Wuhan admite que trabalha com três vírus de morcego (mas nenhum é covid-19)

O Instituto de Virologia de Wuhan, na China, acusado pelos Estados Unidos de deixar escapar o vírus da covid-19, anunciou este domingo ter três tipos vivos de coronavírus de morcego, mas nenhum corresponde à covid-19.

No início deste mês, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, pediu uma “investigação” para aprofundar a teoria de o novo coronavírus ter sido transmitido aos humanos a partir de um animal, no mercado da cidade onde são vendidos animais selvagens vivos, a alguns quilómetros de distância das instalações do instituto.

Essas suspeitas são “pura fabricação”, disse a diretora do instituto chinês, Wang Yanyi, numa entrevista realizada em 13 de maio e transmitida sábado à noite pela televisão pública CGTN.

“O nosso instituto recebeu pela primeira vez a amostra clínica da pneumonia desconhecida a 30 de Dezembro do ano passado. Não tínhamos qualquer conhecimento antes disso, nem nunca tínhamos encontrado, pesquisado ou mantido o vírus”, disse.

A responsável do instituto adiantou que, tal “como o resto do mundo”, desconhecia que o vírus existia e questionou: “Então, como poderia [o vírus] ter escapado do nosso laboratório?”.

Wang Yangi admitiu que o instituto “isolou e obteve certos coronavírus de morcegos”, num total de “três tipos de vírus vivos”, mas cuja semelhança com a covid-19 “é de apenas 79,8%“.

Estas declarações surgem como resposta a Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, que acusou a China de não ter contido o vírus. “Acho que [o vírus] poderia ter sido contido com relativa facilidade. Acho que não conseguiram ou não o quiseram fazer. Digo que [o vírus] provavelmente fugiu de controlo”, disse Trump no final de abril.

Depois destas acusações, a China contra-atacou, dizendo que o vírus teve origem num laboratório militar nos Estados Unidos e que é isso que explica os números trágicos do país, com mais de 90 mil mortes.

As autoridades dos Estados Unidos não foram as únicas a acusar a China de deixar o vírus escapar do Instituto de Virologia de Wuhan. Em abril, o cientista laureado com o prémio Nobel da Medicina em 2008, Luc Montagnier, também defendeu que o novo coronavírus foi criado num laboratório em Wuhan, na China.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. ninguém deveria ter o direito trabalhar com virus nenhum, por melhores que fossem o propósito, porque não se sabe o que se passa por dentro da mente de cada um deles.

    Uns popderiam usar para o bem e outros pra o mal, e toda população sofrer as consequências

    Até que ponto a ciência pode ir, deveria ser mais bem estudadas entre todos, e não só entre eles, isso que penso.

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …