/

Arábia Saudita abre guerra de preços. Petróleo com a maior desvalorização desde a Guerra do Golfo

12

Os preços do petróleo enfrentam esta segunda-feira a maior queda diária em 29 anos depois de a Arábia Saudita ter desencadeado uma guerra de preços para tentar castigar a Rússia.

O reino saudita reduziu os seus preços oficiais de venda e divulgou planos para um aumento da produção de petróleo no próximo mês. O anúncio surge após a relutância da Rússia em fazer um novo corte na produção, que fora proposto pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para estabilizar o mercado.

De acordo com o semanário Expresso, ao baixar os preços oficiais de venda para entre seis e oito dólares o barril, o maior exportador de petróleo quer castigar a Rússia, o segundo maior produtor mundial, por não ter seguido as recomendações que a OPEP fez na semana passada.

O barril de Brent está a caminho do seu valor mais baixo desde 17 de janeiro de 1991, quando os preços caíram no início da primeira Guerra do Golfo.

Num dos piores inícios de negociação, de acordo com o jornal Público, o Brent chegou a afundar 31% em segundos, depois de na semana passada já ter sofrido a maior queda após a última crise financeira.

A notícia está a agitar um mercado que já sofre com o impacto do coronavírus Covid-19 na procura mundial. Os esforços da China para travar o surto do Covid-19 têm perturbado a segunda maior economia do mundo e reduzido os envios para aquele que é o maior importador de petróleo.

Além disso, a propagação do vírus para outras grandes economias, como a Itália e a Coreia do Sul, e o número crescente de casos nos Estados Unidos fizeram subir as preocupações de que a procura de petróleo irá afundar-se este ano.

Os atuais membros da OPEP são Arábia Saudita, Angola, Argélia, Emirados Árabes Unidos, Gabão, Guiné Equatorial, Irão, Iraque, Koweit, Líbia, Nigéria, República do Congo e Venezuela.

  ZAP //

12 Comments

        • O quê?!
          Língua?
          E, esta é uma notícia internacional…
          Parece que não conseguiste perceber o básico, mas foi a Arábia Saudita que aumentou a produção de petróleo para provocar uma descida dos preços!…
          Não devias comentar coisas que estão claramente estão acima da tua capacidade, senão dá o disparate que se vê!…
          Provavelmente estás a confundir o ZAP com o Facebook…

          • O q é uma letra que se lê, quando entenderes o essencial e te deixares de feiceburrices aparece, até lá larga o teclado que é só para gente graúda comentar quando se sabe sobre o assunto em epígrafe

            • O único alucinado que se avista és Tu! Eu!as tuas melhoras toma todas as pílulas diarias e regressa ao internamento

  1. Epá, isto vai ser uma maravilha para o nosso governo carregar os combustíveis com mais impostos. Desta vez vai ser o imposto do Corona

  2. Já que o preço do petróleo chegou afundar 30%, vamos ver quanto é que o preço dos combustíveis vam baixar em Portugal.
    Não sei porquê mas tenho a sensação que não baixará mais de 8 centimos, e já agora, adoraria estar errado.

    • Pois é Ferval, parece-me que você tal como eu bem teremos que ficar pelas sensações, possivelmente ainda iremos ter tal como diz o Jota um aumento com o tal imposto Corona, olhe que os nossos políticos são muito bons visionários do futuro e nós tal como a menina pescadinha teremos o futuro assegurado, recorda-se se é desse tempo?

  3. Com esta baixa no crude é possível que os combustíveis baixem um ou dois cêntimos para depois, logo a seguir, subirem três ou quatro.

  4. Se a descida fosse proporcional o preço do combustível deveria descer 45 cêntimos, mas como somos governados por ladrões desce 10. Mais do mesmo, como vai sendo habitual já há mais de 30 anos que se mudam as moscas mas a mer* continua na mesma.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.