaram algumas empresas a reabrir, assim como fábricas e estaleiros de obras, inclusive em Moscovo. No entanto, a maioria dos locais públicos continuar fechada, incluindo restaurantes, enquanto as reuniões com várias pessoas se mantêm proibidas.

A capital russa, principal foco da pandemia no país, permanece sujeita a confinamento quase geral, embora nem sempre as proibições sejam respeitadas, e o uso de máscaras e luvas protetoras tornou-se obrigatório nos transportes públicos e nos supermercados.

Embora a Rússia continue muito atrás dos Estados Unidos em número de infetados, regista, desde o início de maio, mais de 10.000 novos casos todos os dias.

O porta-voz do Presidente, Dmitri Peskov, anunciou na terça-feira que está doente, assim como o primeiro-ministro, Mikhail Michoustin, dois ministros e vários deputados.

A Rússia garante que a sua baixa mortalidade se deve sobretudo às medidas preventivas aplicadas, como a realização de testes em massa para isolar os casos suspeitos. O país ordenou, em março, o confinamento de viajantes dos países afetados, bem como das populações em risco, e reorganizou o seu sistema hospitalar.

América é o novo foco mundial da doença

O continente americano ultrapassou a Europa no número de infetados com a covid-19 ao registar cerca de 1,74 milhões de casos, tornando-se no novo foco mundial da pandemia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que a América regista agora 1,74 milhões de casos confirmados de coronavírus e superou a Europa, que totalizava 1,73 milhões nas últimas horas e era, desde meados de fevereiro, o ‘epicentro’ da pandemia.

Contudo, as mortes por covid-19 no continente americano, que na segunda-feira ultrapassou a barreira dos 100 mil óbitos, são significativamente inferiores aos quase 160 mil registados na Europa, segundo dados divulgados pela OMS.

Os dados que a Universidade Johns Hopkins atualiza todos os dias ajudam a ter uma ideia sobre a evolução da doença e seu impacto sobre os índices de mortalidade nos países.

A instituição estimou que a taxa de mortalidade por 100 mil habitantes devido à covid-19 é de 24,66 nos Estados Unidos; 13,80 no Canadá; 12,56 no Equador; 6,13 no Peru; 5,96 no Panamá; 5,56 no Brasil; 2,83 no México; 1,72 no Chile; 1,21 em Honduras; 1,07 na Bolívia, 0,96 na Colômbia e 0,71 na Argentina.

OPAS “muito preocupada” com propagação

Dada a magnitude dos números, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) declarou-se “muito preocupada” com a velocidade com que a covid-19 está a propagar-se no continente americano, onde na última semana foram contabilizados mais 266.269 casos.

“Estamos muito preocupados com a rapidez com que a pandemia está a propagar-se. A nossa região levou três meses para atingir um milhão de casos, mas menos de três semanas para quase duplicar esse número”, disse a diretora da OPAS, Carissa Etienne.

A diretora da OPAS alertou que, devido a esse crescimento na mortalidade e transmissão do vírus na América do Sul, os sistemas de saúde em grandes centros urbanos como Lima [Peru] ou Rio de Janeiro [Brasil] “estão rapidamente a ficar sobrecarregados”.

De resto, os Estados Unidos registaram quase 1.900 mortes nas últimas 24 horas, um novo aumento no número diário de óbitos causados pela covid-19, após dois dias de declínio acentuado, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 290 mil mortos e infetou mais de 4,2 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Caros Editores ZAP: O título não está de acordo com o conteúdo – trata-se de 10.000 novos casos diários e não 10.000 mortes diárias, num país cujos números oficiais estão bem abaixo das 5.000 vítimas mortais.

RESPONDER

Marta Temido admite professores e funcionários prioritários na vacinação

A ministra da Saúde, Marta Temido, admitiu esta terça-feira que "está a ser analisada" a possibilidade de vacinar os professores e funcionários de escolas no arranque do desconfinamento.  Esta terça-feira à noite, numa entrevista à SIC, …

Explosão em centro de testes nos Países Baixos. Polícia suspeita que tenha sido "intencional"

O centro regional de testes do conselho de saúde em Bovenkarspel, nos Países Baixos, foi atingido por uma explosão na manhã desta quarta-feira. De acordo com os media locais, que citam a polícia holandesa, a explosão …

A maior parte da vida na Terra vai desaparecer por falta de oxigénio em mil milhões de anos

A previsão dos cientistas é catastrófica: dentro de mil milhões de anos, a atmosfera da Terra vai ter pouquíssimo oxigénio, tornando inabitável a vida aeróbica complexa. No início da história da Terra, os níveis de oxigénio …

Rio faz depender desconfinamento de indicadores (e não da data). Mas plano "já podia e já devia" existir

O presidente do PSD, Rui Rio, voltou esta terça-feira a fazer depender o desconfinamento do país de indicadores a definir pelos cientistas, "independentemente de ser Páscoa ou não, de ser em março ou em abril". No …

Comissão de inquérito ao Novo Banco. Carlos Costa está incontactável

As audições da comissão de inquérito ao Novo Banco arrancam em 10 de março, uma primeira ronda na qual os deputados querem ouvir o antigo governador do Banco de Portugal Carlos Costa, que o Parlamento …

Computador quântico resolve problema 3 milhões de vezes mais rápido do que um computador clássico

Uma equipa de cientistas da empresa de computação quântica D-Wave demonstrou que consegue simular alguns materiais até três milhões de vezes mais rápido do que com os métodos clássicos. Os cientistas, com a ajuda de investigadores …

Afinal, não foram buracos negros. Há uma alternativa exótica para o "tsunami" de ondas gravitacionais

No ano passado, cientistas detetaram ondas gravitacionais do que parecia ser a colisão de buracos negros mais massiva alguma vez registada. Agora, uma equipa internacional de astrofísicos propôs uma teoria alternativa. Uma equipa internacional de investigadores …

"Charlie" é o robô peixe-gato da CIA que permitiu pesquisas subaquáticas (e já realizou missões secretas)

De várias formas e tamanhos, os robôs têm sido sido muitas vezes usados por muitas entidades para trabalhos de pesquisa e investigação. A CIA não é exceção e por isso desenvolveu um peixe robótico chamado …

Possível obra de Banksy surge na parede de uma famosa prisão. Pode representar Oscar Wilde

Um graffiti possivelmente pintado pelo famoso artista de rua Banksy apareceu durante a noite no lado de fora de uma parede da prisão de Reading, no Reino Unido. Na madrugada desta segunda-feira, a obra foi avistada …

Na tentativa de tirar a selfie perfeita com um elefante, indiano acaba morto pelo animal

No passado domingo, dia 28 de fevereiro, um homem de 21 anos morreu enquanto tentava tirar uma selfie com um elefante. O animal andou a pairar por zona residencial e anteriormente já tinha matado uma …