A bóia de salvação da Suíça é a economia forte e diversificada

Miquel Fabré / Flickr

Zurique (Suíça)

A economia suíça, forte e diversificada, deverá resistir à crise que se avizinha. Com a fronteira com o norte de Itália, o país agiu cedo e prepara-se agora para revitalizar a economia.

A tempestade ainda não passou, mas as prioridades da Suíça já mudaram: com o desconfinamento já na segunda de três fases, a prioridade agora é a recuperação da economia.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) espera que o PIB da Suíça diminua 6% em 2020, enquanto que a Secretaria de Estado dos Assuntos Económicos estima uma queda de 6,7%. Ainda assim, as previsões são melhores do que para muitos países europeus. Para Portugal, por exemplo, a estimativa do FMI é de uma quebra de 8% do PIB.

A crise que se avizinha não vai ser uma tarefa fácil de superar, mas Gregor Zemp, secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria Suíça em Portugal, admite que a economia tem duas grandes vantagens que vão ajudar o país a reerguer-se.

A primeira é “a competitividade da nossa economia, que permitirá uma retoma mais rápida”, e a segunda é “a dívida pública ter-se situado ao longo dos últimos dois anos em cerca de 30%, portanto, num valor mais baixo do que em muitos outros países”.

Para o secretário-geral, “com os cofres mais abastecidos combate-se a crise com mais facilidade”, logo “países, empresas e até pessoas que tiverem a liquidez necessária conseguirão ultrapassar este período com as receitas afetadas e investir na adaptação às novas circunstâncias, até o mercado se normalizar”.

À semelhança de outros países, há setores que vão perder mais do que outros. É o caso do turismo, que conta para 3% das receitas diretas da economia suíça, e das “empresas de trading, sobretudo de matérias-primas, das quais a Suíça tem várias com peso internacional”, explica Gregor Zemp, citado pelo Diário de Notícias.

As PME (cerca de 99% das empresas suíças) também deverão ficar prejudicadas, uma vez que “dependem fortemente da exportação”.

Segundo Zemp, quem sai a ganhar “é o cluster Life Science (química/farmacêutica, biotech, medtech), particularmente o setor farmacêutico, em que empresas como uma Roche, com um longo historial de desenvolvimento de produtos, neste momento estão a trabalhar arduamente no desenvolvimento de medicamentos e/ou de uma vacina contra o vírus”.

Os seguros ou o setor financeiro também são afortunados, “uma vez que a Suíça continua a ser considerada segura e estável, um “porto seguro” para os tempos de tempestade”.

O Governo já anunciou uma ajuda de emergência da ordem dos 60 mil milhões de francos suíços, mais de 56 mil milhões de euros, para travar as consequências económicas e sociais da pandemia de covid-19.

Apesar de a ajuda não ser suficiente para fazer face às perdas colossais, a economia do país deverá sobreviver por ser tão “diversificada e forte”, argumentou o embaixador André Regli, citado pelo mesmo jornal.

Zemp traça um paralelismo com Portugal, destacando que, nesta altura, “é interessante constatar que em países com uma governação mais humilde e democrática, como a Suíça e Portugal, o combate à crise tem sido mais bem-sucedido”.

“Em países com uma governação mais autocrata e até arrogante, como os EUA, a Rússia ou o Brasil, e no início também o Reino Unido, o vírus conseguiu causar mais prejuízo, com mortes e consequências económicas mais dramáticas”, acrescentou.

“Esperamos que os governos da Suíça e de Portugal continuem com esta forma humilde, consequente e pragmática a combater esta crise”, rematou o secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria Suíça em Portugal.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Exacto….
    “economia forte e diversificada” ou como se costuma dizer: esconder (e ajudar a desviar) dinheiro/ouro de ditadores, de corruptos e de criminosos em geral!…

RESPONDER

Lisboa e Porto são os melhores municípios para viver e para fazer negócios

Segundo a sétima edição do ranking elaborado pela Bloom Consulting, Porto e Lisboa são os melhores municípios para viver, para visitar e para fazer negócios. Já Albufeira é o concelho pior no que diz respeito …

O euro "decidiu" a transferência de Di María para o Benfica

A transferência de Di María para o SL Benfica apenas foi consumada devido à moeda de pagamento. O Rosario Central preferiu receber em euros do que em dólares. Não é novidade que quando Ángel Di María …

Há ambulâncias ilegais a fazerem transporte de doentes

Há centenas de ambulâncias e veículos dedicados ao transporte de doentes que circulam ilegalmente sem vistoria. Em 24 operações de fiscalização levadas a cabo pelo INEM, foram instaurados 101 processos por infrações ao Regulamento do Transporte …

Caso EDP: Ex-gestor suspeito de corrupção pede prescrição

A defesa de Miguel Barreto, ex-diretor-geral da Energia, entregou um requerimento a pedir a extinção do procedimento criminal pelo crime de corrupção passiva. O antigo gestor é acusado de ter recebido cerca de 1,4 milhões de …

Árbitro assistente destaca "enorme atitude" de Toni Martínez no Sporting-Porto

No jogo entre Sporting e FC Porto, Toni Martínez discutiu com um jornalista que estava a fotografar um adepto sportinguista que tinha caído da bancada. André Campos, árbitro assistente na partida de sábado entre Sporting CP …

Morreu a mãe do primeiro-ministro britânico Boris Johnson

Boris Jonhson está de luto com a morte da mãe. Charlotte Johnson Wahl morreu esta segunda-feira, 13 de setembro, num hospital em Londres. A mãe do primeiro-ministro britânico Boris Johnson morreu esta segunda-feira num hospital de …

Impacto da descida do IRS em 2022 está dependente das taxas de retenção

A reformulação dos escalões do IRS que o Governo está a preparar deverá aliviar a carga fiscal de alguns contribuintes, mas o impacto dessa descida nos salários e nas pensões ao longo dos meses ainda …

Ruínas de templo do Império Gupta encontradas na Índia

O Instituto Arqueológico de Pesquisa da Índia (ASI) descobriu as ruínas de um templo que remonta à época do Império Gupta.  A descoberta foi feita em Etah, no estado de Uttar Pradesh - o mais populoso …

"Vamos libertar os portugueses". DGS vai acabar com os boletins diários da covid-19

Numa entrevista ao Público, a Diretora-Geral de Saúde sublinhou que, numa altura em que a pandemia está a começar a ser controlada, muitas das regras que estão em vigor poderão vir a desaparecer brevemente. O regresso …

Polícias protestam junto à residência do primeiro-ministro contra valor do subsídio de risco

Governo aprovou recentemente um subsídio de risco de 100 euros, um valor muito inferior aos 400 euros reivindicados pelas forças de segurança. Elementos da PSP e da GNR voltam hoje aos protestos por causa do subsídio …